2.2.09

Iscas com "elas"

.


Estávamos no mês de Agosto de mil novecentos e oitenta e dois. A “Dona” e o Zé esperavam ansiosos o nascimento do seu segundo rebento, que viria ao mundo nos primeiros dias de Setembro.
A coisa podia estar feia, pois o rapaz mostrava-se irrequieto e tinha enrolado ao pescoço o cordão umbilical. Duas vezes por semana, deslocávamo-nos ao consultório médico situado na rua Latino Coelho para observação.
Todo o cuidado era pouco e com o tempo a passar redobramos as preocupações, mas saímos sempre com os nossos corações tranquilos pois o “petiz”, se calhar já jogando à defesa, resolveu não dar mais cambalhotas.
Fomos fazer a última revisão e marcar a data e o local onde se realizaria a cesariana que se impunha, para evitar alguma surpresa desagradável.
O Zé tinha um comportamento igualzinho à grande maioria dos pais e tratava de animar a sua querida, dando-lhe palavras de animo, mas no fundo sentia-se todo acagaçado e sem saber o que fazer.
A “Dona”, que sempre foi uma mulher de coragem, ouvia as suas palavras, sorria e dizia que seja o que Deus quiser.
Ao arrumar a viatura no separador central na rua Latino Coelho, cá na Lisboa, encontro o actor Eugénio Salvador, agora já falecido, acompanhado da sua segunda esposa, Odete Antunes, que procuravam também lugar para estacionar. Ambos bem conhecidos do Zé e com quem mantinha lanços de amizade de longa data.
Demos ali um bom bate-papo, que foi bem demorado pois deu tempo a que a “Dona” fosse à consulta e voltasse.
Na altura levei um “raspanete” por não a ter acompanhado, até porque iria ser marcado o dia do nascimento do “pimpolho” e eu teria de evitar que fosse à quinta-feira, meu dia azarado. O “amor” sabia disso e marcou a data para a sexta-feira da semana seguinte.
Ambos queríamos comer e, havendo ali mesmo em frente um restaurante, cujo nome é parecido com “Palheiro”, resolvemos entrar para saciar a nossa gula.
Estava feliz, sentia aproximar-se a data do nascimento e isso fez aguçar o desejo de mulher grávida. Pediu iscas, não recordo se com ou sem “elas”.
Normalmente é um prato já confeccionado em recipiente de barro e em dose individual, bastando aquecer e servindo-se imediatamente. O Zé, vinte e seis anos depois já não recorda o que comeu, mas garanto que iscas não foram.
Segundo dizia, estavam deliciosas e aquele molhinho com um gosto como nunca tinha provado. Ricas de morrer…
Insistiu para eu molhar o pão e provar. Recusei e quase a vi amuar por isso.
Mas estava contente e feliz por a ver comer com tanta satisfação. As iscas já tinham terminado e os bocadinhos de pão iam absorvendo os restos do molho que tanto estava a apreciar.
Era o resto, faltavam somente dois bocaditos pequenos, que pareciam dois “niquitos” de iscas… Não, não pode ser, não acredito, é impossível! Duas baratas estavam no fundo e pouco faltou para serem digeridas… Estava a ver que a criança nascia naquela ocasião.
O Restaurante ainda existe hoje e, tal como naquela altura, não é de preço popular.
Chamei o empregado e disse-lhe que sendo restaurante caro, não era admissível ter baratas.
Perguntou-nos se queríamos outra coisa. Sim, sim, a conta, respondi.
Perdi as estribeiras quando nos apresentou a conta do prato com as iscas, reclamando a falta da inclusão do preço das baratas na factura.
Pronto, pronto, pode ir embora que não paga nada.
Na Clínica de S. Gabriel correu tudo como programado, um lindo menino, e como a mãe estava anestesiada, fui eu o primeiro a dar-lhe um beijo. Ainda hoje saboreio esse prazer.
Acrescento, que naquela época, ainda não havia a concorrência dos restaurantes chineses.
.

113 comentários:

Pascoalita disse...

Xiiiiii Onde já vai o ano de 1982!!! Por essa altura o meu caçula ainda nem tinha 1 ano (faz anos a 30/Nov)

ahahahah com esse teu jeitinho tão peculiar de relatar as cenas, quase me vi sentada nesse tal restaurante que por sinal conheço perfeitamente e até frequentei bastante na década de 70.

Agora não sei, poi a última vez que lá almoçei foi há cerca de 10 anos na despedida de uma colega, mas na época era de facto carote e tinha fama de servir bem (ora viste? Eu nunca fui premiada com esse especimen de lagosta ... devias ter pago a dobrar eheheh)

jinhos

Pascoalita disse...

A propósito de restaurantes chinocas, volto a contar uma cena que se passou comigo e um grupo de colegas há uns anos atrás:

Almoçavamos uma vez por mês num desses restaurantes aqui perto e uma das colegas armada em "mete nojo" pedia sempre algo diferente do resto do grupo.

Um dia, a última vez que ali almoçámos, pediu carne de vaca com espinafres, enquanto nós todas comíamos a vulgar "galinha c/amêndoas", "shop soy de porco", "porco doce" ou "pato à Pequim" ...

Quando a travessa já estava praticamente vazia, surgiu aquele "legume estranho" no fundo eheheheh

Ficámos todas tão enjoadas que já nem comemos sobremesa nem bebemos café e ela foi vomitar para a rua, mas foi uma risota por ter calhado exactamente a ela que era a mais esquisita eheheheh

Quando confrontámos o chinoca com o facto, ele limitou-se a dizer:

- "Ah! as balatas elam muitas e matámolas" ahahah

Mandy disse...

ecaaaaaaaaa

Que nojo! Eu jamais voltaria num lugar desses!!!
Acho q quem trabalha com comida tem q manter um alto grau de limpeza!

Querido obrigada pelo seu comentáro! Ah e a chuva sempre lava a alma...

BjO.

Zé do Cão disse...

Pascoalita

Afinal não é só a mim que acontecem destas senas.

