18.1.10

CAÇADA COM "LARADA"

Esta aventura ocorreu talvez aí nos fins dos anos sessenta. O Zé trabalhava na mesma empresa onde ocorreram algumas das cenas que aqui tenho relatado. Os patrões eram caçadores de meia tigela, mas aperaltavam-se todos e até colocavam uma peninha de perdiz no chapéu de feltro comprado na espingardaria A.M. Silva, sita na rua dos Correiros ao fazer esquina com a rua da Betesga. Noutras palavras, onde é agora uma casa de sandes, quase em frente ao centenário restaurante João do Grão, cujos proprietários são naturais de Ponte Sampaio – Pontevedra, onde ainda hoje o Zé gosta de se banquetear.
Certo dia, não sei porque carga de água o Zé e mais uns tantos empregados, fomos convidados para ir à caça com os patrões, numa propriedade que um deles possui, lá para os lados de Montemor-o-novo.
Claro, sangue na guelra, rambóia pegada, não houve quem se negasse. Alguns pediram espingardas emprestadas (tanto lhes fez, não apanharam nada), mas o Zé e um compincha de aventuras (o mesmo que fez a salada, no meu conto “El Rocio”, de 03.06.08) resolvemos ser apenas espectadores, não fosse o diabo tecê-las e, sem querer, ainda apanharmos com uma chumbada no coiro e termos de ir direitinhos para o Hospital de Évora.
A viagem decorreu como previsto, mas depois de combinarem os sítios onde cada um dos inaptos caçadores se iria colocar, e partindo para os referidos locais, o Zé e o Jonas ficaram a olhar um para o outro sem nada para fazer e até na expectativa de nem almoçarmos, dado o encontro de almoço ser muito longe do local onde estávamos.
Ficámos a fazer guarda aos vários automóveis onde tinha sido feita a viagem e reparámos que uma das casas, ali perto, era o celeiro da quinta. Com o sossego foram aparecendo algumas galinhas e perus, depenicando por aqui e por ali.
Eureka, aqui está a nossa caçada e nem sequer precisamos de arma de qualquer espécie, dizia o Jonas. Já vamos ver, dizia eu. Primeiramente vamos ao celeiro, enchemos os bolsos de milho, abrimos a porta da frente de um Dodge com rabo de peixe de um dos patrões, e espalhámos o milho em carreirinho no sentido da porta aberta. Em cima do banco, uma mão cheia e preparámos as nossas garras afiadas para, na hipótese provável de algum peru entrar, fechar a porta e bateríamos o recorde em kg de caça apanhada.
Íamos ser os heróis daquela caçada e já víamos os colegas cheios de inveja pelo nosso feito.
A coisa até não correu mal e o previsto seguia com sequência. Um dos perus, patada aqui, patada ali, vai comendo o milho, chega junto à porta do carro e, como é alto vê o cereal a luzir, dá um pulito, salta para o banco. Esperámos que se ajeitasse melhor, demos uma corrida e fechámos a porta. O animal estava tão entretido a comer que nem olhou para trás, limpou o banco, deu uma passada direito à outra porta que estava fechada (os nossos corações batiam apressadamente), coloca-se em cima do vidro, já que não tínhamos reparado nesse pormenor (o vidro estava baixo) deu uma valente “larada” que caiu em cima do banco e salta para a rua.
Deu-nos vontade de rir até às lagrimas, todavia não o fizemos, porque afinal um estúpido peru, comeu, “larou”, partiu para outra e ainda fomos nós que tivemos de limpar o estofo do popó.
.

60 comentários:

Bichodeconta disse...

Ora aqui está uma grande caçada sem arma..Pior é que o animal fugiu e ainda por cima deixou um presente.Como diria o meu pai, Esta comeu o isco e cagou-se no anzol..Beijinho Zé.

Maria disse...

Ai Zé, já chorei a rir!
Tu consegues contar as coisas de uma forma, que até parece que estamos a ver toda a cena.
O perú foi esperto. Em vez de caça, foi o caçador.
Conta mais, Zé. É uma delícia ler as tuas histórias.
Beijinho e obrigada pelos momentos de boa disposição que nos dás.
A homenagem do Kim, foi muito justa.
Maria

Teté disse...

Eheheh, há partidas assim, que não correm tal como o previsto, mas sempre dão para rir durante muitos anos e bons... :)))

Está-me cá a parecer que eras danadinho para a brincadeira! Hummm... desconfio que ainda és!!! :D

Beijocas, Zé do canito!

Zé do Cão disse...

bichinhodeconta
Ainda há bem poucos dias tinha contado o "ranho ou massa" mas afinal eu também de caçador não tenho nada.
bj

Zé do Cão disse...

