11.12.12

O Natal e a Feira da Ladra




Ai...ai...os meus 15 anos. O continuar a descobrir Lisboa. A pastinha debaixo do braço, não, não tão carregada como as dos estudantes de hoje, que em vez de estudantes mais parecem burros de carga, tal a quantidade de livros e cadernos que elas contêm.
A minha levava somente os livros correspondentes às aulas do dia, e viva o velho.
Durante muito tempo ouvia os meus colegas falarem da Feira da Ladra, lá para os lados de Santa Clara, local que nem sequer sabia onde era  e Feira onde julgava que tudo se vendia e roubava. Até que um dia, bem perto do Natal, lá parti a uma terça-feira à descoberta de novos horizontes, talvez procurando alguma lembrança para colocar no sapatinho. Já sabia que nas carreiras do eléctrico 28 com destino à Graça, os carteiristas eram ágeis no furto das carteiras colocadas no bolso de trás nas calças, coisa que nada me assustava, pois eu, pobre de mim, tinha um porta-moedas de cabedal em forma de ferradura, colocada sim, no bolso das calças de lado, a coberto das razias que faziam esses larápios. Era muito espertinho, pensava eu, com os meus botões. Afinal, não passava de um campóniozito de trazer por casa, e que presumivelmente ainda não tinha passado em frente ao Mirador de Santa Luzia, já estava sem ele. E o pior é que tinha no seu interior somente uns "tustos" para acorrer a uma eventualidade urgente e mais os bilhetes para o regresso a casa, já que, aqueles davam para a ida e volta e serviam exclusivamente para estudantes.
Ainda hoje é uma viagem extremamente atribulada com enormes encontrões, dado as muitas curvas que as linhas contêm, ao percorrer as vielas que separam a Alfama de S. Vicente, aliados aqueles que os carteiristas forçam de forma a facilitar o seu trabalho. Por falta de lugares sentados, seguia de pé e a dada altura, encontro para a direita encontro para a esquerda, estou situado na coxia central, cumprimido  como sardinha na lata da marca "Tenório" e sentia na minha perna uma pequeno comichão, que julgava saber serem das barbas do dito. Afinal o larápio colocou os meus sentidos em banho maria, e passei a partir daí a estar mais leve do bolso direito.
Em pé, agarrava com a mão esquerdo o pegador do banco, onde uma senhora já de meia idade, is sentada, naquele assento feito de uma palhinha muito fininha e brilhante, um luxo pensava eu. A Senhora não levava estola de pele, mas digo-vos que era moda, era fino, presumivelmente não se atrevia a levá-la para a Feira da Ladra, se é que a tinha. Na sua cabeça imperavam os cabelos grisalhos, já muito esfarrapados, notando-se algumas falhas, mas muito arranjidinho e penteado com esmero e cuidado. O tal encontrão propositado do carteirista desiquilibrou-me e eu na tentativa de me segurar, coloquei a palma da minha mão direita na cabeça da senhora. Coitada deu um grito de aflição, e eu pedindo desculpa, sentindo uma coisa estranha, levantei a mão, saltando da sua cabeça um pequeno rolo de palha de aço da fina, que a senhora disfarçava muito bem, presa com ganchos, entre o cabelo para não se ver as falhas daquele.
A vergonha e a humilhação que aquela mulher passou, ao ver-se desmascarada e com a careca à mostra, com o eléctrico cheio de passageiros a rirem por tão insólito acontecimento, fez com que o abandonasse , com receio de apanhar algum tabefe disparado da sua mão com rugas.
Faltavam ainda algumas paragens para chegar à Igreja de S. Vicente de Fora, mas desisti de continuar, pois a partir daí fiquei atrapalhado a pensar no regresso e a maneira de atravessar o Tejo com destino à terra dos burros (Cacilhas). Lá recebi as graças de um marinheiro do Tejo, que me facilitou o transbordo.
Ao menino e ao borracho, Deus põe a mão por baixo

28 comentários:

Maria disse...

Zé amigo, que falta me fazem as tuas aventuras e desventuras, sempre com o fim feliz!
Pobre mulher! Ficou sem "cabelo" e ainda foi alvo de chacota. Tu, como sempre, lá te safaste.
Vem mais vezes.
Beijinho
Maria

Mariazita disse...

Eis a resposta ao teu comentário que deixei no blog
HISTÓRIAS DE ENCANTAR

Zé, meu querido amigo
Não imaginas a alegria que senti ao “ver-te” aqui.
E com esse braçado de flores (das cores mais variadas…)! Só mesmo a tua gentileza, que não é segredo para ninguém, te faz proceder assim.
Obrigada! Apenas Obrigada!
Um abraço do tamanho do mundo.
11 de Dezembro de 2012

Zé do Cão disse...

Maria

Com a nossa idade já nos vai faltando o cabelo e não é nada agradável sentir o frio gelado do inverno na moleirinha.
Já tentei der um jeito com palha de aço, visto ao especial, confesso não gostei, acho que vou mandar vir um gorro da terra do Alberto João, mas daqueles que tapem também as orelhas, ao menos não oiço os disparates dos governantes.