Estou mais consolado.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Mandy.

Na realidade nunca mais lá fui.
Mas digo-te que certa vez ofereceram-me uma garrafa de vinho tinto verde, coisa especialíssima.

Quando abri a garrafa, guardado religiosamente para acompanhar uma comida especial, metade deitou por fora.
Era autentico champagne.
O sabor era um horror e quando deitei fora o resto, tinha lá dentro uma enorme barata, que fermentou, razão porque tinha gás em abundância.
beijocas

Pascoalita disse...

ahahah esse devia ser bem espumoso :))

Sou da Beira Alta e na minha aldeia nunca tinha visto baratas. Creio mesmo que não há por lá tais bicharocos (pulgas e piolhos, sim).

Já em Lisboa, na zona do Chile, quando nos ausentavamos por algum tempo até Sesimbra ou Almodôvar, o padrinho salpicava os cantos da casa, em especial a zona da cozinha, com um pó insecticida ...

Bem, nunca me esqueço do cenário de uma das vezes em que eram dezenas ou centenas mortas por toda a casa! Algumas esventradas deixando sair uma massa branca nojenta. E no entanto, era raro ver-se uma barata em casa à luz do dia.
Fala-se muito da falta de higiene das aldeias, mas não há imundice como nas zonas velhas dos grandes meios urbanos.

.daia. disse...

QUE NOOOOOOOOJO! DISUS!!!

bjos;

Zé do Cão disse...

pascoalita.

E a malta ainda não viu nada. Se tivessem possibilidade de deitar um olho aos armazéns de alimentícios então é que era bonito.
Baratas, ratos passando por cima de tudo. inclusive das pescadas congeladas.
Ai se a malta visse como se descongela um grande bloco de peixe, no armazém. Só comiamos frutos secos e apanhados da arvore.

Anónimo disse...

Ai,armas-te em frequentar Tascas chics e não queres levar com "especialidade"....querias

As iscas eram boas,por isso mesmo,baratinha como complemento.

Aposto,que o teu PIMPOLHO é rijo!

Uma boa semana:pandora_box

Zé do Cão disse...

Querida Daia.

Nós só escolhemos o restaurante pela aparência. Depois as coisas acontecem, sem sabermos. Coitaditas das baratas, passeavam por cima do molho coalhado e aquele ao ser aquecido, fez com que os pobres animais se afundassem e morressem cozidas como o João Ratão, no caldeirão.
Muito cuidadinho ao beber, latas de sumos ou cerveja sem a lavar primeiro. É que os ratos mijam-lhe por cima e quem tiver o azar de beber de uma lata dessas, pode encomendar a caixa de 4 tábuas, porque é letal.

Bj, amiguinha

Zé do Cão disse...

Pandora.

O gajo é rijo, teso e não deixa que lhe passem a perna.

Nesta altura, fazendo prova de rigidez, está a 35 graus negativos.
Já tenho uma saudades do gajo que não fazes ideia.
No fim do mês tenho-o de volta, não sei por quanto tempo.
Todavia não estava à espera de tal complemento.
A Pascoalita era também cliente mais ou menos na mesma altura.
Pelo andamento que as coisas estão a levar, é capaz de vir a ser um prato especial, comido com 2 pauzinhos

Beijocas

Diabinha Cusca disse...

Xiça, penico ... chapéu de coco. Muito nos contas, Amigo Zezito! Cpnheces aquele slogan "Vou avisar o Zé"??? Pois aqui o Zé é o Amigo previdente que nos alerta para os perigos eheheheh

Essa das latas poderem conter dejectos de ratos e a inadvertida ingestão ser letal para o homem já sabia, mas nunca é demais lembrar. Quase sempre me lembro de ter esse cuidado ao abrir as latas.

Bem, mas eu devo ser imune as essa coisa de "parasitismo" porque a erva ruim não entre mal assim eheheh

toma lá dentadinhas ... dá cá biquinhos

fotógrafa disse...

Pois...pois, eram outros tempos, ainda não havia a ASAE...rsrsrs...sorte a do dono do restaurante, para os restantes, nem sorte nem azar,pois pelo menos a parturiente, já tinha engolido os sucos das baratas...rsrsrs
se calhar assim até a criança nasceu mais depressa...
Ai....ai...ò Zé, as tua história além de gira ainda traz o cheirinho das iscas com elas... da velha Lisboa...hummmm, que bom!!!Já molhava o pão no molho, com baratas e tudo....rsrsrs
Abraço

Zé do Cão disse...

cusquinha
ainda bem recente um estudante de Coimbra, durante a queima das fitas numa farra na Figueira da Foz, despediu-se deste mundo por ter bebido um sumo, cuja lata estava contaminada.
E tenho lido outros casos semelhantes no estrangeiro.
Biquinhos

Zé do Cão disse...

fotografa.
Eram na realidade outros tempos. Mas podes crer que hoje, ainda acontecem casos destes.
A Asae não está em todo o lado e o combate destas coisas não se fazem com os agentes a terem a obrigação de multarem ou fecharem tantos por dia.
De qualquer das maneiras, as iscas, os pregos, as bifanas, os tordos fritos, já não têm o gosto que tinham. Era a Lisboa do nosso tempo... A rua dos correeiros e os moços de fretes etc, etc.

Beijocas grandes

Diabinha Cusca disse...

Oh meu Zezito,

De tanto falares em petiscos, abriste-me o apetite ... bem me podias convidar para um desses repastos de que tanto falas.

Agora calhava mesmo bem, já que a pascoalita está de regime e mesmo que nos acompanhe, mandavas o empregado servir-lhe umas folhas de acelgas eheheheh

Diabinha Cusca disse...

Ah! Esqueci de dizer uma coisa ...

Esse teu pimpolho que saiu rijo ... saiu à mãe e atira ao pai ... é descomprometido?

É que ando com umas ideias ...

dentadinhas

Laura disse...

