15.11.10

Hotel Estoril Sol


Decorria a época de Páscoa do ano de mil novecentos e setenta e oito, e a revolução ainda estava a fazer os seus efeitos. (não admira, ainda hoje a sentimos)
A "Macieira" empresa portuguesa de origem familiar que dava o nome à aguardente do mesmo nome de 3 e 5 estrelas, representava no nosso País a maior empresa de bebidas espirituosas do mundo.
Uma das firmas em que o Zé se entretinha a ganhar a vida, nesse ano teve um volume de vendas em bebidas a ultrapassar um milhão de contos. Era obra, e demonstrava alicerces de estabilidade. Anos mais tarde, caiu como tantas outras e hoje já nem existe.
Esta firma, foi convidada, bem como outras do nosso País para estarem presente com os seus vendedores, durante quatro dias num seminário, que se realizaria no Hotel Estoril Sol ( que mais tarde foi demolido para dar origem a um outro complexo hoteleiro). Estiveram presentes empresas do norte a sul, incluindo Açores e Madeira, mas a empresa do Zé batia o record, com uma presença de vendedores a rondar os quarenta e cinco.
O Zé não sendo vendedor fazia parte do "staf" administrativo e na quinta feira aprazada, na sede da empresa juntaram-se todos os indigitados para seguirem ao mesmo tempo, a caminho do Estoril. Ainda se pensou no aluguer de uma camioneta, mas optou-se pela utilização das viaturas particulares, aproveitando alguns, boleias dos colegas.
Evidentemente, para uma estadia de quatro dias, é óbvio que cada levaria uma mala ou saco com os seus apetrechos de higiene e alguma roupa para muda.
Aquele dia de primavera estava bonito, com um sol radiante, mas com vento forte.
O Vasques chegou cedo, trazia uma mala enorme que mais parecia um "molaflex" e ia esperando a chegada de outros colegas. A mala despertou-me a atenção pelo seu tamanho e pensei com os meus botões « Serás que o Vasques vai até Moçambique?» e sem ninguém dar por isso, meti o nariz para ver o que tinha dentro. Apenas duas camisas e um estojo de barba. Creiam que relato a verdade, apenas duas camisas o que quer dizer que dançavam dentro da mala. Logo naquele momento tratei de pensar qual a partida que lhe faria. Fui buscar jornais, das suas folhas fiz bolas, muitas, muitas bolas e metias dentro da mala, com a certeza de que não daria por isso dado não haver grande alteração de peso. E na realidade não deu.
Partimos, passamos a ponte sobre o Tejo e quando chegamos ao Hotel, debaixo daquela monumental pala que existia frente à porta, um porteiro de sobretudo verde, cheio de galões e boné abria a porta para os passageiros saírem pegava nas malas, colocando-as na escadaria, onde os paquetes as vinham buscar para as levar aos quartos depois de fazer a sua identificação. Para quem não conhece, estou a falar do Hotel mais importante de Portugal naquela altura.
Quando chegou a vez do carro Nissan onde se transportava o Vasques, este saiu, retira a mala da viatura e o referido porteiro deita a mão ao "molaflex" e quando se dirigia às escadas, aquela abriu-se, cai as duas camisas e o estojo de barba, as bolas feitas com as folhas dos jornais atiçadas pelo vento voam por toda a parte e a cara do Vasques num segundo mudou de cor uma série de vezes.
O porteiro ficou siderado, meteu a mala nas mãos do Vasques e diz-lhe que não está ali para brincar e que o Hotel é um local de respeito.
Eu que tinha feito a partida e que nem sequer sabia como iria acabar, fico muito sério, enquanto outros colegas do Vasques desatam a rir, e alguns não achando graça demonstram o seu desagrado.
O Vasques dominando a sua ira, olha muito sério para o condutor do "pópó" onde tinha ido e diz assim bem alto. Eu não te disse que perdias a aposta. Eu não te disse que era capaz de fazer isto e que o porteiro não ia apanhar os papéis. Rebenta gargalhada geral e todos ficaram a pensar que tudo aquilo não tinha passado de uma brincadeira entre eles.
No entanto, uma hora depois, num dos corredores do hotel diz-me assim. «Ó Sr. José, se eu soubesse quem me fez esta partida, garanto-lhe que já não levava a mala para casa. Enfiava-lhe pelos cornos abaixo». Até me doeu a barriga de rir tanto, que deu aso a que me perguntasse.« Não me diga que foi você»
Vasques, eu era lá capaz de fazer uma coisa destas, isso são brincadeiras de mau gosto e demais num sitio destes...
.

52 comentários:

São disse...

rrrs rrss rss mais uma divertida estória que ajuda a começar bem o dia rrss

Um abraço grande, amigo meu.

Osvaldo disse...