Beijo e que as festas que se aproximem façam felizes, aqueles, para nós contentem-nos com as sobras


Zé do Cão disse...

Maria
Pelos vistos, já não bato bem a "Bola"
Queria dizer
Já tentei dar um jeito com palha de aço, visto ao espelho...

... festas que se aproximam...

Zé do Cão disse...

Mariazita

acaso não te vai faltando o cabelo?
E porque não um jeito com palha de aço?
Se o cabelo estiver mais escuro, até pode ser com a palha já usada de limpar o fundo às panelas de alumínio.
Quanto ás flores, dadas assim, nunca murcham por falta de água.
Beijo

elvira carvalho disse...

Mais uma encantadora história cheia de humor. Que saudades já tinha delas.
Um abraço e muito obrigada por nos ir deliciando com estas maravilhosas histórias ainda que seja só de vez em quando.

Zé do Cão disse...

elvira
minha amiga, obrigado.
Acho que andamos todos tristes e que o Natal este ano, nem me parece Natal.

o meu abraço grande

Magia da Inês disse...

º° ✿ ·.¸.•♪
Desta vez eu te desculpo, o "elétrico" era como a sardinha Tenório, a viagem atribulada com encontrões, a pobre senhora não tinha culpa de ser careca e nem tu de desequilibrar.

Mas... tu ias para a "Feira da Ladra", o próprio nome dessa feira já envolve riscos...

Adorei o humor e a facilidade com que li esse conto.
Que bom que tu voltastes a escrever!

Espero, sinceramente que continues a escrever, tu és muito bom nisso.
Beijinhos.
º° ✿✿

Zé do Cão disse...

Que o Natal que se aproxima, ilumine os teus sonhos.


Beijinhos

Mariazita disse...

Lembras-te, certamente, do ditado:
Um burro carregado de livros é um doutor.
Hoje os alunos trazem ás costas uma carga pesada de livros, e estás a ver o resultado :)

Quanto ao roubo de que foste vítima, enfim, acabou por não causar dano de maior.
Pior foi a pobre senhora careca ficar sem o seu capachinho de arame...
Mas sabes que eu lembro-me que houve uma época em que as senhoras usavam uns penteados com os cabelos armadíssimos, e usavam a tal de palha d'aço para fazer volume. As próprias cabelereiras a colocavam nas cabeças das clientes.
Eu nunca usei nada disso, mas lembro-me.

Pois a Senhora de Fátima terá ou não protegido os peregrinos...depende do ponto de vista (sobretudo da fé) de cada um.
Felizmente só houve feridos...

Aproveito já para te desejar um feliz Natal e um Ano Novo melhor do que o que nos vai deixar... tanto quanto possível junto dos teus entes queridos.

BeijOOOcas

Anónimo disse...

Mariazita

Sinceramente não sabia que isso era prática corrente.
Cheguei a julgar que pensavam ser isso minha invenção para colorir o meu conto.
Vieste em meu socorro, os amigos são assim.
Também uma época o melhor passada na companhia dos anjos da guarda, do menino, seus arautos e da família.
Quanto aos burrinhos, não vale a pena falar deles, o nosso País está cheio deles, só o pior é que
estão todos em lugar de relevo.

Beijos

Zé do Cão disse...

qual qnonimo qual quê.

Sou eu, vivinho da silva que fiz o comentário anterior

Pascoalita disse...

ahahahah ver "o Zezito assim, disfarçado de anónimo" lembra-me que o Carnaval já espreita ali na esquina ahahah

Mas que agradável surpresa ver-te aqui de novo com mais uma das milhentas façanhas do nino zé na descoberta da capital, hen?

Parece que estou a ver-te nessa viagem atribulada, entalado entre o varão e o larápio e no "tem-te não caias", as opções não seriam muitas, pelo que escolheste apoiar-te na cabeça da velhinha gaiteira e "descobrir-lhe a careca" ahahahah

Durante anos acalentei o sonho de um dia visitar a feira da ladra, mas como esta era às Terças Feiras e eu trabalhava um pouco distante, nunca me aventurei e aos Sábados, dia em que creio também havia feira, os afazeres domésticos não permitiam sequer lembnrar-me de tal anseio ...

jinho grande

São disse...

rrsss rrsss

Ora ainda bem, que de vez em quando decides vir aqui recordar alguma das tuas peripécias!

Nem imaginas a falta que fazes, Amigo...

Abraço apertado, com votos de sereno solstício de Inverno, boas festas, natal de amor e paz e um 2013 bem melhor que 2012, junto a quem amas.

Magia da Inês disse...

¸.•°♡⊱彡


Que o menino Jesus continue abençoando a vida de todos nós.
Beijinhos.
Brasil ✿ °•.¸


(⁀‵⁀,) ✫✫✫
.`⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫✫
.•°*”˜˜”*°•.✫✫✫ MERRY CHRISTMAS!

Kim disse...