Xiça, penico, não é que o parto podia decorrer naquela hora? Acredito que a dona nunca mais comeu as ditas sem as revistar bem, não fossem as ninas peludas de patinha, voltar a aparecer...credo, cruzes, mas que vergonha...
Ai zézito, metes-te em cada uma e como sempre, nem culpa tens....

Olháli a nossa cusca a querer atirar-se ao pimpolho! Nunca vi tamanho descaramento, a garota é atrevida e nisso nem sai à madrinha, menina cusquinhaaaaaaa....ouves-me? ai, ai enrola a lingua ó pariga...
Beijinhos.

Zé do Cão disse...

Cusca.

Isso não se faz à madrinha. Acelgas e beldroegas, fazem cá uma salada.
Parece que ela agora só come saladas.
Que não lhe passe pela cabeça comer salada de ortigas, salta-lhe uma repuxada que não se aguenta.
Só prometes, só prometes.
Disseste-me que ias almoçar comigo.
Quando ? és muito esquecida.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Diabita.
O moço tem pinta. Já vai na 4ª namorada. Não sei a que raça pertence o rapaz, o pai dele era mais sossegado. O gajo tem uma vantagem sobre mim, é mais bonitito do que eu era.
Mas digo-te que é um finório e que no fim do mês, estará de volta, até quando não sei. Parece que vai voltar

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Laurinha

E que tal uma baratitas fritas com molho de iscas. Lambias-te toda.
Sobre a cusca é mesmo endiabrada.
O rapaz é atiradiço, já vai na 4ª pedalada.

biquinhos

Diabinha Cusca disse...

Oh minha madry laurinha

Eu sei que não aprendi contigo a lição, mas não sabes que a crise é grande? Isto tá muito difícil!!! Já que o pai é do tipo "homem sério não tem ouvidos" ou faz "ouvidos de mercador" e por mais que me declare, não "morde o isco", quem sabe não tenho mais sorte com o filhote eheheheh

Então se o moço for um pouquinho distraído ou me vis ao "lusco fusco", sou capaz de ter hipóteses ahahahahahah

Mary West disse...

Prefiro assar meu braço na churrasqueira a passar perto de tal local. Ecati.

Zé do Cão disse...

e era restaurante caro, fará se não fosse.
Ou de outra maneira.
No melhor pano cai a nódoa.

Beijocas

Rafeiro Perfumado disse...

Certa vez fui a um restaurante no Marquês de Pombal, o Greal American Disaster, e eu e mais dois colegas pedimos lasanha, enquanto os outros foram para a pizza. A meio da refeição, eis que um dos lasanheiros encontra uma barata. Chamado o empregado, ouvimos a seguinte explicação:
- Sabe, é que desparasitamos a chaminé e de vez em quando ainda cai uma...
Gritamos todos "DE VEZ EM QUANDO?!?" enquanto escavacavamos o resto da nossa lasanha!

Abraço!

Capitão Merda disse...

Entre as iscas e as baratas... venham as baratas!

Abraço, Zé!

Moyle disse...

Eu estou a imaginar a tua respectiva a comer os dois niquinhos de isca que faltavam e a dizer: que giro, nunca tinha provado iscas estaladiças :)

as pessoas dosseram um bocado mal, e com razão no que toca aos excessos, mas a ASAE já devia ter aparecido há bem mais tempo.

Abraço

Laura disse...

Ahhh, o rapaz não sai ao pai? cruxes, credo, canhoto, então o pai er aum namoradeiro do caraças, ele era papagaios, paste de dentes, sabrinas..olha, cá por mim ele tá a fazer o que deve ser..nada de coisas serias enquanto a vida não se mostrar mais propicia a casamentos e festarolas, e divórcios, mais vale nem enfiar o anel..xiça, livre, livre sempre, ah, bendita liberdade que nunca me falaram dela nem me aconselharam a tal... Beijinhos..ai cusca, cusca, atrevidota...

Zé do Cão disse...

Rafeiro. Agora é que vejo que a nossa praça não tem razão para detestar os restaurantes "chinócas".

Bolas...

Aqui ás uns anos bons, bem bons por sinal, num restaurante no Fogueteiro -Amora, serviram-me arroz, onde vinham 2 caganitas de rato.
Um abraço

Zé do Cão disse...

Capitão.

Se não mandas desbaratizar a Naviarra
também deve ter mais do que pulgas.

Um abraço

Zé do Cão disse...

Moyle, ahaha...iscas estaladiças.
como o pão torrado, não?
E há gente que ás vezes está contra a ASAE.
O pior é se eles começam a fazer como as Actividades Económicas.
Não faziam nada

Um abraço

Zé do Cão disse...

Laurinha,
O "menino" sabe fazer petiscos, é bom cozinheiro. E então quando as namoradas fazem anos, o gajo fá-las renderem-se. Põe mesas de príncipes.

Com a pedalada que leva vai ganhar ao pai. Vai,vai
biquinhos

medusasss disse...

Sei de fonte séria e segura que a colheita de mil novecentos e oitenta e dois é excelente! ;)

Já baratas... ninguém ficou doente! Proteínas, proteínas!!!

***

Zé do Cão disse...

Medusasss, sou da mesma opinião. o rapaz saiu uma colheita de excelência.
Como filho é o orgulho da família.
Amigo, mas amigo dos amigos.
Namoradeiro, vai por aí fora com uma embalagem, cujo pai vai ficar a um canto.
Tem a "mona" no sitio, coisa que muita juventude não tem.
sobre as baratas, esperamos não ter de as comer dentro de pouco tempo.
Beijocas

JOY disse...

Amigo Zé do Cão

Não há nada que não te aconteça, até com baratas levas, Fosga-se. Estou a imaginar a cara do tua Dona ao ser confrontada com aquele pitéu.

Um abraço
Joy

Diabinha Cusca disse...

Zezito,

Venha daí o convite! Prometo que a resposta será YES!!!

Ah! a sugestão das "folhas de acelgas" não era para a madrinha laurinha, mas para a pascoalita que está a fazer dieta, lembras-te?

