4.4.08

ANÚNCIO DE JORNAL

.
Cá estamos nós outra vez em presença do Bap..tista, para vos contar uma aventura em que se meteu e que quase lhe custou o divorcio, com todas as consequências que daí normalmente advêm.
Várias vezes ouvi o Bap..tista dizer que era felicíssimo com a mulher com quem tinha casado e que o facto de como no outro conto referi, ser mais feia que o “Demónio da Tasmânia” só lhe trazia vantagens, dado ter poucas possibilidades de vir a ser cornudo, pois ninguém se ia apaixonar por ela.
Portanto o nosso homem do bigode farfalhudo movimentava-se à vontade na tentativa de arranjar mulherio que lhe desse a satisfação plena nos seus devaneios.
Um dia passou-lhe a negra pela cabeça, vai ao Diário de Notícias e coloca um anúncio a procurar “Senhora para Convívio” – Homem 1/2 idade, separado, com muito amor para dar tal e tal (aquele paleio que vimos nesses anúncios).
Na realidade, por incrível que pareça, não fazem vocês ideia de quantas respostas recebem os que põem anúncios deste teor. É de todo o País, de todos os extractos sociais e de todas as idades. Eram tantas, tantas as respostas, que eu também ajudei a abrir algumas cartas. Foi à ganância, com risadas à mistura, os textos mais variados, alguns dramáticos, outros de mijar a rir e alguns até a oferecerem um “ensaio de murro” se fosse coisa de brincadeira. Depois é separar o Joio do Trigo (não Trigo do Joio), entrar em contacto com as interessadas, dar números de telefones, marcar encontros etc.
Pelo teor de uma das cartas e acompanhada de fotografia de meio corpo, o Bap.tista achou que estava encontrada a mulher onde iria fazer “coutada” por uns tempos. Marca encontro para a rua Vale de Santo António (mais tarde constatou que nem Santo António lhe valeu), um pouco mais acima do Banco Pinto Sotto Mayor e no dia aprazado lá foi à aventura de que tanto gostava.
Sentado dentro do seu descapotável BMW, aguardava ansioso pela estrela (já de- cadente) da sua vida, aquela que durante dois ou três meses iria mudar o comportamento e o estado de espirito do Bap.tista. Esperou tanto tempo que estava disposto a dar de “frosques”, quando vê surdir lá em cima e andando na sua direcção uma mulher, baixa, gordinha, vestida com saia e casaco a puxar para o cor de rosa, com um lenço da mesma cor, mas esta mais acentuado, bem farfalhudo ali por debaixo dos queixos, mala de cabedal vermelha enfiada no braço e uns sapatos também vermelhos com ‘/2 salto de correia e fivela a passar por cima do peito do pé. Sapatos iguais ou muito parecidos com aqueles que usam as bailarinas de flamengo. Ela dá um pequeno toque no vidro e pergunta. É o Senhor Baptista? Que desilusão, a voz dela era fina, estridente incomodativa aos tímpanos. O galã, abrindo a porta diz: Sim, sim, faz favor de entrar. Ela entra, ajeita-se, senta-se, nota-se que está feliz ao contrário do Bap.tista que ao olhar aquela figura e a ouvir a sua voz está completamente desvairado e fora de si. Pergunta-lhe se tem alguma preferencia por sítio onde possam ir jantar, sendo-lhe respondido que está livre como os passarinhos e disposta a estar com ele o tempo que ele entender como necessário para se conhecerem melhor e tomarem uma resolução da sua vida.
Um dia não são dias e um homem é um homem, portanto toma uma resolução imediata e diz : vamos jantar a Cascais (acrescentando em pensamento, que em ultimo recurso deitava-a à boca do inferno), admitindo que ela recusaria. Perfeitamente de acordo, o Baptista manda.
A “Madama” vai dando a conhecer ao conquistador por anúncio que é divorciada, tem uma filha a precisar de uns sapatos, que o ex-marido era um malandro que a levou para o Canadá no sentido de ver o que a “Cana dá” e que se viu livre dela na primeira oportunidade.
O Bap.tista diz-se separado, sem filhos, gerente duma empresa distribuidora de bebidas, dando assim à sua companheira ocasional, boas perspectivas de futuro.
Mas aquela voz embirrante que ela tinha, colocava o Bap.tista fora de si, aliado à sua figura que não traduzia nada daquilo que tinha idealizado (era assim mais ou menos da mesma altura e um pouco mais forte do que a artista de teatro Maria Vieira). Pelo caminho vão trocando impressões e o nosso homem está disposto a não dar continuidade à aventura e então inicia este tipo de conversa.
