18.11.08

“Ai no me lo diga!”

(Caravela que habitualmente ornamenta a entrada do recinto da feira)


Nas minhas andanças por terras de Espanha, conheci um casal de Huelva, gente simpatiquíssima que vivia juntamente com uns tios já maiores, que tinham uma pequena mercearia de bairro. Os tios eram de Burriana, da Província de Castellon, comunidade Valenciana e desde que partiram à procura de melhor vida, nunca mais visitaram a terra natal.
A D. Carmen, nome da tia, tinha um horror às estradas, aos automóveis, aos comboios, tendo chegado a pensar que ela tinha medo de tudo quanto mexesse. Portanto, pouco saía de casa, a não ser para ajudar o marido na sua loja. Os sobrinhos, ele, Juan e ela, Maruga, esperavam ansiosos a visita da cegonha.
Certa ocasião, visitei-os aquando da realização das festas Columbinas, que se realizam na primeira semana de Agosto em honra de Cristovão Colombo, pois foi daquela Cidade espanhola, que partiu, à descoberta do novo mundo.
O Juan, Maruga, eu e a minha companheira Lurdocas que já foi interveniente no meu conto da atribulada “Viagem a Sevilha”, fomos ao teatro ver uma peça cómica, num desmontável sito no recinto das festas. Havia um artista que, por tudo e por nada, dizia esta frase: “Ai no me lo diga!”. Frase que pegou no nosso vocabulário e passamos também por tudo e por nada a dizer : “Ai no me lo diga!”.
Falando, em sua casa, das grutas de Aracena, que tínhamos visitado aquando da deslocação a Sevilha de tão boa ou má memória, a D. Carmen disse que nunca tinha visitado umas grutas e eu propus-me imediatamente a levá-la para ver aquelas, satisfazendo assim o seu desejo.
Que não, que tinha muito medo da estrada, mas, com paciência, lá a convencemos e, no outro dia, munidos de um piquenique, lá partimos no Fiat 500, subindo a serra de Rio Tinto a caminho das grutas, ficando o marido em casa entregue ao pequeno comércio.
Dado que a D. Carmen era dos “pesos pesados”, ia ao meu lado, sendo notório o “stress” que a senhora passava pelo medo que tinha. As conversas desenrolavam-se e, de quando em quando, lá ia “Ai no me lo diga!”. Parámos para petiscar e não levávamos nada fresco. “Ai no me lo diga!”. Nas curvas, nas grutas “Ai no me lo diga!”, que medo a senhora tinha e por que pressão estava aquele anjo sénior a passar.
Quando saímos das grutas já era noite, sentámo-nos numa esplanada, comemos qualquer coisa e começámos a viagem de regresso. Aí, a senhora confessa que estava com um medo de morrer, ao fazer a viagem de noite em plena serra. Claro que… “Ai no me lo diga!”.
Ocupámos os mesmos lugares na viatura e, quando estávamos a meio caminho, a D. Cármen, que ainda não tinha aberto a boca, demonstrou que estava atrapalhada e queria vomitar. A Lurdocas, para animar a malta, diz assim: “Ai no me lo diga!”. Eu paro o carro e, quando me debruço para tentar abrir a porta do seu lado, saiu pela boca da D. Carmen uma descarga que bateu no vidro e fez ricochete, ficando o raio da velha e eu em mísero estado. “Ai no me lo diga!”, diz o Juan. Entretanto, já tinha sido aberta a porta e ela, coitada, envergonhada, limpava-se com um pano, quando lhe dá vontade para segunda convulsão, debruçando-se ainda mais, para fazer directamente para o chão, ficando com o traseiro espetado e virado para mim e enquanto descarregava pela boca, dá um pum...mas um pum tão grande, tão grande, que se eu não tivesse a porta do meu lado fechada, saía disparado para a arcem (valeta) do outro lado da carretera e a protecção civil chamada para me socorrer, teria de me apanhar aos bocados.
A sua sobrinha diz assim: “Ai no me lo diga!”. Toda a gente queria rir, toda a gente se conteve, e à minha pergunta de se encontrar mais aliviada, respondeu. “Que vergoenza, que vergoenza”.
A partir daí, aquela viagem de regresso mais parecia um velório do que um passeio.
Com os meus botões, pensava: se ela se caga outra vez, temos caldo entornado.
Quando chegámos a Huelva, já noite dentro, ainda apalpei o meu braço direito, para ver se não estaria deslocado, porque um torpedo daquela envergadura tem efeitos devastadores, que o digam os militares americanos em missão no Iraque.
No outro dia, quando partimos rumo à capital portuguesa, toda a gente veio despedir-se de nós, excepto a D. Carmen que, por se ter esvaziado como uma boneca insuflada, não se aguentava de pé.
Para desanuviar o ambiente, quando os visitei novamente fiz a entrega de um macaco de cerâmica a subir uma corda, que me disseram nas Caldas de Rainha (vejam lá onde fui arranjar aquela obra) ser o macaco do azar, esclarecendo eu aos amigos de Huelva que se tratava do macaco da sorte.
O “mono” foi imediatamente pendurado na loja, para dar sorte, e, quando mais tarde voltei, vi aquela encerrada, as ervas já altas à entrada da porta e fiquei preocupado, julgando ter contribuído para a falência do comércio de ultramarinos que era a sua subsistência. Eis que veio ao meu encontro o amigo tendeiro e a sua amada Carmen dar-me um abraço bem forte, pois o macaco lhes tinha dado tanta sorte que se viram obrigado a mudar de local, para aumentar o negócio.
Confirmei que afinal estas coisas de macacos de sorte ou azar não passam de mito. A sorrir e ao ouvido dele e sem que a Carmen ouvisse, disse baixinho: “Ai não me lo diga!”