Mas tu és mais endiabrado do que ... ortigas acho um pouco de malvadez a mais eheheh

dentadinhas

Diabinha Cusca disse...

Zezito,

Venha daí o convite! Prometo que a resposta será YES!!!

Ah! a sugestão das "folhas de acelgas" não era para a madrinha laurinha, mas para a pascoalita que está a fazer dieta, lembras-te?

Mas tu és mais endiabrado do que ... ortigas acho um pouco de malvadez a mais eheheh

dentadinhas

Zé do Cão disse...

joy.

E que mais me ainda acontecerá?
"Por graça"
Tenho jazigo de família. Mas quando morre alguém que não tem e a família vai fazer um, pedem-me para o morto ir para o meu enquanto não fazem um para eles.
Só me falta, quando eu morrer ter o jazigo cheio e ter de ficar na rua, ao sol, à chuva, vento de noite e dia.
Já está lá um desgraçado há dois anos.
ahahah...
Um abraço
Vê só a minha desgraça

Zé do Cão disse...

Pronto, finalmente. Até que enfim.
Vou conhecer-te. Lá para 3ª ou 4ª feira, tá bem. Pede licença aos pais e diz-lhe que eu sou boa pessoa, para que fiquem descansados.

jocas

Anónimo disse...

Se quando morreres,não tiveres espaço,não te preocupes,sugiro mesmo na tua rua "corpo presente"..prometo organizar uma excursão com todos/as comentadores e RENDER-TE A ÚLTIMA HOMENAGEM

abraço:pandora_box

Laura disse...

Ai pandorinha, na mates o homi tão cedo ainda...e ós pois quem nos faz rir tanto que nem doidas?...
Ai vais conhecer a cusca? ó, ohohohohoho à Pai Natal hohohohohoh...depois conta o que achaste, ehhhh a patusca vai-te fazer rir a bandeiras despregadas....
Pelo sim pelo não, leva uma trela não vá a cachopa fugir-te...biquinhos pois e quando vou ao pão aos bicos d epato, lembro-me de ti ehhhhh..beijinhos quentinhos que tou gelada de todo e vou pra caminha..não vou a mais blogues, so amanhã..laura..

ai zézito, na morras ainda até eu aprender a tocar trombone eós pois canto a teu lado no dia da partida, calma ai, mas que morbidez...

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

___________________________________

Amigo, e sabes o que comprei p'ra acompanhar as iscas?

Dona Ermelinda - Reserva 2004 - DOC, prova e diz-me alguma coisa.

Abraço!
___________________________________

Zé do Cão disse...

Pandora.

Se for igual ao meu pai, ainda me faltam 21 para partir.

Tá bem, tá bem

Beijocas

Zé do Cão disse...

podes tocar as musica que quiseres, pouco me importa nessa altura.

Até podes por um disco da Anita Guerreiro, exemplo o "cheira a Lisboa".

Por aqui não há bicas há só papo secos.
Por aqui há chaves para parafusos e aí desandadores.

biquinhos

Zé do Cão disse...

jota.

Vou experimentar.

Um abraço

Diabinha Cusca disse...

Uau! O Zezito prometeu ensinar a madrinha laurinha a tocar trombone?
Como sou muito cusca, só quero fazer uma perguntinha:

De quem é o instrumento? ihihih

Zé do Cão disse...

ahahah...

biquinhos

Laura disse...

Mau, mau, essa de emprestar o lugar do morto não tem piada, cada um que vá para onde der...ora, ora, imagina-te com aquele que lá tá há dois anos..as pessoas nem pensam e são abusadoras a pedir...bolas, que susto, segura-te rapaz, mas na rua não te deixamos ficar, quem sabe vou pró pé de ti cantar-te umas musiquinhas...e claro que do lado de lá ficas logo quentinho e maravilhado com o que há por lá.Nem te atrevas a ir em busca das antigas garinas das sabrinas etc etc...ali há mais respeitinho e isso é muito bonito...
Mas pelo sim pelo não, mais vale encomendars novo jazigo e em segredos enão...lá vais tu d enovo pró olho da rua, mau, mau que a coisa foi mal feita. Entre ter bom coração e não ser papalvo, vai um passo...

Quem falou que o zé me ia ensinar a tocar trombone? onde leste isso cusquinha? explica ai..
Zé, nham nham, nem sabes o que acabei de comer, nem sabes, nem sonhas, ams tens ai muito disso perto de casa, acho eu!... Iscas não, não tão cedo depois de te ler...nanja... Beijinhos com o sabor dos meus doces..laura..

Gi disse...

A conta foi barata, foi, foi!

mjf disse...

Olá!
Eu pari também( em 1992 )na Clinica de s. Gabriel...com o Luis Cabral...depois a clinica que era da familia foi vendida ;=)
Em relação ao " Pleiro eu costumava comer uns bons grelhados...
Tinha uma optima lista de vinhos...
Prémio??? eu nunca ive ;=(

Beijocas
Bom fim de semana

Mariazita disse...

Olá, Zé
Quando aqui cheguei tive que, rapidamente, rolar o rato para deixar de ver essa imagem horrosa que está no início do post.
Que nojo!!! Parece que está viva!
Podias ter arranjado uma coisa mais discreta...
Odeio baratas. Não é medo, claro.Mas sinto um nojo incontrolável.
Em África havia-as do tamanho de pombas! Que exagero!!! Mas eram enormes.
Felizmente nunca encontrei nenhuma na comida, senão era capaz de vomitar as tripas. Olha, se fosse eu a estar no lugar da Dona, não havia necessidade de cesariana. A criancinha nascia mesmo no restaurante.
A única coisa estranha que encontrei na comida...não vais acreditar - foi um casquilho duma lâmpada, daqueles pequeninos, dentro dum pão.
Não é nojento, mas muito perigoso, sem dúvida que é.

Fica bem, que eu vou pregar para outra freguesia.

Beijinhos
Mariazita

Zé do Cão disse...