Diz-lhe que gostava de praia, ela responde-lhe que adorava praia, diz-lhe que o campo é tudo para ele e ela responde-lhe que o campo é tudo para ela, que não gostava de andar de avião, ela responde-lhe que detesta andar de avião. Que não gosta de peixe grelhado e ela detesta-o. Que fazer, meu Deus... onde me meti; ter que pagar um jantar a este emplastro. O que é certo é que chegaram a Cascais, desceram da viatura, ela queria enfiar o seu braço no do Bap.tista, que disfarçadamente recusou e encaminharam-se para o restaurante “Pescador”, na altura um dos melhores daquela Cidade (esclareço que o Bap.tista sempre gostou de ter a sanita em plano superior). E eu, sinceramente também não estava a perceber o Bap.tista. Sentam-se e nosso homem só tinha no bolso 1.800$00, que daria bem para a despesa da noite. Comeram uma caldeirada à pescador, acompanhada de uma garrafa de “Gatão” (diga-se que para o meu gosto é a fina flor do entulho), não comeram sobremesa, não beberam café e a despesa foi nem mais nem menos do que os 1.800$00. Claro que o nosso homem, fazendo ares de importante foi dizendo à companheira que nunca dava gratificações porque os empregados já têm o seu ordenado, respondendo ela que também não o fazia.
Quer dizer, afinal o Bap.tista não poderia ter escolhido melhor. Era a pessoa ideal para ser sua companheira na vida fora. Gostos iguais em tudo.
Matutando como iria sair daquela aventura, admitiu que o resolvia desta maneira: perguntando-lhe, Violante, acaso tens no corpo sinal de alguma operação que tivesses feito? Repugna-me os sinais de operações no corpo de uma mulher. Que ideia, não senhor, A não ser o sinal da cesariana que fiz quando tive a minha filha, mas quase que já não se nota. Então, pronto, tive muito gosto em conhece-la mas, está tudo acabado entre nós. Que disparate, isto não se nota nada, desaperta a saia e ali mesmo dentro do popó mostra a cicatriz ao Bap.tista que nem quis olhar, fingindo-se terrivelmente transtornado.
Fez-se noite e quando passam em Carcavelos, no parque de estacionamento do Restaurante Fateixa, já havia como era hábito uns carros com pares, que apreciavam a paisagem marítima e o Bap.tista, fala com os seus botões, mas que é isto, trago-a a passear, pago-lhe um jantar e agora não tiro proveito, era o que faltava. Encaminha a viatura para junto das outras e enrola-se na Violante. Esta, a julgar que afinal o problema da cicatriz da cesariana estava solucionado não opõe resistência, cede aos seus desejos mais ferozes, estiveram tempos infinitos esquecendo as horas, até que de repente as viaturas debandam imediatamente com a chegada do carro patrulha da PSP e o Baptista para não se ver em mais apuros faz o mesmo. Vestiram-se com pressa, atabalhoadamente e em andamento, levando-a outra vez à rua Vale de Santo António, com a promessa que lhe telefonaria no outro dia. Regressou a casa pelas 2,30 da madrugada, os meninos já dormiam, mas a luz do seu quarto estava acesa. Sua mulher estava sentada na cama a fazer malha, com a cara que Deus lhe deu, nunca se sabendo se estava satisfeita, infeliz ou fula. O Baptista para desanuviar o ambiente e sem que ela lhe tivesse perguntado, vai-se despindo e atirando para o ar que a culpa de chegar àquela hora era do seu sócio Miguel, que era um calão e ele é que tinha de fazer tudo no escritório. Ainda com a camisa vestida, mas com as calças na mão, a mulher dispara esta pergunta: Bap.tista, desde quando é que tu vestes cuecas de mulher e às pintinhas?
Secou a boca ao Bap.tista, arrepiou-se, olhou para a sua figura e vê-se, com cuecas femininas grandes (eram as do cu da Violante) às pintas, que mais parecia um saco de ir às compras a qualquer mercearia de comércio local.
O “demónio” levanta-se e a bufar pelo nariz investe contra ele, quer tirar-lhe as cuecas, prova do terrível crime que o marido tinha cometido. Ele completamente desvairado, sem saber o que fazer e por falta de umas bandarilhas ali à mão, optou por fugir para a garagem e ela não está com meias medidas. Fecha-lhe a porta, castigando-o a dormir dentro do automóvel e sem roupa para fazer muda.
A Violante, que não tinha que dar contas a ninguém, não teria passado por cena tão caricata, mas ao ver-se em casa de “slip” bem aconchegado ás suas pernas grossas e do seu cu rechonchudo, desatou durante vários dias a tentar entrar em contacto com o Bap.tista, julga-se para permutarem as peças íntimas e para lhe pedir dinheiro para os sapatos da filha, que subtilmente tinha abordado novamente enquanto viam o brilho da lua a reflectir na água do mar.
Nos dias imediatos, “ o atirador” tratou de deitar fora todas as outras cartas que tinha recebido, abandonando aquela maneira de conhecer “garinas” e só se viu livre da Violante quando uma colega do escritório, fazendo-se passar por sua secretária a informou (mentindo) que o Sr. Bap.tista tinha ido à Alemanha em negócios.