107 comentários:

Laura disse...

Ai no me lo diga, digo eu...lá flamante senõrita te deixou esquesito de puns rebentados nas tuas trombas... ai no me lo digas, já me fizeste ir ao wc que me deu um ataque de tosse que ainda nem parou e corri que nem tola enquanto dizia pa dentro, ; laurinha ai no me lo digas...Atão ó zé a senhora nem teve culpa, o claudio um dia viajou com a avó em sessimbra, iam de autocarro para a praia e a vó deixa cair o porta moedas, abaixa-se e, diz ele;jasus, mas que pumba eu levei na tromba que ia logo atrás dela...
pôças mãe, tu nem sabes o estrondo que aquilo foi, mas ainda estou a tempo de o ouvir um dia destes... e olha, bem me podias arranjar o macaco da sorte, entretanto a macaca sou e eu e a sorte? foi-se!... ai no me lo digas meu maluco inveterado...ias parar ao lado de lá da valeta ou da carretera? os carabineros tiravam-te dali e ainda te davam um turrón de Alicante pra comeres com a lurdocas, a miuda ainda se deve lembrar dessa e rir-se-á ao lembrar.. beijinhos meu comediante numero um aqui na blogosfera...

Zé do Cão disse...

Lauirnha.
Ai não me lo diga. Foste a correr ao banheiro.
Que belos momentos eu passei com a companheira Lurdocas. E que belo passeio foi aquele e que Bela ginja deu a Carmen, que me ia partindo 1/2 dúzia de dentes.

Beijocas

Cusquinha endiabrada disse...

Estava eu muito entretida a lavar as fuças ao "reco" que a minha madrinha me deu no aniversário do ano passado, quando fui avisada de que o nino zezito tinha história nova

- "Ai no me lo diga” !!! e desatei a correr tão rápidfa que fiquei assim, estática eheheheh

Zé do Cão disse...

Era um passeio bom para ti.
Ai não me lo digas. Só a mim é que acontecem coisas destas.
Vê lá o meu azar. Em contrapartida dei-lhe um macaco da sorte, se fosse em Portugal era do azar.

Mexicano Apaixonado disse...

Viagem animada esse, Zé!

Devias era ter ajudado a D. Carmen a "despejar o abndulho" duma vez ... empurrava-la por trás e ... pimba!

Puxa! Essa D. Carmen não seria parente da Carmen da ópera???

Embora variando o canal de son, são ambas dotadas de grande voseirão ahahahah

Cusquinha endiabrada disse...

Olha Zezito

Calhar era um macaquito igual a esse que me fazia feliz! Em vez daquele suínho ranhoso com que a madrinha laurinha me presenteou.

Arranjas-me um nekito desses das caldas? Pode ser mesmo tão azarento como esse que deste à familia galega eheheh

Cusquinha endiabrada disse...

Olha, estive a pensar que essa caravlea era a ideal para uma viagem.

Levavamos também o Hipólito :))

Zé do Cão disse...

Cusquinha.
Huelva fica na Andaluzia a 60 Km de Ayamonte. e Castelon fica na comunidade Valenciana. Ai, ai a tua geografia.
Andas com a cabeça no ar por causa do macaquito. Estou a ver que andas mas é com macaquitos nos forrinhos.
Eu sei que tu não sabes o que são forrinhos. Pergunta lá a Laurinha, que la sabe.
Sabes que eu gosto muito de ti, não sabes? Então toma lá uma beijoca

Zé do Cão disse...