Laurinha
De mortos não vamos falar mais...
Já me chega quando me vêm pedir o jazigo emprestado.
Estou desejoso de conhecer a cusca, com ou sem trombone.
Quanto ás delicias. Sim a fábrica é mesmo aqui ao meu lado. Mas há também outras especialidades, e das boas. Olaré...
O que manjas nesta altura... Sei lá..
Umas farófias? Umas tortas? sabem a pouco, não é?
Biquinhos

Zé do Cão disse...

Gi, que boa presença. Recebi mail de Óla, que coisa boa.
Quanto á conta, foi BARATA, foi.

Beijocas grandes, grandes

Zé do Cão disse...

mjf.
obrigado pela honra que má pela visita que me faz.
Não nos conhecemos, não faz ideia de quanta admiração tenho por si.
Será que sonhei ou é mesmo verdade que tem ou teve a "menina" na Finlandia?
Neste momento, eu tenho lá o meu menino, este que estava por nascer e a que o conto se refere.
Tudo de bom para si...
beijocas
fim de semana bom, com descanso.

Zé do Cão disse...

Maiazita.
A barata que ilustra o conto até mexia as antenas.
Realmente também tenho repugnância pelas baratas.
Pois a ultima coisa que tive na boca estranha, juntamente com a comida, foi assim :- Eu, a Dona, meu irmão e cunhado, num restaurante no Alqueva, onde existem muitas avestruzes, estávamos a comer e trinquei segundo me parecia uma pedra. Caiu no prato tinlintou, a Dona olha e diz assim,« mas isso é uma pepita de ouro. todos os clientes olharam imediatamente e era mesma. Tinha-se solto a capa de um dente em ouro da minha boca.
No outro dia já cá estava outra vez no lugar.
E tinha um amigo, que tinha o hábito de quando havia mosca no restaurante, comia a comida, deixava um réstinho, apanhava uma mosca matava-a, metia debaixo do pouco que faltava, chamava o gerente, reclamava e depois de borla, batia-se com um bife com baatas fritas que era um regalo.
Vi-o fazer isto vezes sem conta, sempre em sítios diferentes.
Era um bacano, sempre bem disposto e fazia a coisa sempre com graça...
Já agora sobre o teu achado, atrevo-me a perguntar.- Não trazia lampada? Se trazia vinha acesa ou apagada? A EDP tinha cortado a luz, não?

Tudo nos acontece, não é?


Beijocas

MENSAGENS AO VENTO disse...

_________________________________

Lendo o seu depoimento, as lembranças me vieram... Também, dois de meus filhos, estiveram sentados até o oitavo mês de gravidez, mas, acabaram entrando na posição correta e tive partos normais... Só na hora da expulsão é que o médico teve algum trabalho...Ambos estavam com o cordão umbilical enrolado no pescoço!
Mas, foi tudo muito bem...Foram sempre crianças fortes e saudáveis!

Gostei muito de ler o seu texto!!!

Beijos de luz e um final de semana muito feliz...

________________________________

Zé do Cão disse...

mensagem ao vento.


Obrigado pela visita, e espero não contar mais nada que contenha baratas.
Mas mesmo assim, antes baratas do que veneno para ratos.
Como aconteceu no restaurante da "mamuda" numa pequena povoação do concelho de Vila Verde, onde o pão servido aos clientes tinha veneno.
Foi o chamado dia do Juizo, com ambulancias a transportar gente para Barcelos e Braga, tendo falecido 2 homens.
Uma desgraça que nunca chegou a ser
feita justiça. Recordo bem a caso.

Beijocas

Laura disse...

Ó zé, as baratas em áfrica não são do tamanho d epombas, a nina que me perdoe, vivi lá em Luanda e na mata e acredita que a smaiores que vi, e voavam e tudo, teriam o tamnho d eum ratinho dos pequenitos...maior não, só se for na China...e bem, quando chegamos lá fomos viver numa casa num Bairro da Cuca, rapaz, houve um temporal, as estradas abriram-se, carros engolidos, árvores a flutuar, tudo bem, dias depois estava eu com dez anos, deitada de barriga para baixo na minha caminha, o calor apertava, estava um cadinho de luz que vinha do candeeiros da rua, e vejo um trapo pequeno, e como tinha o braço fora da cama, quase a tocar no chão (não ouvia, claro) vejo o trapo e pego nele, sem sono, sem nada, aiiiiiiiiii o trapo voou plos ares com o empurrão que lhe dei, é que a nina baratinha põs as antenas todas alerta, as patinhas roçaram e.... que nojo minha nossa que horror e que grande a bicha era, mas aquela que tava ali seria digamos, do tamanho de uma rolha de cortiça das garrafas do vinho, mas, mais estreita e castanha escura como breu...nunca mais as pude ver, e claro, em todas as casas apareciam as baratinhas, em vez de formigas eram baratas, ehhhh Beijinhos ó zé, e cá tamos, sem filho nenhum so com o shakita, o mais velho parece mudo..so me faltava esta, eu surda e ele mudo, na fala, na diz nada, na conversa, na sabe inventar, enfim..que tristeza, vá que o meu ouvido vem a cmainho...

A n i n h a a disse...

Jeeeesuuus!

Se eu fosse a grávida, tinha parido ali mesmo.
Odeio baratas, ughh
deu até arrepio!

beijos, obrigada pela visita!

Zé do Cão disse...

Sim baratas de tamanho de pombas, pode fazer um caldinho para doentes.
ahahah...
Nas Canarias, Puerto de La Cruz, junto ao lago Martianez, à noite as baratas voam e batem na nossa cara.
Andam lá também uma baratas enormes, algumas calçam botas com salto de 3o cm altura, voam voam, mas não têm asas e dão por nome de travestys.
É um espectáculo...
ahahah
Biquinhos Laurinha

Zé do Cão disse...

Aninhaa.
Coitadas das bichas, nem a bomba atómica acaba com elas.
E gostam muito do quetinho, das maquinas de café, traseiras de frigoríficos etc, etc. É um encanto detesta-las.
Bem vinda e apareça sempre
Beijocas

São disse...