101 comentários:

Capitão Merda disse...

Eheheheheheh!
Já soltei umas boas gargalhadas, Zé!

Abraço e bom fim de semana

fotógrafa disse...

rsrsrsrs...bela história, fizeste-me rir...

Pára e admira calmamente
tudo aquilo que te rodeia.
Sem contemplação,
a vida é uma mera existência.

Bom fim de semana
abraço

Bernardo Moura disse...

EHEHEHEHEHEHEH!!!
Excelente estória do Bap.Tista! :)
Bom fim-de-semana!
:)
Abraço

.linny disse...

hahahaha amei essa historia.
me fez rir pela manha de trabalho.

me explica uma coisa, vc foi no meu blog e disse que eu tinha que colocar outro post... pq um mais alegre... pq ? postei apenas um entrevista.

dice beijo

Zé do Cão disse...

Capitão, já contribui para esqueceres o emplastro.
A boa disposição é o melhor
Um abraço

Zé do Cão disse...

Fotografa, concordo em absoluto contigo. Há que sair do marasmo, a vida é bela, não devemos dar cabo dela.

tres bj para o fim de semana

Zé do Cão disse...

Depois de ver o teu blog, fiquei grog e apeteceu-me dar uma voltita no metro de superficie Esta está de mais.
Um abraço e volta sempre

Zé do Cão disse...

Linny, se conhecesses o Baptista fartavas-te de rir. Baixito, Barrigudito, com bigodito grande, dava bem com a Violante ele é que é um esquisito ou então tem medo do Demónia da Tasmânia.

Um bj e fim de semana feliz.

Olá!! disse...

Um verdadeiro galã o Bap.tista....
Pergunto-me se o BMW ainda cheirava a peixe hahahaha
Adorei a história Zé. Só de imaginar o "Baixito, Barrigudito, com bigodito grande" de cuecas de gola alta às pintas, parto-me a rir.
Beijossssssssss e bom fim de semana

.linny disse...

OI amigo, bom em relação a foto no meu blog eu posso ate mudar mais so quando eu tiver uma melhor e ate agora nao tenho...

vim aqui tbm te desejar um otimo fds, e vou ficar no aguardo das fotos de lisboa.

beijos

Zé do Cão disse...

Olá, sabias que ias gostar. Lembras-te das garafinhas da laranjina C ? As primeiras eram gordas, baixas como as laranjas.
Era mais ou menos assim.Olá!!
Eu ajudei a abrir algumas cartas. Uma delas era duma mulher de Abrantes que dizia assim, a seco, sem mais conversas. "Tire-me desta vida, que já estou farto de ver frigideiras, panelas e tachos à minha frente," Agora imagina, malta nova com o sangue na guelra, era rir, até não poder mais.

Zé do Cão disse...

Olá!! Se cheirava a peixe? e a tálos de couves, mais que certo. Ainda estás lembrada?

Rei da Lã disse...

Uma gaja que concorda com tudo, apenas para ter sustento, devia estar no museu da assembleia da república...

Templo do Giraldo disse...

Se tenho medo que os conterrraneos não gostem?? não nada disso, de facto quero puxar por eles, mas nem sempre é facil motiva-los a tecerem grandes comentarios Isto aqui também é uma pasmaceira:)) não se passa nada de especial, e como sabes o meu blogue tem como fundamento a informação da região entre outras coisas... Por aqui vejo que tens a "casita" bem arrumada como de costume.
Tem um bom fim de semana e aquele abraço fraterno.

Zé do Cão disse...

Rei da Lã.
Ás vezes são as necessidades que obrigam a isso. A vida é complicada e a Violante já tinha ido ao Canadá e não deu certo.
O texto foi feito para nos divertir..
o rsto vai passar ao nosso lado. Concordas?
Um abraço, como diz o Templo do Giraldo, fraterno

Zé do Cão disse...

