12.12.10

"Esquimoux Fresquinho"


Quando a segunda guerra mundial acabou, houve vivas, foguetes e algumas acções incontroláveis. Depois voltamos todos outra vez ao “rongue”, “rongue” habitual o que quer dizer à parvalheira do costume.
Gente da minha Aldeia trabalhava na Carris em Lisboa e esses traziam novidades diariamente sobre as lutas políticas, que iam minando a sociedade de então. Entre eles o António da Elisa distinguia-se pelas suas convicções e também por ser um homem organizado e gostar de trabalhar em colectivo.
Tinha sido inaugurado o Laboratório Nacional de Eng. Civil, e Leitão de Barros realizou o filme “Camões”.
Certa vez, o António meteu-se na aventura de organizar uma excursão de bicicleta à Arrábida com passagem por Setúbal, e almoço no Portinho, local paradisíaco. Os automóveis, ainda não estavam em expansão como agora, e o petisco a cargo de cada, constava sempre como na época se usava de duas ou três “sandochas”, embrulhados num guardanapo e papel de jornal, pendurado por um cordel no guiador da "pasteleira" velocípede.
Abriu as inscrições gratuitas a pensar em meia de dúzias de carolas amigos, mas a coisa constou-se e aquelas chegaram ao número de Quatrocentos e Oitenta. O homem estava feliz, rejubilado de satisfação e com colegas de trabalho, arranjou umas bandeirinhas de pano coladas num arame que engalanariam as BTT da época.
O meu pai e irmão também se prepararam para ir à passeata. O Zé tinha acabado de aprender a montar a máquina de duas rodas, já se tinha enfiado por dois ou três valados cheios de silvas, dado outros tantos trambolhões, ido de encontro a uma árvore e caído ao rio, achando-se por isso apto e pronto para acompanhar aquela tremenda caravana. O “mano” meteu a cunha e depois de algumas lágrimas me correm pela cara, lá consegui a aprovação forçada, com a recomendação que não podia ir armado em maluco, tinha que obedecer à fila indiana e que o “mano” iria sempre com o olho aberto para zelar pela minha integridade física.
No dia aprazado, toda a aldeia estava em reboliço e às seis da manhã, já se ouvia as campainhas dos excursionistas. Nem consegui dormir tal era o desassossego que me ia na alma. De todos as aldeias próximas chegam os inscritos, trazendo algumas “bicis” engalanadas a cores berrantes., tratando de colocar as bandeirinhas da organização. Recomendações a todos para terem cuidado com o trânsito, os que marchavam à frente terem em consideração que havia outros que eram mais lentos; enfim milhentos cuidados, até que suou a hora de partida com um apito estridente. E aquela fila indiana iniciou a sua marcha. Ao Zé nos seus dezasseis irrequietos anos não cabia uma palhinha num sítio que eu cá sei. A primeira subida íngreme da serra da Arrábida é a das Necessidades a seguir a Azeitão e depois segue-se a grande descida até Setúbal. A subida foi penosa, mas assim que cheguei ao alto, foi deixar andar e fé em Deus. Não tendo o progenitor por perto e o mano distraído, acompanhado de mais quatro da mesma idade não obstante ser uma grande descida pedalávamos desalmadamente por ali abaixo e fizemos uma entrada triunfal na Capital das Laranjas e da Sardinha. Ainda estávamos longe e já víamos o vendedor do “Esquimaux Fresquinho” junto das oficinas da Ford em plena avenida dos Combatentes. Os nossos olhos não largavam o carro-bicicleta onde o homem pedalava e atendia os clientes. A atracção é enorme, é como um íman e em poucos segundos, dado a nossa falta de prática, enfiava-mo-nos todos contra o carro do homem dos gelados. Cinco ciclistas em correria doida ou desenfreada, colocaram tudo em pantanas.
Os cabelos do vendedor ficaram em pé e o seu boné voou para o chão, o carro virado, o gelado saiu da cuba e entornado pelo chão, o Zé com o embate voou direitinho com a cara pelo chão a caminho dos gelados entornados, ficando com ela cheia daquela chafurdice. A roda da frente da sua máquina ficou feita num oito, mas a detrás mantinha-se redonda e as dos outros também não estavam melhor.
Atrás de nós lá ao fundo aproximam-se os segundos excursionistas, com as suas bandeirinhas desfraldadas e em velocidade de cruzeiro. O dono dos gelados queria chamar a polícia, mas nós ao avistarmos os companheiros pedimos-lhe calma.
Um deles, olha o nosso estado, o carro, os gelados o empregado ou dono da desgraça e diz assim.
O tempo estava a pedir um geladinho, vocês deveriam estar com um desejo tremendo, mas também nem oito nem oitenta, não era necessário partirem o carro todo ao desgraçado.
O Zé com o lenço limpava a cara, que ficou pegajosa, outros tratavam de acudir aos arranhões que fizeram e o “Esquimaux Fresquinho” tentando por o carro em condições de seguir o seu comércio, queria ser ressarcido daquele prejuízo. Quando chegou o meu “velhote” deu-me a sentença. Toma lá dinheiro, põe a “bici” na camioneta da Carreira e ala para casa que se faz tarde. Se eu tivesse juízo não autorizava a tua vinda.
Tinha sonhado tanto com aquele passeio, nunca tinha ido ao Portinho de Arrábida, a Albarquel, à praia do Coelho, à Figueirinha, e o homem dos gelados estragou-me a vida, porque raio havia ele de estar àquela hora naquele sítio?
Há gente que vem ao Mundo só para empatar, não acham?