É por esta e por outras que não me meto no 28! É que a minha peruca podia ser descoberta. Coitada da senhora.
O Zé, tu tens esse condão de procurar situações insólitas.
Um grande abraço e Feliz Ano Novo

Mariazita disse...

Meus votos para 2013:

"Que tenhas felicidade bastante para que possas suportar os momentos tristes; dificuldades para que venças e te fortaleçam a cada luta; sonhos para que busques a cada dia um novo objectivo; amor que te aqueça a alma; e esperança, sempre, para que não te falte o desejo de viver cada dia melhor, todos os dias.
O que a vida quer de nós é simplesmente coragem!"

FELIZ ANO NOVO!!!

Magia da Inês disse...


¸.•°♡♡⊱彡

░Ӈ░ƛ░Ƥ░Ƥ░Ƴ░

Ɲ░Є░Ɯ░

Ƴ░Є░ƛ░Ʀ░ !

¸.•°♡♡⊱彡

Pascoalita disse...

Continuação de Boas Festas ... que o Novo Ano comntrarie as previsões e nos brinde com uma mão cheia de coisas boas.

Ei só anseio que passe bem depressa ...


jinhos

Green Knight disse...

Oi! Zé Amigo!Era mesmo assim em Lisboa.Estive a fazer contas à nossa diferença de idades e nessa altura estava na Solmar.Se te contasse quantas vezes o troley do cabo elétrico vinha abaixo,por causa do trinca bilhetes dar com o alicate nas mãos por causa da pendura, em cima do engate de reboque e pela janela de trás quando o eletrico embalava aí vinha ele.Claro que o cabo vinha abaixo. Um abraço e bom fim de semana Jrom

Magia da Inês disse...

"Não importa o ontem, tu ainda tem o hoje e o amanhã.
Bom fim de semana!
°º✿✿ Beijinhos do Brasil
°º✿
º° ✿✿° ·.

Milu disse...

Olá Zé :D

Tens FacebooK?
Saudades!

Mariazita Azevedo disse...

Não gosto de usar “copy & paste”, mas a necessidade a tal me obriga.
Recorro a este sistema porque é a única hipótese que tenho de agradecer, atempadamente, a todos que me acompanharam e dispensaram o seu o carinho numa data para mim tão importante. Não tem a mínima importância que alguns de vós não tenham vindo no próprio dia. No dia seguinte ou nos seguintes tem, para mim, igual valor. A vossa amizade é-me preciosa, SEMPRE.
Como se mete agora um fim-de-semana comprido (feriado dia 10 de Junho - «Dia de Portugal»), só na próxima semana começarei a visitar cada um separadamente. Mas não deixarei de o fazer a todos.
Entretanto deixo um GRANDE “Obrigada”!
Beijinhos

Mariazita Azevedo disse...

Meu querido amigo Zé
Imagino que dês aqui um saltinho de vez em quando...
Se não vens, não podes ver o meu agradecimento pela tua presença na minha «CASA», comentando o último post, de 14/07.
Gostei das tuas palavras, com as quais concordo inteiramente.
Será que não acontece nada de bom no mundo para ser noticiado pela TV? É só desgraças...

Bom fim-de-semana, meu amigo.
Beijinhos

Mariazita

Mariazita Azevedo disse...

Muito obrigada pelo carinho da tua presença no «LÍRIOS».
A autora do poema, a minha querida amiga Lúcia Barbosa, ficou, também, sensibilizada, o que me manifestou por email.
Eis as suas palavras:
- “Deslumbrei-me com o blog, com a publicação do meu poema, com os comentários tão preciosos. Jamais poderia supor que estas pessoas apreciariam o que me caiu da alma em um desses repentes que vai se saber porque acontecem. Fiquei feliz e comovida. Não tenho palavras para lhe agradecer a honra da bela publicação e a gentileza de seus amigos para comigo”.
É, pois, em nome das duas que eu te digo: “Bem hajas”.
Beijinhos
Mariazita

PS – Desculpa o “Copy & Paste” mas, com as idas à praia, o TEMPO fica muito curtinho… :)))
Voltarei. Fica me aguardando…

Magia da Inês disse...

✿✿·.

Assim não tem graça, volta a escrever Zé do Cão!
Bom fim de semana!
Beijinhos do Brasil.¸¸
.•°♡♡

Mariazita Azevedo disse...

Meu querido amigo Zé
Hoje venho muito rapidamente trazer-te um recado:
"Alguém", que não se esquece dos amigos, deixou um recado para ti no meu blog, no último post.
Terás que ir lá ver porque não vou dizer-te quem é... :)))
Surpresa é surpresa...

Um beijinho muito amigo
Mariazita
(Link para o meu blog principal)

Mariazita Azevedo disse...

Meu querido amigo Zé
Tenho que ler esse texto que referes! Não o posso perder por nada desse mundo…
Tens razão nas tuas observações. Na vida há situações tão diferentes umas das outras que não podemos, nunca, generalizar. E muito menos dizer: desta água não beberei!
Que a vida te sorria sempre, meu amigo.
Um beijinho muito GRANDE
Mariazita
(Link para o meu blog principal)