A quem sairia o "rebento" tão irrequieto?!

E coitada da "Dona"....

Uma feliz semana.

Pascoalita disse...

Quando era pequena também fui protagonista de um episódio ...

Havia na cozinha uma enorme me4sa de madeira preta (desconheço que tipo de madeira seria) que tinha 3 enormes gavetões onde se arrumava o pão e outras coisas.

Por essa altura ainda não havia electricidade em casa e a zona da cozinha era escura, já que apenas uma telha de vidro dava alguma claridade.

Sempre fui doida por azeitonas, até mereci de alguém a alcunha de "tordo" e lembro-me de um dia ter deitado a mão a uma "azeitona" que encontrei sobre a tal mesa grande.

Levei-a à boca e ao tricá-la percebi que não tinha caroço ... era um daqueles bicharocos negros, tipo "carocha" sabes?

Bem, andei o resto do dia a cuspir ahahahah

Pascoalita disse...

Por falarem em baratas africanas, há uns anos atrás quando ainda morava em Lisboa, numa noite de verão muito quente em que tinha todas as janelas abertas para fazer da circular o ar, estavamos sentados a ver TV quando, de repente, passou por cimaq das nossas cabeças qalgo a voar.

Pelo barulho que fez, pensamos que se tratava de um morcego e tivemos de desviar o móvel para capturarmos o invasor ... só então percebemos que era uma barata em tom castanho dourado.

Nunca tinha visto uma barata voar e cheguei a ouvir na TV que era uma espécie africana que teria vindo nos porões.

jokas

A n i n h a a disse...

Zé, só pra esclarecer,
minha vida não é esse Inferno todo.
O blog levai mais esse nome pq a minha cabeça pensa tanta coisa que as vezes eu não consigo processar.
Por isso o título do blog, "eu e o meu inferno".
Meu inferno é a minha cabeça inquieta.
E o post, bom, ele tá meio depressivo, verdade... msa são só sentimentos momentâneos.
Mesmo assim, agradeço muitoo pela preocupação
beijos :*

Zé do Cão disse...

São

é isso mesmo sem mais palavras.
Coitada da "Dona"
e a quem sairia o rapaz?


Beijocas. semana tranquila

Zé do Cão disse...

Afinal, constato que todos nós já tiveram aventuras com baratas.
Grandes pequena, voando ou não elas já nos fizera, partida.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Pascoalita.
Não seria um filme em três dimensões,
e que a barata tivesse saído da televisão?
Olha que já não é a primeira vez.

Biquinhos, biquinhos

Zé do Cão disse...

Aninhaa, fico feliz por isso. Todavia existe muita, mesmo muita menina que tem a vida num inferno e quando mais velha já com filhos e tudo quando se fala da meninice dizem que é assunto para esquecer.

Não fui tão longe no pensamento...
Beijocas

Laura disse...

Ahhh, as baratas de que falas de salto alto, na África do Sul havia imensas e nem se escondiam, apre, metiam-me cá uma impressão, pois não estava habituada a isso, e no meu prédio moravam muitas do sexo feminino, em casaias, imagina o meu desconforto no elevador e elas a beijarem-se à frente do nuno com 4 anitos que me perguntava o que elas estavam afazer se nunca tinha visto isso, ai nino, nino, mas cada um sabe d esi, só que custou ver o que nem se conhecia, já que aqui e noutros lados disfarçavam muito bem...
Barata dos porões dos barcos vindas de áfrica, olha o que ela viajou até a casa da pascoalita, ahhhhhhh...mas assim acreditas em mim...e a tua azeitona devia serdeliciosa, e eu em pequenina comia ou antes trincava os bichos de conta, subiam plas paredes, mexia-lhes com o dedo e caiam no chão enrolados em forma de bola e vai dai a laurinha dava uma trica, a mãe batia-me nas mãos e na boca, ralhava, mas eu lá ia atrás do próximo e nem dois anos tinha, ehhhhhhh.
Beijinhos..chove, chove galinha a nove...

Zé do Cão disse...

Laurinha.
Uma vez vi uma miúda da minha família a trincar um cagalhoto de cão, parecido com uns bolitos enroscados que se vendiam na feira.

Doutra, vi um miúda talvez aí duns 6 anos, coitadita a encher um balão (?) que já tinha sido usado e achou no chão.
Enfim, a gente vê muita coisa... Eu com 3 anos assentava-me debaixo duma cêpa no verão a comer uva. Como a minha mão não me via, chamava-me e eu respondia. Quando me perguntava o que eu estava a fazer, respondia assim. É só uma, mãe...
tudo quanto é pequenino tem graça..
ou quase tudo.

biquinhos

Pascoalita disse...

Xiiiiiiii é só alguém puxar a corda e começamos logo todos a desenrolar o novelo de recordações ... e aca uma melhor que a outra ahahahahahahah

jinhos, meu homónimo (com apentises eheheheh)

Laura disse...

Zé, essa do balão, calhar era eu, mas nem cheguei a levá-lo à boca, a senhora da janela em frente, quando iamos prá escola e viamos um no chão, era ver quem apanhava primeiro e enchia o dito (nossa mãezinha que nojo, mas eu nunca tive sorte porque amulher gritou d aprimeira vez e a minha amiga deu-me um safanão que quase cai de cu no chão... e dizia a senhora; ó suas porcas, larguem isso é da p..a dos homes. ai nossa senhora, nunca mais na vida olhei prá quilo, memso havendo tantos pelas ruas... e isso foi no Entroncamento, arre porque não punham no lixo?

Zé do Cão disse...

Laurinha, se calhar era pelo facto de ser do Entroncamento.
Antigamente era a terra dos fenómenos . Era cada aldrabice de se lhe tirar o chapéu.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Pascoalita.

Na realidade quando recordamos as coisas do dia a dia doutros tempos até nos parece mentira que tivesse acontecido.

biquinhos

Laura disse...