52 comentários:

Nilce disse...

Oi Zé
Por que não aproveitou e tomou os gelados. Ah eu o teria feito.
Mas que moço você já era.
Que pena não poderes terminar o passeio.
Tem gente que só atrapalha mesmo. kkkkkkkkk

Veja que coincidência, pois conto uma das minhas peripécias de infância e trata-se também de um belo tombo de bicicleta.
Só que eu era criança. rsrsrs

Bjs no coração!

Nilce

Pascoalita disse...

ahahahahahahah ahahahahahah Sozinho ou acompanhado,tavas sempre metido em grande aventuras ... por acaso no local não nasceram umas figueiritas? ahahahah ahahahah

Um vendedor muito desajeitado, não podia ter-se desviado dos obstáculos? ahahah

Je Vois la Vie en Vert disse...

Não ficaste com o nariz gelado ?
Aposto que nunca mais quiseste comer gelados...
Beijinhos
Verdinha

Cusca Endiabrada disse...

Bonita maneira de lamber gelado à borliú, hen??? Assim, gelado no alcatrão nunca provei! É bom? eheheh

Hummm Vá lá que o Zé do canito foi ágil a erguer-se ... aposto que alguém te tinha avisado que foi nessa posição que a Almanha perdeu a guerra? ihihih

Tadinha dfa mãe Julia que tanto se esforçou a meter juizo naquela cabecinha e ...


dentadinhas

Teté disse...

Ahahah, os jovens são (quase) todos assim... destrambelhados! :)))

E depois de tanto trambolhão, ainda te meteres a fazer corridas, para ver quem comia mais gelado, pois... E ao menos pagaste ao homem os geladitos onde... mergulhaste??? :D

Jinhos!

Zé do Cão disse...

Nilce

A Juventude é mesmo assim. Arranca tudo de uma vez. E naquela época um cheiro a gelado era o máximo.

beijos

Zé do Cão disse...

Eu ainda não controlava bem a maquina. Julgava que quando mais depressa melhor.

Mas o gajo dos gelados estava mesmo lixado. Conseguimos virar tudo do avesso.

biquinhos

Zé do Cão disse...

Verdinha

Sim, sim continuei a gostar e se forem de baunilha é o máximo.
Jinhos

Zé do Cão disse...

Cusca

Naquelas alturas, fiquei arrepiado como a pescada e tinha um medo do papá que me pelava.
E ele nem me batia nem nada. Era só respeito.
Mais foi conversa para uma semana


biquinhos

Zé do Cão disse...

Teté

Claro, os jovens são mesmo malucos de todo.

E o carro de gelados era novo, uma beleza. Sempre que passo ali e são muitas vezes vem logo à "lembradura"
tal aventura.
Quanto ao tal pagamento, o ultimo que feche a porta, nem soube.

beijinhos, minha amiga

Parisiense disse...