Maria
Seia por isto que quando queria matar o peru e natal o enfrasquei com Wisky? (meu conto de 15-12-08)
se calhar era o meu subconsciente a fazer vingança.

jinhos

Zé do Cão disse...

teté

Seria uma bela caçada, e ainda por cima original. No entanto se os animais falam entre eles,(glu...glu..
glu..)devem estar a rir de nós.
Na Codelaria Nacional em Alter do Chão existem milhares de perus brancos. Uma vez fui lá e fiz com a minha boca e lingua Glu...Glu.. Glu..
eles com assim todos ao mesmo tempo.
Veio o guarda repreender-me.
jinhos

Oliver Pickwick disse...

Golpe baixo, Zé. :) Caçar perus e galinhas. Isto é a mesma coisa que um pescador comprar peixe no mercado.
Zé, as suas aventuras poderiam se transformar num seriado para a televisão.
Um abraço!

Zé do Cão disse...

Oliver
Já lá vão muitos anos que isto aconteceu, no entanto ainda na passada semana, aqui na piscina do meu condomínio apanhei um pato bravo.

Acabei por o dar, estava magro.

O tipo, sem qualquer roupa, estava a dar uma mergulhaças de fazer inveja a qualquer banhista em dia de verão.
Vi-me aflito e tive de pedir ajuda ao guarda, para o apanhar.
Um abraço

Laura disse...

Ahhhh, pensei que ias apanhar uma perua, mas tu é que levaste com ela, viste? comeu, espaireceu e voltou para a galinhada, robustecido, vós dois, acho que nem contaram nada aos amigos quando estes chegaram da caçada...hum, quero crer que não, ou seja, contaram mas, mais tarde...que risooooooo. beijinho menino da coroa dos louros..laura

Maria disse...


Ao menos o perú morreu feliz, com o papo cheio de Wisky.
O meu pai também os embebedava. Era com cada misturada de vinhos, que no fim o perú entrava em coma alcoolico. Só depois lhes cortava o pescoço. Era divertido, ver os perús fazerem aquela dança da morte. Mas assim que ele caía, eu punha-me ao fresco, porque sempre detestei ver matar animais.
Beijinho
Maria

Pascoalita disse...

Ahahahah dessa vez não levaste a melhor com uma ELA! E digo ela porque cá pra mim, era PERUA de certeza! Se fosse macho não teria sido suficientemente matreiro para fintar o Zé ahahahah

Farto-me de rir com as tuas histórias eheheh

jinhos

Zé do Cão disse...

lauirnha.
Tiro na muge. É que só contamos muito ais tarde.

jinhos

Zé do Cão disse...

Maria

convido-te a ler o meu conto El Rocio de 3.6.08, para perceberes a força do meu amigo "Jonas".

Já faleceu. Era enfermeiro e grande amigo. Quando tinha necessidade de dar uma injecção a um amigo escolhia sempre a agulha mais torta que tinha dentro da caixa.(Agora são descartáveis). Dizia ele que era para desviarem das veias.
beijos

Zé do Cão disse...

Pascoalita.

Também gosto muito, muito de coelho com arroz. não me convidas'...

Já tenho saudades de um cozido gallego.

Biquinhos

Maria disse...


Já li o conto indicado e outros mais. Fartei-me de rir. Até porque me lembraram histórias antigas, passadas com a minha gente.
Há um galo, um alguidar e mais algumas coisas.
Inspiraste-me. Talvez um dia destes, vejas que me deste as ideias, que andam escassas na minha cabeça.
Às vezes, penso que a vida da malta da nossa idade, era tão igual, que acabamos sempre, por algo semelhante, passado connosco.
Beijinho e obrigada pela inspiração.
Beijinho
Maria

Pascoalita disse...

Quantas patifarias nos passavam pelas cabecinhas eheheh

Lamento que os jovens de hoje não saibam o que são "brincadeiras saudáveis" e confesso que até me surpreende que com o tipo de jogos a sua disposição e com toda a violência que os rodeia, ainda se mantenham sensíveis e não se tornem todos marginais.

Quando penso nisto tudo, tenho imensa pena da actual geração e das próximas.

Jinhos

Parisiense disse...

Concordo com a pascoalita, para te fintar só podia ser mesmo uma PERUA....ahahahahh

Gosto da tua menira de escrever as historias.....deixa-nos sempre com vontade de continuar a ler para saber o que aconrteceu no final.

Mais uma bela história das tuas traquinices.

Beijokitas

Zé do Cão disse...

Maria, as minhas desculpas, mas tenho andado numa correria.
durante toda a nossa vida são tantas que nem cabia no alta velocidade.
Também não temos o dito..

Jinhos muitos, muitos

Zé do Cão disse...

Esta cabacinha pensadora? Não é? pois, pois. tu, segundo aquilo que julgo saber, devias ser fresquinha lá em Trancoso.
Apanhar grilos com água? afogavas os bichos e nem chegava a cantar.

biquinhos

Zé do Cão disse...