E então sempre acertaram o dia do almoço para conheceres a criança cusca? ela vai dar-te lições darromba, olha no que podes aprender com ela... Beijinhos e conta, conta e reconta, ahhhhhhhhhhh....todos a querem conhecer, mas ela é manhosa e falta aos almoços, não foi o que aconteceu ao João o avô? ahhhhhhh..

Roderick disse...

Bem!! Isso é que foi um petisco. Os chineses pagam para comer esses acepipes e o meu amigo reclama! está mal! Está muito mal!!!!

Roderick disse...

Vais almoçar com a cusquinha?
Vejam lá se comem baratas!!!!!

Mandy disse...

Casamento pode ser bom, como tbm não!
Mas como estou sozinha... continuo afastada deste termo!

rsrs

BjO.

Zé do Cão disse...

Pois Laurinha.

A Cusca Endiabrada, APARECEU.
APARECEU e digo-te que é uma menina toda expedita e nem parece deste tempo.
Aparenta ser de outra época, mas é bem presente e da actual.

A manhã comento no seu blogue.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Eu a fazer-me de esquisito e os chinócas a chamarem-lhe um figo.

U Abraço

Zé do Cão disse...

Roderick

É verdade, hoje 11 de Fevereiro de 2009, almocei com a Cusca Endiabrada.


Bati todos os recordes e consegui fazer com que almoçasse comigo.


No blogue dela vou dar a noticia

Zé do Cão disse...

Mandy. Queridinha.

Chegará a tua vez. Acabas o teu curso e verás.

Todavia não percas o tema.


Beijocas

Anónimo disse...

Xiba-te,páh


Estamos todos com a língua de fora com curiosidade e com pormenores....ouviste???

Um abraço:pandora_box

Zé do Cão disse...

Xiba-te? explica lá o que essa palavra quer dizer.
Se é sobre a cusca, vai ao seu blogue que tens lá a resposta.

Beijocas

Anónimo disse...

Mais uma palavra "teenegers" é o que faz ter malta nova cá por casa......quer dizer xuta cá pra fora tudinho....

Um abraço:pandora_box

Laura disse...

ahhh zezito, andas a menos de 80, chiba-te pá, na sabes que tens de verter o que viste e o que achaste da gaja prá gente saber e poder chibar por nossa vez? ahhhh, ja la vou ver...beijinhos.

Laura disse...

Nino, não me digas que andas a correr contra o vento... o post já tem a barata grelhada tal o tempo. Bota faladura nova pra entreter o pessoal... beijinho de boa sexta feira. Cá pra mim andas no laró por ai a arejar...

Mariazita disse...

Amigo Zé
Como já comentei este post...limito-me a entregar
1
CONVITE

Este convite permite-lhe o acesso ao blog A CASA DA MARIQUINHAS,para o qual está convidado a comparecer amanhã, dia 14 de Fevereiro, à hora a que desejar.

Chamo a atenção para o facto de a admissão ser restrita, pelo que deverá fazer-se acompanhar pelo presente “convite”, sem o qual corre o risco de lhe ser barrada a entrada, já que é “Reservado o direito de admissão”.

E porquê amanhã, dia 14 de Fevereiro, dia dos namorados?
Se outro motivo não houvesse, haveria este:

14 de FEVEREIRO DE 2009
INÍCIO DA TRANSMUTAÇÃO DO KARMA PESSOAL E MUNDIAL
No dia 14 de fevereiro as 7h.25m. horário de Greenwich - (São Paulo as 7h.05m. e em Lisboa as 7h37m.) haverá um forte alinhamento dos planetas, todos no signo de Aquário: Sol a 25º, Netuno 24º, Kiron 21º, Júpiter 19º, Nódulo Lunar 8º, Marte 7º e Mercúrio 29º de Capricórnio, todos na 12ª. Casa: do Karma, significa a finalização de um ciclo kármico. A energia atinge toda a humanidade, porém a libertação é individual, é de dentro para fora, ou seja, precisamos estar receptivos a essa energia planetária. A nossa mente, alma e espírito devem estar conectados com essa vibração transformadora, o ideal é realizar uma meditação durante 18 minutos.
A Lua estará no Signo de Balança, emitindo amor e equilíbrio às nossas vidas.

Beijinhos
Mariazita

Laura disse...

Ah, fui a correr ter com a mariazita, mas, portinhas fechadas...voltei aqui e entrei com o teu convite e lá fui, mas, é só amanhã, apre, hoje é o meu dia dos mas... A minha prima ficou de me vir buscar para ir ver a casa dela, nova, linda e eu a adorar, fiz bolinhos para levar e, mandou mensagem que já vinha a cmainho, vem do porto, dali a 10 minutos, outra mensagem que o acrro empanou, estava à espera do reboque e depois vinha de táxi pra casa, enfim, amanhã vemo-nos, é por siso que digo que hoje é o meu dia dos mas...Abençoada energia que amanhã vai entrar em cheio e com os meus dias de sorte a chegar, só poo sentir que a minha libertação será verdadeira...
Beijinhos.

Zé do Cão disse...

Pandora. Sempre que ouvi esse termo, referia-se ao mundo do crime, fiquei surpreso.



Beijocas

Zé do Cão disse...

pandora,
Mas eu já vomitei tudo cá para fóra.
É uma menina adorável, com cabelinho aos caracóis, bonitinha e até me deu uma fotografia e da sua irmão também.
beijocas

Zé do Cão disse...

Lauirnha.
Já dei a minha imagem.
Velho, trôpego, mijão, com bengalinha, cabelo todo branco, gágá,
cansaço com facilidade a subir escadas e com tremuras.
Não sei mesmo, como passo na renovação da carta de condução. E falta de ouvido.
Mas gosto e respeito muitos os amigos

Beijocas

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Hoje é dia dos Namorados.
Como o meu post, só sairá na proxima segunda-feira, é juro que fiz, só sair de 15 em 15 dias, vai ser dedicado ao dias dos namorados.
Dedico a todos os namorados do mundo e dos seus arredores.
Que sejam muito, muito felizes e vamos ao conto...

Beijocas

Zé do Cão disse...