Templo, com amizade, fica-te com esta
Este é o País da Pasmaceira, nunca acontece nada e como tal vivemos na Pasmaceira. Mas se tu quiseres, deixa de pensar assim e verás que há tanta coisa que pode ser abordada. Vou rapidamente contar-te esta.
Aqui há 3 anos fui convidado para descer o Guadiana, desde o Pomarão a Vila Real de Santo António, excursão organizada por Agencia de Viagens de Evora e portanto 90% das pessoas era da Cidade e Alentejanas.
Para uns foi um passeio e não há recordações, ou quando lhe falam dessa descida dizem assim. Já fui.
Visto por mim, teve os seus encantos.
A partida, a deambular por Mertola à procura de um café, o encontrar o Pomarão, já que o motorista se perdeu, o esperar pelo barco, a descida o isolamento, as crianças espanholas a dizer adeus, o barco que tinha assadores à proa e amandava com o cheiro a sardinhas e frango assado nas ventas da malta toda a viagem, os assentos que eram cadeiras de plastico sem estarem seguras ao chão. Em Vila R. Santo Antonio com calor à volta de 40º andar por ali à espera da partida do autocarro 3 horas, cada um para seu lado sem nada organizado e o regresso pela auto estrada com paragem para comer
(?)que nos levou uma fortuna em euros e só serviu para alguém ganhar comissão etc,etc.
Ora aqui está como é possivel fazer uma história, juntando-lhe a parte de humor porque também a tinha. E que podia fazer com que as coisas negativas fossem rectificadas.
Um abraço

caditonuno disse...

o homem do bigode farfalhudo ia sendo era castrado pela mulher... eh, eh.

Zé do Cão disse...

Cadito, o Gajo na garagem, deitado no carro em cuecas devia era sentir-se cadastrado.
Eu conheço a mulher dele, como dizem os brasileiros "Feia pra c. )
Um abraço

Tatiara Costa ; ) disse...

Nova por aqui****

Muito bom! Rs....

Abraço*

Templo do Giraldo disse...

Cá estamos novamente e desta vez para te dizer que vai fechar mais uma multi nacional aqui para os meus lados. Mais de 420 pessoas vão ficar sem emprego. e o que irá acontecer a esta gente?
Lamentar não é a solução.

Bom fim de semana.

cumprimentos.

Zé do Cão disse...

Tatiara Costa
Como é bom ter por aqui, alguém novo
e com humor.
Abraços e Beijos e aparece sempre.

Zé do Cão disse...

Templo, Já comentei isso no teu blog.
O governo prometeu 200 empregos, presumivelmente para os boys.
Todavia mais de 500 mil ficam desempregados e a malta aceita com uma resignação invulgar.

kuka disse...

E afinal o demónio soube da Violante ou pensou que o Baptista estava a mudar de clube?

Anónimo disse...

(ihihiihiihi)...Uma BANHA com cuecas às pintinhas..
èo que faz ir com muita sede ao pote(bem feito)...ihihh
Eu,esposa não ficava só na garagem,ficava isso sim,a pão e laranjas durante..bem...uns mesitos..foi pena a policia não os terem apanhado em flgrante delito, o o Ba ptista ter q olhar para a esposa a pagar caução d ecuecas na mão.

Um abraço:pandoarbox

Zé do Cão disse...

Kuka, como o Bap.tista era useiro e vezeiro nestas andanças, o demónio da tasmânia estava sempre de pé atrás.
mas, note-se o medo de se saber em desvantagem fazia que estivesse sempre em vantagem
Um abraço e também bom trabalho.

Zé do Cão disse...

Inaginando a cena do flagrante delito acabei por rir e maldosamente o ter desejado. Sempre era mais um motivo para eu acrescentar ao conto.
ahahahahah.......
Bj. e que para aí não chova

lua prateada disse...

Olá comentário giro e como fui ao blog da fotografa vi que havia feira na quinta dos Anjos, vindo eu do SUL e estando aqui bem pertinho aproveito para ir lá.Obrigada pela informação eheheh...
Feliz domingo para ti amigo e, passo outro dia com mais vagar
Beijinho prateado
SOL

Zé do Cão disse...

O.K. Achos que fazes muito bem, pergunta onde o estabelecimento do Horácio Simões, tem especialidade óptimas. Quinta do Anjo é uma terra pequena encantadora. Vê se consegues
comprar manteiga de ovelha. É branca e trata-se de uma delicia, que poucos conseguem. Tem um sabor de maravilha.
Aproveita, lua prateda.

Moyle disse...

ai Baptista, Baptista. apesar do nome está à vista quem saiu baptizado desta história :)

Zé do Cão disse...

Moyle, Ou foi da minha vista ou esta historia é mesmo do baptista.
Ainda sei mais umas dele. Qualquer dia, vai e são todas boas.
Nesta altura se calhar já ganhou juizo, também já tem idade para isso, ao contrário de mim que não há meio de o ganhar.
Um abraço

Moyle disse...

se é para continuar assim, juízo para quê? de qualquer maneira é um conceito castrador e demasiado sobrevalorizado (isto para não dizer totalmente desprovido de utilidade)

Zé do Cão disse...

O Juizo? Nesta altura será que alguém o tem?
Parece que nem no mundo há juizo.
Um grande abraço e ter juizo para fazer e manter amigos já é uma grande virtude.
Espero ver-te sempre por cá

vsuzano disse...

agora com a WWW é que tinha sido uma fezada....

abraço

Olá!! disse...