Ai, Zé, Zé... quase que o Vasques te metia dentro da mala e lá ias tu pra Moçambique...
É bom rir à segunda-feira, porque uma boa gargalhada é como os charutos d'Havana,... dá p'ra toda a semana.

Grande abraço, caro amigo Zé e em breve lá nos encontraremos em Sintra... não é?.
Osvaldo

Zé do Cão disse...

São
querida amiga
E não é que me lembrei desta, esta manhã.

Beijokitas

Zé do Cão disse...

Osvaldo.

Aventuras é comigo. Vê só se ele descobria que tinha sido eu.

Se Deus quiser...sim.
Lá estarei. É no Palácio da Pena ou no da Vila?
Pronto, pronto, já sei, é em Seteais.

Lá tenho que levar a mala do sonho, com dinheiro "acordado"
abraço

Parisiense disse...

Pois na verdade com tanta patifaria que fazias aos outros, não haverá por ai no teu "sotão" algumas que te fizeram a ti??????

Tu eras levado do "arco da velha" como se diz cá para estas bandas....ahahahahah

Mas tiveste sorte em não ter levado com a mala.....lá isso tiveste....

Beijokitas

Pascoalita disse...

Ahahahahahah ahahahahahaha ahahahahahahah

Ganda maroto me saiste!!! Mas tu s sonhava-las de noite para as portres de dia em prática???

Mas olha que o Vasques se saiu muito bem no retrato. Aposto que até te surpreendeu, hen???

Conheci esse hotel, sabes? Durante uns 15 dias fui lá almoçar diariamente!!!

Em 1972, era babysitter de uma criança cujo avô, em senhor russo, era o chefe de pessoal do hotel.

Eu levava a criança à praia e iamos almoçar ao hotel eheheheh

Engraçado, não retenho na memória nada ... apenas me lembro que me senti deslumbrada com a decoração da sala e das mesas e lembro-me de ter pensado:

- "Para quê tanto requinte a enfeitar os pratos"?

Tens cada histório ahahahah ahahahah que é feito do Vasques???

Zé do Cão disse...

Parisiense
Isto eram coisitas pequenas.

as grandes tenho vergonha de contar...
ahahah...
beijokitas

Zé do Cão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé do Cão disse...

Pascoalita
Olha que o filha da p.. do Vasques lixou-me bem lixado.
Foi ele que me vendeu a casa de Azeitão onde houve as cheias e tive de dar de "frósques".

ahahah...

Cá se fazem, cá se pagam.

Zé do Cão disse...

Pascoalita
Em 1976 o Zé morava em queijas e a "Dona" trabalhava longe.
O Hotel Estoril Sol, tinha um programa a que chamava "Sua Esposa é nossa Convidada" . Fim de semana, desde Sexta a Domingo ao almoço, com jantar no sábado à noite no casino e espectáculo. Só o pagamento de uma pessoa. De 15 em 15 dias estava lá caído. Era uma doçura
biquinhos

Mariazita disse...

Depois da "compressão" que foram estes últimos dias... nada como um texto do nosso Zé para descomprimir.
Até a alma fica mais leve!
É claro que eu continuo a pensar que malandrices eram contigo...
Quam mais se lembraria de pôr bolas feitas com jornais na mala do pobre Vasques???
É também claro que, como de costume, a sorte esteve pelo teu lado, fazendo com que ele não descobrisse o autor da brincadeira.
Se descobrisse... o teu blog, provavelmente, chamar-se-ia "Zé do macaco" - origem: Moçambique. rsrsrssssss

Beijinhos

Rei da Lã disse...

Entretinhas-te a ganhar a vida, Zé?!
Que me dera ganhá-la entretendo-me....


;)



Abraço daqueles!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Zé,
Gostei de ler mais uma marotice tua !
Quando eu for a um encontro contigo, vou verificar a minha mala e ficar sempre atenta aos teus gestos !
Beijinhos verdinhos
Verdinha

Zé do Cão disse...

Rei
É bem verdade. Entretinha-me. Realmente trabalhava e ganhava bem felizmente. Mas considerei sempre um entretenimento. E não é, que trabalhei anos e anos o chamado tempo normal e ainda até ás 3/4 da manhã semanas e semanas a fio, sem receber um "tusto" de HE. Só a brincar isso era possível.
Estás sempre atento...
Um fraterno e grande abraço

Zé do Cão disse...

Minha amiga Verdinha

Também acho melhor!

beijokitas

Laura disse...

Quando se entra na janelinha do zézito, já vimos preparados para arrebentar de riso.

Pobre do rapaz cair no ridiculo, vá que ele se desenrascou muito bem da coisa, mas devias ter dito que foste tu ó malandro, pois era não era? mas acredito que ele nem te metia na mala pois nem cabias lá com os bolsos cheios de bolas de jornal...
eras um refinado malandro, se eras...