Eh pá isso é do tempo da carqueja (segunda guerra mundial).....nessa altura eu ainda não estava nem nos planos....ahahahahah

Mas os gelados naquela altura deviam ser bem deliciosos, por isso te atiras-te de cabeça, tronco e membros!!!:):)

É bom ser-se jovem....mas melhor ainda ter histórias vividas para contar.

Beijokitas

Zé do Cão disse...

Com este comentário senti-me cheio de teias de aranha...ahahaha...

Quanto aos gelados era mais gelo do que outra coisa.

Sim, minha amiga é bom senhor jovem e não sou daqueles que digo.
"Eu queria era ser jovem e saber o que sei hoje."
Eu queria era ser jovem e saber o que sabia no tempo em que era jovem.

Mas tudo bem é assim. Vou vivendo e sabendo viver e como ainda não me chegaram as LIMITAÇÕES, "que maravilha".
Beijokitas e que esta época te traga algumas alegrias

Mariazita disse...

É, meu amigo, é preciso mesmo ter azar!
Um rapazinho tão bem comportado, e o diabo do homem dos gelados ir-se atravessar à sua frente, é demais!
A andar de bicicleta dei 2 ou 3 trambolhões valentes - 2 deles lembro-me que fiquei com os joelhos feitos num S.Lázaro. Mas nunca tive a sorte de esbarrar com o carrinho dos gelados :)))
Só mesmo tu, Zé!

Continuação de boa semana. Beijinhos

Zé do Cão disse...

Mariazita

Pois foi. Fui contra o homem dos gelados, provei-os com o pó da calçada e perdi o passeio ao Portinho da Arrábida.
Quando finalmente o visitei, pensei assim;- Nesta subida e descida é que eu estaria tramado. Não tinha pedalado "prá-quilo". Pelo menos fiquei fã dos gelados, ainda hoje gosto de me sentar na Praça dos Restauradores, ali ao cantinho e saborear uma "cassata", levando ao mesmo tempo uma valente
cagadela de pombo. (é que já me aconteceu) nos velhos até os pombos lhes cagam em cima.ihihih...

Beijinhos e que o Menino Jesus, venha carregado de coisas boas para ti.

Rei da Lã disse...

O Natal nada me diz, Zé, mas como creio que contigo isso não se passe... desejo-te boas festas na companhia de quem amas!

Abraço!

Kim disse...

Oh Zé, então?
O teu pai cortou logo ali as pernas a um futuro campeão.
Podias ter aproveitado para dares umas lambidelas no gelado. Não prestavam para nada mas era o que havia e sabiam a ... ginjas!
Grande abraço

Zé do Cão disse...

Rei

A época natalícia sempre foi marcada pela alegria das crianças e reunião familiar.

Neste momento já não é o que era. A reunião familiar faz-se, mas não tenho à mesa o barulho de crianças nem as suas irreverencias. (o que lamento diga-se)
Fico imensamente triste quando vejo jovens na flor de idade (como tu) completamente indiferentes à sua volta, porque não vêem futuro, muito mal vai o PAIS.
E este País está a ser a vergonha do Mundo.
Desejo-te, as maiores felicidades

Zé do Cão disse...

Kim

É verdade tinha futuro a deitar abaixo carros de gelados, porque de ciclista nunca foi o meu forte.

Os gelados daqueles tempos eram mais gelo que outra coisa. Era o que havia e fazia a alegria de pequenos e graúdos.
Um grande abraço

Laura disse...

Pobre Zézito, pobre da Mãe Júlia, aposto que a senhora não tinha descanso com este filho, valham-nos...ó Zé, mas não sabiam desviar-se do homem dos geladitos? Coitado, foi-se o ganha pão do senhor..e o pai só te mandou por a cicla na carreira e ala pra casa... desconfio que ainda ficaste por lá a ver se endireitavas as rodas da cicla..pobre zézito...

Beijinho da laura que gostou tanto de te ver e de falar ...

Zé do Cão disse...

A vida era dura, muito dura Laurinha.

Vê tu, que para comer geladito tive de ir de ventas ao chão.
A vida é bela, nós é que damos cabo dela.
Voltei para casa e bico calado. Eu tinha um respeito ao "pápi" que nem fazes ideia.
Também gostei de te ver, minha amiga

armalu disse...