Parisiense
acaso já miraste a fronha do Zé? Está velho não está? Pois, não uso botox ou lá como se chama isso, que faz inchar as beiças da locutoras da TV e as da múmia da Caneças. Mas ficou lindo a moça, não ficou.
E a Moura Guedes, também ficou uma lindeza.
As caras bonitas não usam dessas coisas, não é?

Beijokitas

Dad disse...

Que bela história! Fartei-me de rir!

Beijinho para si,

São disse...

A "riri" às gargalhadas estou eu, meu caro Zé!

Bom final de semana.

Zé do Cão disse...

Dad, Será que nos conhecemos?
É bem possível. Flor tão linda e eu sou um apreciador de Flores.
excepto as Margaridas

Zé do Cão disse...

São. presença sempre gostosa.
Afinal, nada tenho de esperto, até um simples peru, engano o Zé.

bj.

Pascoalita disse...

Passando para desejar Bom Fim de Semana ... o sol sorri de novo eheheh

jinhos

Zé do Cão disse...

Pascoalita.

Que ausência, mulher. Aqui tens sempre o sofá à tua espera. Aparece, bebemos uma "bejeca" ou um licor de ginja e comemos um bolinho de canela.

biquinhos

Lady PMPP disse...

Priminho...!!!

Cuanto tiempo, espero que vaya todo bien!

Beijinhos!!!

Laura disse...

Zézito, a DAD, Pintora, Poetisa, que pintou os quadros do livro dela e do Moa, O Espirito das Águas, presente no almoço do dia seis, foste lá esquecer-te? credo himi..a Dad!...

Laura disse...

Já vi o filme das produções Kim Kim, ah, tás todo menino lindo de coroa na cabeça e sem coroa, também..beijinhos.

Kim disse...

O costume! Onde está o Zé, acontece borrada!
Tinhas de lhe dar aguardente para o gajo não fugir.
Mas podeia ter sido uma bela caçada e com pouco trabalho.
MNADA-ME POR MAIL A TUA MORADA PARA TE ENVIAR O FILME.
Abraço

Zé do Cão disse...

LADYPMPP

Minha Jóia preciosa de Tarragona. Beijos muitos, muitos.
O papá deu noticias e avô também. Como continuam os estudos na Univers.? Barcelona é um mundo diferente, não?

Para o verão, nos encontraremos, por aqui e por aí.
bj

Zé do Cão disse...

Laurinha, era muito gente duma assentada.
Não liguei os pseudos aos nomes e foi o que deu.
Vou lá pedir desculpa

bj.

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Não será antes, produções Kim Kim?

o trabalho que este homem teve. Quando se corre com gosto, não cansa,não é.

Já estamos em fins de Janeiro, quando é o próximo. Já deveria ter sido ontem.

bj.

Zé do Cão disse...

Já pus um em estado de coma com tanta que lhe dei.
Digo-te que não se podia comer.

Um grande abraço, meu amigo

Milu disse...

Olá Zé!
Afinal os caçados foram vocês! Provavelmente não fizeram a coisa com grande convicção, porque então teriam reparado na janela aberta, tomaram o peru por parvo, foi o que foi, mas ele cagou-se para a brincadeira e encheu o papo na maior das descontracções. :D
Um beijinho

Zé do Cão disse...

Milu

Foi isso mesmo que eu pensei.
s coisas são feitas com rapidez e os imprevistos, não se conseguem controlar.
E lá ficou o gajo a fazer, glu...glu...glu... até ao natal mais proximo

jinhos

Mariazita disse...

Mas como é que tu me escapaste??? Costumo estar atenta a ver as postagens últimas, e esta escapou-me! Não me digas que é o alemão ao ataque...

A tua história, como sempre, é hilariante. E, claro, não preciso repetir o que bem sabes: que eu gosto imenso da forma como relatas as tuas aventuras.

Mas essa "reacção" do perú era previsível...
Lembro-me que quando eu era criança vivi uns anos numa quinta onde havia galinhas, perús, coelhos...essa bicharada toda.
E uma coisa que me fazia confusão era porque é que os galináceos, sempre que a criada ia dar-lhes o milho, logo a seguir todos eles esvaziavam a tripa. E era cada larada!!!
Bons tempos.

Meu querido amigo Zé, deixo-te, com as minhas desculpas...votos de uma feliz semana.

Beijinhos
Mariazita

Zé do Cão disse...

Mariazita

E as dos perús, é cada repuchada, que passamos uma data de tempo preocupados que a marca não saía.

Beijokitas. desculpas de quê, minha amiga

Laura disse...

Zé é isso aí, sãoa s produções Kim Kim e estás um must, já o vi 4 vezes, é que adoro, adoro e ver a todos, relembrar e eu a dançar, ai, ai, ai...mas que giro está tudo, abraço da laura...