Um beijinho da nina.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Sabes, Zé, que uma parte da decoração do hotel ficou oferecida à Cruz Vermelha onde sou voluntária ? Afinal o Estoril Sol não morreu...
Beijinhos
Verdinha

Teté disse...

Que grande malandreco! Se tivesse pregado metade das partidas que fizeste, não sei se ainda teria amigos... :)))

Jinhos!

ps - não sei se te recordas, mas a Pascoalita faz hoje anos... :D

Zé do Cão disse...

Laurinha
Lê o que escrevi à Pascoalita, acerca do Vasques.
O gajo pagou-se e bem. Lê, Lê...

beijokitas

Zé do Cão disse...

Verdinha.
Segundo a minha óptica foi uma pena demolirem aquele hotel.
Evidentemente, eles é que lá sabem.

Tinha um serviço impressionante.

beijokitas

Zé do Cão disse...

teté

Não esqueci não.
E nem fazes ideia do que sou capaz a fazer partidas.

Até Sintra, não é?

Beijokitas

Rei da Lã disse...

Zé:

Para o caso de eu me deixar destas lides blogoesféricas (já faltou mais), quero que saibas que te considero um ser humano como poucos!

Abraço daqueles...

Magia da Inês disse...

Olá, querido amigo!
Zé... só você mesmo para pensar numa coisa dessas... encher uma mala vazia com bolas de jornal!...
Ainda bem que o Vasques foi esperto também...
Mas... sua fã aqui, rachou o bico de tanto rir...
Se não houvesse um Zé do Cão... teríamos que inventar um... amigo, você é demais!!!
Beijinhos.
Brasil

Zé do Cão disse...

Rei
Que ideia é essa. Estás assim tão desiludido? Triste e aborrecido?
Julgo que até te compreendo...

Depois de vários anos de ilusão a lutar por algo melhor, chega uma altura de olharmos para trás e vimos que foi infrutífera, e miramos a frente e deparasse-nos pior, muito pior do que passamos.
Um abraço grande

Zé do Cão disse...

Magia
Se soubesse como ele se vingou. Saí-me cara, muito cara a brincadeira. Milhares de €. Veja o que acima digo à Pascoalita.
Mas eu não resisto...Está a cima das minhas forças o evitar de fazer uma partida.
beijokitas

Kim disse...

Não me diga que foi você?
Esse Vasques era mesmo parvo! Então tu eras lá capaz de fazer uma coisas dessas.
Pois é Zé. O hotel era bem caro. Estive lá numa formação e um amigo meu pagou 500§00 por uma bica. Ainda bem que eu não bebo café mas ... nem por isso estou mais rico!
Grande abraço amigo! Fico à tua espera!

A. João Soares disse...

Tem um prémio no Do Miradouro

Abraço
João
Do Miradouro

Zé do Cão disse...

Kim

Com que então 500$00 por um café.
Reclamares por miseres 2 euros e meio. Com franqueza...

grande abraço

Zé do Cão disse...

A.J.Soares

Meu amigo, agradeço reconhecido a sua lembrança, seria caso para fazer um registo destacado da sua generosidade. Mas eu não sei fazer transferências.

Abraço

São disse...

Meu querido amigo, lhe venho desejar um feliz Dia do Homem, que se comemora pela primeira vez.

O meu abraço grande .

Zé do Cão disse...

São

Dia do Homem?.. E logo em Portugal!..

E ainda há quem diga que eu tenho humor.

beijo grande, amiga

paulofski disse...

Boa partida Zé, que ao que parece, de mau gosto, a brincadeira só deu foi trabalho ao porteiro que andou aos papéis.

Um Abraço

Zé do Cão disse...

Poucas são as brincadeiras de bom gosto feitas por adultos. Perderam a pratica com a idade. E as asneiras sucedem-se.
Sempre ouvi dizer que brincadeiras de adultos são beijos de burro.
Não é menos verdade, que já naquela altura tinhas idade para ter juízo.

abraço

Mariazita disse...

Bom dia meu querido amigo
Venho aqui "de rajada" só para te perguntar:
Imprtas-te que coloque num álbum do Facebook a foto que tiraste no lançamento?
Por favor responde-me o mais rápidamente possível.
Beijitos, até logo.

Zé do Cão disse...

Minha querida amiga.
Claro que não importo nada.

Beijokitas

Mariazita disse...

Muio obrigada, querido zé.
Já está colocada no álbum nº.2 do Facebook.
A propósito, já foste lá ver as fotos?

Beijoquinhas

Zé do Cão disse...

Mariazita
Naõ, não entendo nada dessas coisas.
Facebook é para mim chinês.

Beijokitas

laura disse...