Desculpe tão grande ausência, mas a vida tem destas coisas, e nós caimos nas ciladas da vida, e não tem dado para nada, depois vou voltar com mais calma, mas agora venho pedir a celebre receita no micro ondas de bolo de chocolate, ia adorar acredite. deixo-lhe o meu abraço e votos sinceros de Feliz natal.
Adoro vir por aqui seu blog me lembra o de alguém que me é muito querido, também.

armalu disse...

Só Mesmo o Zé para me fazer chorar a rir, que coisa!que raiva, nunca mais esqueceu, minha nossa que poste agradavel para mim, na altura muito chato para si, mas também quw falta de gosto do homem estar no sitio errado na hora errada. rsrsrs. abraça Zé.

Zé do Cão disse...

Minha amiga no seu blogue lá estará.

jinhos

Zé do Cão disse...

Pois toda a gente ri da desgraça doas outros. Tive só meu passeio, fiquei sem a "bici", lambi gelado na calçada, reprimenda do "pápi" e ainda desatam a rir.

Jinhos e bom natal, com muitas coisas doces

Magia da Inês disse...

♥ Olá amigo, pensa que eu me esqueci de ti? Não mesmo!!! ♫
♫♥ Fiquei um tempão sem passar aqui, mas senti falta do teu bom humor, já que sou tua fã número hum...
♥°º Zé, pensando melhor... fostes tu quem me abandonou...
°º¤♥ Um lindo final de semana! º°♥
♥♫♫ Beijinhos. ♥♫
♫♥ Brasil
♫♫♫♥
°º¤♥♥

Ps. Desculpe-me os enfeites... gosto disso... adoça a vida...

Zé do Cão disse...

MAGIA

A isto se chama autentica magia de Inez.


Obrigado pela chamada de atenção
bj.

Tais Luso de Carvalho disse...

Estou passando para desejar a você e sua família uma noite de Natal com muito amor e alegria. E para o próximo ano almejo que todos nós possamos viver num mundo melhor, mais fraterno e solidário.

Aproveito para agradecer pela agradável convivência no ano que está se fechando.
Beijos,
Tais Luso

Zé do Cão disse...

Tais

Estou babado, o meu obrigado e que tenha a felicidade de papai Noel lhe trazer tudo quanto deseja.

bjs, Zé

São disse...

rrss rrss

Bem, pelo menos, comeste uma montanha de gelado...e sem pagar rrss

E , claro, que a culpa foi do esquimó, rrss

Umas alegres festas, um Natal feliz e um excelente 2011 em companhia dos teus , é o desejo que te deixo no meu efectuoso abraço, meu querido Zé.

Zé do Cão disse...

Claro que a culpa foi dele. Atravessou-se na nossa linha de passagem ahahah...
Coitado andava a ganhar a vida e nós escapamos de ficar sem ela.
Lá diz o ditado
Ao menino e ao borracho, Deus põe a mão por baixo

São, tudo de bom para o teu Natal.

M. Sueli Gallacci disse...

QUERIDÍSSIMOS AMIGOS!!!

Neste final de ano quero desejar a todos vocês uma paz imensa! Saúde transbordante! Dias inundados de conquistas! E um oceano de felicidade!

Obrigada pelas visitas, doces palavras e todo o carinho a mim dedicados nesses meus oito meses de vida blogueira!

Vocês fizeram mais do que enfeitar os meus blogs, fizeram toda a diferença na minha vida!

Amo vocês!
Sueli Gallacci.

Zé do Cão disse...

Suelli

Do coração. o meu muito obrigado.
A Magia do Natal é coisa maravilhosa da vida terrena.

beijokitas

Rei da Lã disse...

Zé:
Não recebi nada!
Se calhar enviaste para o e-mail profissional e eu estou de férias...

Zé do Cão disse...

Rei

dei resposta no teu blogue.

de Férias, sortudo, ainda consegues ter férias?
Mas então o tempo da escravidão já acabou?

Um grande abraço do amigo certo.

Rei da Lã disse...

Já mas deviam há dois anos...


Abraço!