WWW é waiting, waiting, waiting....
Beijossssssssssss Zé :)))

.linny disse...

eu vivo assim zé.

beijos

p.s: nao recebo mais e-mail seus dando noticas...

Capriccio disse...

Oh senhor Zé!!! Esqueceu-se de por a bolinha vermelha no canto!!!
Gostei de ler, muito engraçado, mas esse seu amigo era um maroto. Um beijinho doce :)

Templo do Giraldo disse...

Pois é zé a delphi não é a fabica de coriça mas sim de mecanismos para portas de correr automatizadas e sistema de protecção de ocupantes para vários modelos de veículos automóveis. Isto é um pequeno aparte. De lamentar é a perdas dos postos de trabalho. Isso sim é de lamentar. A empresa vai continuar a laborar o seu artigo, mas noutro país.

Aquele abraço.

Anónimo disse...

(aproveitando a bolinha ao canto)


ò Zè,,,,juízo e força no GUIZO..EHHEEH

AGORA A SÉRIO;a Amizade duplica as alegrias e divide as tristezas.

Um xi-coração para ti:pandorabox

Zé do Cão disse...

Vsuzano e Olá. Desculpem-me de os juntar, mas só o faço pelo facto da resposta me deixar embaraçado. Espera? É que não a compreendo. Os cotas já têm dificuldade.
Um abraço e Bj. e um especial para o gajinho do brinquinho.

Olá!! disse...

Zé o que o Vsuzano queria dizer é que hoje em dia com a net as coisas seriam de maneira diferente.
E o que eu quis dizer é que com a net como anda a minha (lenta) teria de esperar mais tempo do que uma carta para arranjar um "partido" hihihi
Beijosssssssssss amigo

Zé do Cão disse...

Linny, porque tanto tristeza.
Lê o artigo de hoje da Tatiara Costa e tiras algumas ilações
Bj.

Zé do Cão disse...

Capriccio. Senhor Zé. Nada disso o Zé exige tratamento por tu. Não pretendo ser velho de nenhuma maneira.
O Baptista era malandreco mas lixou-se. Ainda tenho mais uma ou duas dele, que sderão aqui contadas a seu tempo.
Bj.

Zé do Cão disse...

Pandora. és uma querida. Que os teus o sejam também.
Que maravilha essa sempre boa disposição. Presumivelmente quem tira mais partido de tudo isto sou eu, porque tenho um linitivo extraordinário, com a vossa amizade.

Bj.

Zé do Cão disse...

Se seriam diferente! Mas ainda bem que foi assim porque podemos fazer comparações.
Quanto há lentidão da net eu ás vezes chego a desesperar, mas como o tempo me sobra, deixo andar sem bater o coração apressadamente.

Bj.

Zé do Cão disse...

VIRGINIA, Bom Dia. Como está Setúbal?
muita chuva, por aqui também.
Um bj.

Zé do Cão disse...

Olá!!
Já estou como a Net, lento, lento...
Agora é que vai a resposta.
WWW, claro, claro Vzusano, não era preciso por anuncio, mandar e receber cartas. Era tudo mais na berra.
E com a can, então o Baptista nem ía lá. Ou ía o gajo também tinha dose de maluco. Assim, um maluco bem parecido
Abraços, Bj tudo do melhor para vocês

ines disse...

Bom dia, Zé (do cão)excelente maneira de comçar o dia!
ahahhaah "Bap.tista, desde quando é que tu vestes cuecas de mulher e às pintinhas?", estou mesmo a imaginar a(s) figurinha(s)caricatas!

Zé do Cão disse...

E isto dito por mulher tão feia e com tal mau feitio, devia ser um espectáculo.
Bj.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá amigo Zé, tenho passado por aqui, muitas vezes... Nunca deixei comentário porque política não é o meu forte... Mesmo assim digo-lhe que gostei do que li... Gostaria de receber a sua visita aos meus quatro cantinhos, para fcar a perceber, porque nunca comentei o seu blogue, apesar de gostar de o ler!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Diabólica disse...

Adorei! Simplesmente genial, esse amigo era mm terrível!!! LOL

Bjos

darsh. disse...

eeeeeeei
vim agradecer os parabéns no meu blog. muito obrigada por lembrar! hehehe

beijoss!

ines disse...

Dizia eu no meu post d eonetm que tinha uma familia grande...

Nas festas devia ser lindo!!! (hoje em dia, um singelo jantar dá 25 á mesa)

Zé do Cão disse...

Fernanda & Poemas. Já lá passei. Que talento. Será que essas ilhas contagiam os conterraneos?
Passe sempre, comente ou não é sempre bem vinda.
Sei que sou um tonto, paciencia

Bj. e até talvez um dia na ilha.