Mariazita.
Jó passei por lá e não vi nada...
Passarei noutra altura, para apreciar, é que o Zé não acredita em Karmas, aquarios (só dos peixes)Neptunos etc, etc. Essas energias positivas e negativas, passaram-me sempre ao lado.
E nas relegiões, respeitando-as, pouco me interessam.
Sou assim como aquilo a que chamam alma penada ao vento.

Minha querida, estimo-te muito e não fiques zangada comigo.
Há, hoje é dia dos namorados, vou passear com a mulher que ama e fazer-lhe uma surpresa.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Laurinha.
Hoje já não volto aqui.
É dia dos namorados e vou passar com a minha namorada.

Depois de muitas doidonices, acho que cada vez gosto mais dela. Eu sei que ás vezes é "chata", mas não fui eu um "chato" para tantas...
Gosto dela e pronto, sinto-me feliz.
Ela gosta de mim e somos um casal feliz.

Biquinhos

Diabinha Cusca disse...

Adoro saber os meus amigos felizes e tu és uma pessoa linda e bem mereces ser feliz.

Como não tenho namorado, não troquei presentes nem miminhos :(

dentadinhas e biquinhos

Anónimo disse...

Ès ÙNICO,ZÉ!

Toda a minha vida admirei um HOMEM que grita bem alto o AMOR que sente pela companheira...

Casos raros,nos dias que correm(e sou eu que o digo)

Desejo ardentemente que tenha sido um FABOSLÁTICO dia..
pandora_box

Anónimo disse...

Fabolástico...sem s

brrbbrrbbrbrbrb

Um abraço pa ti e DONA
pandora_box

Laura disse...

Ahhh o zé não arranjava outra dona como esta!... e se são felizes; melhor coisa não há...tomara eus er feliz, amada, levada a passear sem ir plas ruas a olhar prás outras a torto e a direito, estraga-se tudo e assim, ja nem saio ehhhhhhhh, nem me sinto bem dessa maneira e, pimba, queres dar uma volta; Não, queres sair? Não...e ando sozinha ou com as amigas, que se lixe, mais vale so que mal acompanhada... Pandorita não queres vir até cá um dia destes?

Maria Flor disse...

Ah Zé!!!

Só tu para juntar nascimentos e baratas!!! De tanta veracidade que tentas dar aos fatos, ás vezes me soam como contos, mas sim, eu sei que são todas reais, daí por isso eu gosto ainda mais desse cantinho!!!


beijocas,

flor.

Zé do Cão disse...

Diabinha

Não tens namorado, mas tem muitos, muitos amigos que gostam de ti a valer. E isso ás vezes é melhor que um namorado.
E se esse namorado for como o Zé foi, minha querida que Deus te livre de tal peçonha.
Lê o meu post amanhã e verás que tenho razão. A única coisa boa que tenho é que me emendei, ou deixei de ter pedalada.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Pandora.
Eu julgo que sou igual a tantos e tantos outros que gostam muito da sua cara metade.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Laura.
"Dona" como esta não arranjo de certeza. Todavia tenho muitas e muitos amigos que fazem as delicias da minha vida.
Pena é que de quando em quando alguns deles, partam para uma viagem sem regresso e me deixe mais só.

Zé do Cão disse...

Flor.menina

É verdade já houve que duvidasse da veracidade dos contos. Mas juro perante Deus, que passei tudo o que conto neles e o mais que ainda hei-de contar.

Beijocas

Diabinha Cusca disse...

O meu avô costumava dizer aos amigos quando se referia às suas esposas:

"estima-a bem, porque quem fez essa já não faz outra"

Passaram um óptimo dia de namorados? Ainda bem. Fico muito feliz por vós ... eu já vou na 3º longa metragem de amor no écan eheheh

dentadinhas

Olá!! disse...

Espero que os meus clientes não se lembrem de levar umas baratitas no bolso para se baldarem de pagar a conta...
Nunca comi iscas com molho, mas fiquei sem vontade de saber o que isso é :))))
Beijossssssssssssssss grandes

Fatima disse...

Zé aconteceu-me um episódio semelhante num restaurante afamado da linha de Cascais.
A diferença, é que neste, o dono quando foi chamada de forma muita pacata, disse que as baratas tinham sido lá colocadas pelo cliente.
Foi aí que a pacatez se tornou numa discussão bem violenta para que todos os clientes ouvissem...
Ainda hoje é sítio que não recomendo a ninguém.

Zé do Cão disse...

Cusca

Minha querida, é bom amar e ser amado.
Acho até que a vida corre melhor e não damos pela crise.

Biquinhos

Zé do Cão disse...

Olá. Bem-vinda querida amiga.
Até é capaz de ser um bom prato, que o digam os chinócas.
Todavia é um bicharoco que se aloja no quentinho das maquinas de café etc. etc..
E depois é o que se vê...
Quanto aos clientes as levarem, tudo é possivel.
Já vi fazerem isso com moscas.

Beijocas...

Zé do Cão disse...

Fátima.
Em Esposende, talvez aí há 10 anos, quando almoçava frango assado com um grupo de "garinas" minhas conhecidas,debaixo de algumas asas das aves, estavam também grelhados alguns "morcões" e aquilo cheirava mal.
Reclamei ao filho da dona da casa, que ficou preocupado e arranjou-nos uns bifes.
No entanto a dona, sua mãe veio com os pratos recusados, tirar satisfação, dizendo que a comida não estava estragada.
E foi aí que estragou tudo. Casa cheia... o que teria passado despercebido, acabou num burborinho
dos diabos com a presença da GNR e delegado de saúde.
Não fazes ideia de quanto me arrependi. Só a aguardar a chegada do delegado, perdi 5 horas e entretanto já tinham deitado a "frangalhada" fora.
Enfim...novela à portuguesa

Beijocas

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

Fonix... com baratas?

Zé do Cão disse...

Jota

Hoje 3/4 começa a festa do Vinho, Pão e Queijo na Quinta do Anjo.
Lá estará a Ermelinda.

Um abraço