Tinahs tantas meninas de roda que nem sei, ora vais ver...

Zé do Cão disse...

espero vir a receber.

bj.

São disse...

Venho desafiar-te para ires ver a menina dos quatro anos, cinquenta e seis depois, rrsss
Sonhos agradáveis, carissimo.

Xaninha disse...

opá, coitado do bicho..
n se pode pedir mais a quem já faz tt! :) até cagou e tudo...
vá lá...

beijinhos

Zé do Cão disse...

São

Já fui e adorei.

Bj.

Zé do Cão disse...

Xaninha.

Bem visto, realmente ...

bj.

Laura disse...

Ontem já era tarde, dizes bem, hoje ainda é cedo, mas, vamos lá a ver onde param as modas...um almoçito mas com mais tempo, chegamos ao meio dia, pelas 19 viemos embora, tinha de ser, mas foi tão bom e soube apouco..um abraço da laura

Pascoalita disse...

Olá, Zezito :)*

Falando em novo encontro? Não fui convidada, mas também queria ir.

Só que como imagino que será de novo num Sábado ou Domingo e os meus fins de semana são sempre dedicados à família, lá terei de me ficar pela vontade :(

dona de casa, mãe e esposa sofre ...

jinhos

Pascoalita disse...

Ah! Esqueci de dizer que vi por aí um "Zé coroado" a condizer com a cor do Lagarto. Tás catita eheheh

jinho

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Sou fã de cozido à portuguesa.
Boa escolha do Kim. ontem, já era tarde.

jinhos

Zé do Cão disse...

Há que rebentar a corrente e o "H" também pode ir.
Sinceramente gostei muito.Achei o máximo.
biquinhos

Zé do Cão disse...

o filme está espectacular e não sabia que o Kim era profissional naquela arte.
coloco à tua disposição para o veres.
biquinhos

Maria Flor disse...

Zé,

Saudade de você!

Adorei o texto! Embora como sempre existam muitas palavras que nos apartam. Será que existe um dicionário portguês-portugal x português-brasil???

Se tiver eu compro!!!

beijocas, Flor.

Sofá Amarelo disse...

Só fui uma vez à caça (e como espectador), com uns tios meus há um bom par de anos quando era moda as mulheres também pegarem numa espingarda, calçarem umas botas mais ou menos sexys e irem atrás dos homens espantando a caça (onde, onde?). Assim foi, os meus tios não apanharam nada, nem um caracol sequer, e eu apanhei tanto frio que nunca mais fui à caça... até porque já adivinhava nessa altura que se fosse um dia no futuro haveria um qualquer perú que me salataria para dentro do Mazda e contribuiria para sujar um bocadinho mais os bancos ... bom, mas talvez antes limpasse as migalhas que os miúdos espalham por ali...

Forte abraço e até ao perú... do Natal! Cá por mim fico sentado no Sofá Amarelo!

Zé do Cão disse...

Flor

Tens o meu mail. Pergunta, que se eu souber explico.
Se houvesse eu mandava-te.

Larada, ramboia, compicha, são estas as palavras?

Zé do Cão disse...

Sofá amarelo.
Eu julgava que as mulheres iam à caça para virem com os coelhos, perdizes, lebres às costas. Não era assim? Vê lá o juízo que eu fazia. Pelos vistos ainda sou um tirano.
Agora são elas que nos obrigam a ser moço de fretes.
Despedes-te até ao natal?

Um abraço

Pascoalita disse...

Olhando bem, este Peru emproado está mesmo "vestido para matar" ou melhor dizendo para morrer eheheh

Posso contar também uma história? Posso?

Era uma vez um fim de semana ...

jinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...



Se queres que te diga mesmo a verdade fiquei contente por o peru se ter safado. A larada vocês também a mereceram pois estavam preparadinhos para comerem aquele pobre ser vivente. Também não gosto de caçadas.
A vida é para ser respeitada mesmo que se trate dum peru. Mortes, só as indispensáveis à sobrevivência.

Bom, mas foi uma história muito bem contada sempre com aquele teu carisma que tanta graça tem.

Abraço

Zé do Cão disse...

Pascoalita
Podes sim senhor, contar a tua história.
Era uma vez um fim de semana...
que me fartei de trabalhar que nem uma moira e afinal com a pressa deixei esturrar um assado que tinha no fogão...
biquinhos

Zé do Cão disse...

Silêncio.

Acontece que eu e o "Jonas" já tnhamos combinado não matar o bicho, copiando a atitude do Obama, mandando-o para a Disney, para viver toda a vida em paz e sossego.
ahahah...nessa época o homem ainda não tinha nascido... Desculpas de mão caçador...

beijinhos

São disse...

Amigo, e mais estórias?...
Um abraço grande.

Zé do Cão disse...

Já cá está

bj