Zé do Cão disse...

Diabólica, boa visita. O Baptista era terrivel, mas também passou coisas terriveis.
Lê o conto "Mistérios de Lisboa" em que recebeu uma lição, que não lhe serviu de emenda.

Bj, aparece é sempre bem vinda

Zé do Cão disse...

Darsh, não esqueci, não. Para que servem os amigos?
Pelos vistos as amigas faltaram à festa?
Bj., vou até lá

Zé do Cão disse...

Inês, pelo menos não era muito cáro, porque uns traziam o pão feito no seu forno, o meu pai dava a pingola, pois era entendido e fabricante, o meu avô era cabreiro (e tenho muita honra nisso)minha mãe com 6 anos vendia queijinhos frescos no porta a porta depois de de madrugada percorrer aí uns 20 Km a pé (ída e volta)para os trazer, sózinha, por azinhagas e ainda noite.
A vida era dura, eu e meu irmão, não tivemos berço de ouro mas consideramos que sim.Não sei o que é andar descalço. Só na praia.
Bj.

Templo do Giraldo disse...

Porra Zé, que imagem mais sugestiva .Até o "Bófia"ficou estupefacto.No nosso tempo a história descrita não faz sentido.
Continua.
Um abraço

São disse...

Ainda lhe deveria ter acontecido bem pior!!
Saudações.

Anónimo disse...

TU MERECES!!!!!!

E sim as minhas Meninas(2 adolecentes) são como eu GRATAS À VIDA..têm um humor im pouco mais refinado e elegante q o meu...a e vitória(a tal dama pró teu vagabundo)tb começa a entender esta familia maluca..

Um abraço:pandorabox

Zé do Cão disse...

São. Ainda pior, coitado. Dormir no pópó, ainda que fosse verão, com de cuecas à pintinhas, sem vontade de dormir, não fosse a mulher dar-lhe uma furia e vir tirar desforra, já foi castigo bastante no ocasião. Se me der na bolha, qualquer dia conto outra dele denominada "dança com Arábes" que julgo fará as delicias dos meus visitantes.
Haver vamos
Saudações e Bjs.

Zé do Cão disse...

Pandora, na primeira ocasião e no ar, julguei 2 moçoilas, depois não sei porque, julgava estar enganado e passei rapazões, afinal agora definitivamente vejo que são as tais moçoilas, jovens, bonitas (peca certa) e com humor.
A Vitória, deve ver-se aflita com os puxões nas gadelhas que as meninas lhe fazem, não?
Sei pelo que li que as meninas são atiladinhas, bem comportadas. É o melhor consola que podem dar aos pais.
Nesse aspecto sou um homem também feliz. Os meus 25/27, solteiros, com profissões bonitas, ambos fora de casa, nesta altura Coimbra e Braga, são exemplares.
Um Bj. grande

foryou disse...

:) confesso que pensei desistir de ler tão longo texto, mas... caramba está bem escrito, bem pensado (não faço ideia se é real ou ficção, parti da 2ª hipótese), a descrição é tão pormenorizada e cuidada que se consegue vizualizar a cena. Et voilá, não desisti (ainda bem). Até porque tudo regado com uma dose de humor, cativa-me sempre a leitura.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé do Cão
Uma longa história com todos os condimentos.
Estou a imaginar o Baptista com as cuecas às pintinhas e o triste mamarracho que lhe saiu na rifa.
És um contador de histórias ímpar.
Vir aqui é um regalo.
Abraço apertado

Zé do Cão disse...

Silencio
Há visitas que não dispendo, evidentemente que tu és uma dels.
Um Bj, muito forte.

Zé do Cão disse...

Foryou, meu caro amigo, podes afirmar e ter a certeza que o caso é veridico tal como os "Mistérios de Lisboa" em que o Baptista também é o actor principal. Aliás todos estes contos são veridicos, tendo eu o cuidado de alterar nomes e ás vezes os locais.
Todavia, nestes dois ele chamava-se mesmo Baptista, com "p" e tudo.

@nn@ disse...

venha buscar, tem prémios !

fotógrafa disse...

Zé, obrigada pela visita...um bom dia para ti
abraço

JOY disse...

Amigo Zé do Cão

È o que dá o Bap.Tista ter a mania que é D Juan. Hilariante esta história ( lol)

Um abraço
Joy

Olá!! disse...

Zé, hoje está a ser dia de prémios mesmo.... se fosse dinheiro não "chovia" tanto... hihi
Deixei um prémio para ti no meu cantinho.
Beijo dos grandessssssssssssssss

Rei da Lã disse...

Estou cá com uma destas sedes...

Zé do Cão disse...