Mariazita disse...

Pois é, meu querido amigo, "eles" amam-nos!!!
Também, tu pões-te p'raí com essa conversa de velhos, o que esperas? :))))))))

Que tenhas BOAS FESTAS E FELIZ NATAL.

Beijinhos

Fatima disse...

A SIMECQ-Cultura vem desejar um Feliz Natal e um Novo Ano cheio de saúde, paz e amor.

Zé do Cão disse...

Rei

Deves ter uma patroa de maravilha.

2 anos de férias em atraso, é obra.

e não levantas a faixa de protesto nem nada.?
Eu nunca estive nessas condições, quando chegava a altura de férias já as tinha gozado todas e às vezes até as do ano seguinte.
Abraço, meu amigo

Zé do Cão disse...

Mariazita

cumprimentos ao maridão e que tudo corra sempre sobre rodas.

Que as festas Natalícias, sejam as melhores e sempre.

beijokitas

Zé do Cão disse...

Fatima

Saúde, paz e Amor é o que precisamos.

E o que me dizes de Sorte e Dinheiro para Gastos?
Percebi, foi por causa da crise.

abraço

Maria disse...

Bom Natal para toda a familia, amigo Zé.
Beijinho
Maria

Cusca Endiabrada disse...

Cusca Endiabrada chegando ...

Meu querido amigo Zé do canito,
Venho deixar uma dentadinha especial, cheia de sonhos, coscorões, votos de um "sapatinho bem recheado" com muita Paz, Saúde, Amor e Alegria

dentadinha na bochecha

Zé do Cão disse...

Maria

Ui... que bom.
Retribuo com muito prazer, e que tudo esteja definitivamente arrumado.
Que não tivesse passado de susto.

Bj. Zé

Zé do Cão disse...

Cusquinha

És coisa boa no seio deste Blogue.

Traquinas e ladinha é o que tu és.

Que o Natal te faça imensamente feliz.
Bj. do Zé

Anónimo disse...

Amigo Zé

Por causa dessa queda, fiquei com um dente partido. Tenho saudades de ver-te.
Tempo volta para trás é o que peço a toda a hora.

Abraço
Carlos Loba

Zé do Cão disse...

Carlos

Tens condições para almoçar na próxima segunda-feira? Ou o dente não te deixa? Ou já não tens é dente nenhum?dá-me um toque pelo télélé e logo veremos, tá vem?
já arranjas-te alguma "pêssega", ou continuas viúvo?
Abraço e Bom Natal

Zé do Cão disse...

A todos os meus visitantes, a todos os meus amigos e mesmos aos que não gostam de mim, desejo um Bom Natal.

Magia da Inês disse...

♥♫ Querido amigo,

"Que o Natal não seja apenas uma data... mas um estado de espírito a orientar nossa vida... e que o amor se renove a cada ano da nossa convivência."

♫♫♫ Feliz Natal!!!


…………(¯`O´¯)
…………*./ | \ .*
…………..*♫*.
………, • '*♥* ' • ,
……. '*• ♫♫♫•*'
….. ' *, • '♫ ' • ,* '
….' * • ♫*♥*♫• * '
… * , • Feliz' • , * '
…* ' •♫♫*♥*♫♫ • ' * '
' ' • . Navidad . • ' ' '
' ' • ♫♫♫*♥*♫♫♫• * ' '
…………..x♥x
…………….♥

Bj♥s
Brasil♥♫

Anónimo disse...

AMIGO FELIZ E SANTO NATAL MUITA PAZ , AMOR E MUITA MUITA SAÚDE GINA

Je Vois la Vie en Vert disse...

Estás muito jeitoso com este chapéu ! Aliás todos os chapéus te ficam bem..lembras-te da coroa de natal do ano passado ?
Desejo-te um Feliz Natal para ti e para a tua família !
Beijinhos
Verdinha

Zé do Cão disse...

Gininha.

Tão perto e tão longe.

Mil beijos, Bom Natal

Zé do Cão disse...

Verdinha
Ele fez questão de colocar este chapeu.
Fiz-lhe a vontade...
Se me lembro, essa coroa está a ornamentar a porta.
Cumprimentos ao marido e beijokitas
para a esposa.