Zézito; estou à espera de ler a viagem a Paris, como falaste na nina parisiense...bora pra cá quero ler... se tiver riso, muito riso mas acredito que vindo de ti é riso assegurado.

um xi apertadinho da laura

Zé do Cão disse...

Ainda não o escrevi. Digo que são muitas peripécias, dentro de um fiat 600.
Antes ainda tenho de ir à Serra da Estrela, enfiar a cabeça no carro-bicicleta dos sorvetes em Setúbal, ir ao Carnaval no Coliseu de Lisboa ir às meninas com um principiante,
encontrar "calhandras" na casa de banho (?). Pelos vistos lá para o inverno de 2011 vou a Paris.
um biquito minha querida

Greenie disse...

Boa noite.
O blog Animaleza ofereceu a este blog o Prémio Dardos.
(veja aqui)
Cumprimentos.

Zé do Cão disse...

Greenie

Era giro, não era. Eu receber um selinho, ficava todo vaidoso.

Pois era, mas para isso era preciso que eu soubesse fazer essas coisas.

Sou da geração em que a telefonia ainda não existia. Havia sim a "Galena" e dos computadores, isso então nem pensar.
As minhas desculpas

e o meu abraço

diabinhacusca@yahoo.com disse...

Caramba! Como este canito rejuvenesceu desde a última vez que lhe pus a vista em cima ...

Rafeiro e dono devem ser da mesma fibra ... nunca envelhecem ihihih

Cusca Endiabrada disse...

Caramba! Como este canito rejuvenesceu desde a última vez que lhe pus a vista em cima ...

Rafeiro e dono devem ser da mesma fibra ... nunca envelhecem ...


dentadinhas na bochecha do dono e no focinho do ... tareco ihihih

Zé do Cão disse...

Cusquinha
Finalmente dás noticias. Já tinha saudades tuas.
Gostas do canito? o pai dele já está velho e portanto gostando muito dele, estou a prepara-lo para o seu reinado.
Rei morto e Rei posto.
Morreu o Rei, viva o Rei. Claro que não estou à espera de vê-lo casado com a duquesa da Cornoalha, é velha e feia, mas já lhe apresentei uma donzela de 1 ano e pareceu-me que ficaram presos pelo beiço.

biquinhos para ti

Mariazita disse...

Olá, Zé
Alguma coisa se passa com o teu novo canito, que dificulta o acesso ao teu blog.
Eu explico.
Quando vou aos blogs em resposta a comentários feitos nos meus blogs, clico em cima do nome do comentador, e vou directo ao blog.
Neste caso aparece uma janela que diz «Perfil não disponível».
Tive que ir aos Favoritos para poder aqui entrar. O cachorrito não queria deixar-me passar :)))

Pois eu venho agradecer a tua visitinha e dizer-te que, sempre que precises de reparações (em ti ou na tua casa...) recorras aos serviços das garotas. Precisam de trabalhar, que a vida tá difícil:)

Beijocas

Zé do Cão disse...

Querida amiga
Talvez fosse eu que não soubesse fazer a colocação da "canito". Vou pedir aqui ao meu assistente, para desbloquear a coisa.

Quanto às "tralhadoras"(?), a minha "Dona" punha-me a mala na escada se viessem cá para casa. Havia de ser bonito, havia.

Beijoquitas

Melminha de Andrade disse...

Oi Zé!
Estou tendo o mesmo problema que a srª.Mariazita relatou.
O que acontece hein?
Depois queria que o amigo deixasse o seu comentário que é sempre inteligente lá no meu blog.
Hoje escreví sobre a Guerra no meu querido RJ.
Você que com certeza tem algumas primaveras a mais que eu já viu coisa parecida no Brasil?
beijos

Zé do Cão disse...

Melminha

Espero resolver o problema imediatamente
beijos

Mariazita disse...

Problema ultrapassado em grande estilo, meu amigo.
Então foi o canito que fez asneira???
Vê lá, tão pequenito e já com essa escola toda :))))))))
Quer imitar o dono rsrsrsrsrsrsssss

Beijoquinhas

Zé do Cão disse...

Mariazita

quando se é NABO...


BEIJOKITAS

Greenie disse...

Amigo, entendo perfeitamente... :)
Eu tenho a minha filha aqui ao pé de mim que me ajuda nessas coisas. Algumas já vou fazendo sozinha, mas só porque ela me ensinou...
De qualquer forma, mesmo não conseguindo publicar o selo, mereceu-o.
Um abraço!

Zé do Cão disse...

Realmente para quem nasceu e usou sempre outro material antes desta infernal maquina ter aparecido, sente uma dificuldade dos diabos.
Até porque estamos sempre com medo de estragar ou desajeitar qualquer coisa.
Um abraço