ANA, obrigado pela lembrança. Veio via Madrid autocarro, ou directo Paris, Lisboa.
Já corri mundo de muitas os formas e maneiras, mas de autocarro nunca fiz uma viagem, com mais de 400 km, qualquer dia meto-me à aventura e seja o que Deus quiser. Prgunto. É agradável? Não é incomodativa?
Muitos Bj

Zé do Cão disse...

Joy, é bom ver-te por cá. O Bap.tista
é uma ferramenta dos diabos.
Já não o vejo há um tempão.
Os unicos contos que eu não altero os nomes são os do Bap.tista.

Um abraço

Zé do Cão disse...

Óla! fico todo derretido, como o gelado e ainda não estamos no verão.
Gostei muito, muito daquele prémio especial para uma certa pessoa também muito especial para ti. Merece-o?
Tenho a certeza que sim, de outra forma ele não seria atribuído.
É um felizardo.
Bj. e um abração para ele.

Zé do Cão disse...

Rei da lã, sede de quê. Cerveja, pinga boa? Por acaso agora também bebia alguma coisa, nem que fosse um copo do tinto de "Ermelinda de Freitas".

A propósito, sabes que esta senhora recebeu agora um prémio a um dos seus vinhos, como a melhor pomado do Mundo?
E que é aqui da minha região?
Pois um abraço

Anónimo disse...

Òooo Zéeeeee a tua garagem(farto-me de pensar)sossega a malta!!

Já fiz viagens de autocarro a última à Alemanha,uma maravilha,para quem tem espirito e tal como tu e eu gostamos do "povo", temos sempre belas estórias...experimenta vais gostar (digo eu!)

Um abraçoPandorabox(ah o teu filho ñ está no seminário..pois não??!!??(Braga)

Zé do Cão disse...

Pandora. Obrigado, na realidade estou sempre preocupado quando chove. Vou contar porquê. Junto à minha casa existe uma Estrada Nacional que tem dois aquedutos paralelos, linha de àgua. Inteligências espertas, fizeram aterros,ruas, esgotos e taparam os aquedutos, como a água não circula, para algum lado tem de ir e então inunda as garagens. Mas o mais curioso é que foi tudo aprovado pela Camara Municipal de Setúbal. A Camara não tem dinheiro para mandar cantar um cego mas um construtor que até não tem nada com isso já ofereceu 250 mil € para ajudar a resolver a questão. E nem mesmo assim a Camara resolve.
Viagem; eu tenho um horror tremendo ao avião e só de há 5 anos para cá
tenho usado, mas sempre com o credo na boca. Eu queria ir rever a Austria mas de automovel. A patroa faz-me esta proposta. Vamos de férias para as canarias (alvitrei logo o barco)e vamos de carro à Aust. (Porque ela destesta o pópó).
Aceitei, fiz o sinal da cruz (não sei se bem feito), pensei, com a idade que já tenho que se lixe.
Só ás canarias já fui 5 vezes. E ela depois cortou-se.

Filhos. O mais novo é Eng. Informatico e em Setembro vai para
"Os Bifes". O mais velho é Médico e está no Hospital de Coimbra.
Viviam os dois em Braga, na mesma rua em casa diferentes. É que fomos para Braga, quando um tinha 3 anos e o outro 5, estivemos lá 20 anos, até que em 2003 voltamos ás origens. A mãe não é capaz de se deitar sem falar com os bébés. Sinceramente são uns amores, respeitadores, mas o mais novo é um brincalhão, tem a quem saír.
Quando pequenos andaram num colégio de freiras lá em Brag.
A mulher do Zé é medica. Digo-te do coração, temos paixão.
a vida do zé (é mesmo o meu nome)é um livro aberto.

Bijinhos para as 3 mulheres dessa casa.

luafeiticeira disse...

Que bela gargalhada. Adorei a história que sendo real ou não é descrita com uns pormenores que só falta passá-la para a câmara.
beijos

Zé do Cão disse...

Luafeiticeira, podes acreditar que é mesmo real.O Galã foi meu sócio e esta é tão real como como os "Mistérios de Lisboa", cujo protagonista é o nosso Bap.tista.
Lá mais para frente e também com ele contarei "Dança com Arábes"
Um beijão

ines disse...

Zé, um grande xi... é só o que te posso dizer!

(ontem valeu o "jonas" senão...)

Popper disse...

Pois é Zeca, que hei-de dizer dp do q está dito. Acho q deves investir na ficção. Um abração, meu.

Rei da Lã disse...

Senhor José:
Aceito tudo menos água.

Olá!! disse...

Zé um bom fim de semana amigo
Beijosssssssssss

Templo do Giraldo disse...

Passei por aqui para dar uma espreitadela ao teu espaço.Por aqui continua tudo animado como é habito.

Quero também desejar-te um bom fim de semana.

SAUDAÇÕES.

Zé do Cão disse...

Ines. Era de calcular, eles eram melhores.
Resignemo-nos e melhores dias virão.

Bj. e um abraço ao "Jonas"

Zé do Cão disse...

Popper, quando já não tiver contos reais, vou tentar a ficção. Mas juro-te que todos os que até agora aqui descrevi, foram reais.
Olha para a semana temos "Passarinhos na frigideira".
Na tua vida já houve cenas de serem contadas, ou não?
Um abraço e volta sempre

Zé do Cão disse...

Rei da Lã. Percebo, mas olha que a água em garrafas pequenas é mais cara do que a gasosa dos arabes.
Prometo que quando estivermos juntos, levo uma pinga que te deita abaixo com 2 copos. Tu deves ser como o Jacinto, tanto vai branco como tinto, ou não?
Um abraço rei

Zé do Cão disse...

Templo, já tinha passado por lá, mas não sou conhecedor de asuntos relacionados com a cultura.
Brutice é comigo.
Um abraço bfs

Zé do Cão disse...

Olá!1 Folgo por julgar que vais dar uma passeata, mesmo ligeira com o maridão e o "brinquinho". Ou já está na idade de fugir e escapar dos pais?

Um beijãooooo......

Rei da Lã disse...

É isso, Sr. José!

Rosé é que não vai nem ao empurrão...

Obrigado pela disponibilidade

Cumprimentos

Anónimo disse...

QUEM SAI AOS SEUS NÃO DEGENERA...nada admirada(FELICIDADES para eles ao longo da vida)

caguinchas!!ter medo de avião..onde se viu(carro muito mais perigoso,nem sabes o q perdes.

Tb estudei no colegio em Braga(teresiano) só q dei um TAREÃO a uma freira e fui expulsa fui parar a Coimbra(colegio Rainha santa Isabel(ñ achas giro semelhente coincidência?rsrrsrr


BOM FIM DE SEMANA(um xi para a PATROA)

um abraço:pandorabox

Zé do Cão disse...

Rei
Também é coisa que não bebo.
Verde da pipa sem o americano misturado também é de 'stálo.

Quanto ao Sr. fora com ele que me sinto mal.
Cumprimentos, com venia e chapeu com plumas na mão, alteza do tinto.

Zé do Cão disse...

Caixinha de surpresas.
Coicidências é comigo, tenho tantas e algumas a parecerem impossiveis. Só contadas.
Com que então, no teu tempo escolar já havia indisciplina? Tá Bem, tá.
Obrigado pelo Xi, sorriu.
Na proxima 2ª feira, vai haver "pas-
sarinhos na frigideira", uma hostoria simples e verdadeira, como todas as outras, dos meus 7 anos.

Bj.

Fátima disse...

Amigo,

Que história hein!!!
Realmente divertida...

Bom fim-de-semana!

:-) um abraço

Foxy disse...

Impagável! Não sei como ainda não tinha encontrado teu espaço!!!


Keep up the good work

fotógrafa disse...

“Um cobarde é incapaz de demonstrar amor, isso é previlégio dos corajosos”.
(Gandhi)
Hummm…pensamento interessante…
Passando para desejar um bom domingo
Abraço

Zé do Cão disse...

Fátima. Obrigado pela visita. O gajo sempre foi um malandreco. Coitada da Violante, lá ficou desamparada.
Que i resto do fim e o principio da semana te sejam risonhos.
Um bj.

Zé do Cão disse...

foxy. Nestas coisas da net, quando navegamos sempre encontramos algo novo.
Obrigado pela visita e podes voltar sempre que quiseres, a porta estará sempre escancarada.
Um abraço

Zé do Cão disse...

Fotografa, o Bap.tista sempre foi um
fulano de sangue frio como os repteis
Está tudo dito, não?
Talvez mais tarde e com um pouco de inspiração, tenha outra história com ele ,mais uma vez a ser o protagonista, que se a fizer lhe darei o nome "Dança com Arábes".
O resto de fim de semana em Beleza, é o que te posso desejar.
Um Bj.

Anónimo disse...

Não foi uma atitude insurrecta,mas sim de justiça e verdade

No colegio por x meninas ricas havia y pobres(muito poucas) uma freira estava a maltrata-la com ingustiça e mentira..intervi,o raio da freira queria dar-me uma tareia...ora ou eu ou ela,e disse-lhe se der um passo eu sou expulsa mas fica quentinha(livre arbitrio ora) ui..ficou um santo cristo..


Boa semana.pandorabox

Olá!! disse...

Caramba faltava aqui um para atingir os 100 comentários... gosto de numeros redondos hahaha
Beijos Zé

Zé do Cão disse...

Vou responder só por causa da capicua.
Bj também. Quem que então foi de Caixão à Cova? Que maravilha e que pena, meu Deus.

Bj.