Laurinha, já não vejo a Lurdocas há uma porrada de anos. Digo-te sinceramente, que tive muitas mais aventuras com ela. Até fizemos um cruzeiro à Jugoslávia, Grecia e Turquia. Era porreirinha e uma camarada de primeiríssima água.
Beijocas

Zé do Cão disse...

Cusquinha, diz-me lá. Estavas a pensar fazer um pic-nic comigo e por isso também ia o Hipolito? Lembrei-me agora, se a Dnª Carmen também levasse o Hipolito, coitado também ficava todo sujo.
Mas a Dnª Carmem tinha um fogareiro maior que o Hipolito, isso digo-te eu.

Beijocas "nina"

Anónimo disse...

Lá se foi o raio do rimel,e é do bom,de tanto rir ás lágrimas...
è bem verdade que !merda" dá sorte,,,
Sabes tu,q as conversas de "tropedeiro" são as que mais me afzem rir?....fui muita vez castigada no Colégio,por de muitas destas...

Macaquinho não quero....já me saiu um na rifa e eu despachaei-o em patins,,,,
Mas um Stª António das Caldas,daqueles te têm um "atilho"..eheehehe--não sei não
Olha lá,não te "espirrou" nadinha pra ti??
Xi:pandorabox

Zé do Cão disse...

Pandora
Sim, sim da 1ª convulsão fiquei bemsalpicado. Já parecia o Hipolito do conto anterior.
Agora do torpedo à queima roupa, foi como disse, a minha sorte ter a porta fechada.
Só eu sei o que a Lurdocas se riu à custa do meu aspecto, quando entramos no hotel em Huelva.

Grande camaradona que éra a rapaça.
Beijocas

Laura disse...

Sei sim senhora, forrinhos é a dependência acima do prédio ou casa, onde podes guardar coisas, eu tinha um na Conselheiro Lobato...

Bem,s e a nina pandora se riu a bom rir, como não ia a correr para a casa de banho que me deu logo um ataque de tosse, pudera, mas que homem vivido e com histórias para contar...pobre da dona carmencita, verguenza pois..dios mio... Beijinhos. e a cusca é uma chatinha...o santo antonio que a pandorinha fala é dos malandros que tem algo mais que a roupa por baixo, é? ai , ai, ai a marotice, e o macaco despachaste-o? ahhh , imagino...beijinhos.

Zé do Cão disse...

Ai Laurinha.
Quando em Braga fui ver uma casa e me disseram que tinha forrinhos, perguntei logo o que era. Nunca tinha ouvido tal. E o certo é que nunca me habituei.
O macaco a que a Pandora se refere tem um cordel para puxar. Tás a ver ela é malandreca...
Quanto ao outro foi bem caro...Em Huelva com a chegada dos Hipers, se calhar foi à busca de bananas para outro lado.

Beijocas

kuka disse...

Grande máquina esse fiat 500. Quase tão bom como o meu honda 600.Lol! O pessoal do Laranjeiro conhecia-o pela: Bomba amarela. Só lhe faltava falar. ainda bem que nunca falou porque tinha muito que contar.

Zé do Cão disse...

Kuka
Acredito, acredito. Estás a ver, se eu com um 500, estava sempre em desventuras, vê lá se tivesse um honda. Andava sempre em águas ainda mais turvas.

Um abraço

Laura disse...

Pois, aprendi no dia que comprei o meu apartamento com vista para a feira e o picoto e via-se o fogo do s. João ao máximo...e tinha forrinhos e lá me levaram a vê-los e por sinal, bem grandes, fizemos ali arrumação e o meu quarto da costura e os ninos brincavam ali enquanto eu costurava...
A cusca faz anos, sabias?
a apandorinha é sim, uma nina endiabrada e faz-me crer que a vida lhe corre sobre rodas já que tem tanto á vontade ehhhhhh...beijinhos.

Zé do Cão disse...

Vês, vês os forrinhos, dão um jeitão.

Anónimo disse...

Tal como o Zé,sou uma apaixonada pela vida..vivo cada segundo com sôfreguidão,,,,,e sou,sou sim uma peste....ihihih

Humor e inteligência uma combustão....

Abraços:pandorabox

Diabinha Cusca disse...

A laurinha descobriu, ou melhor lembrou do meu aniversário!!!


Vá, abre lá bem a boca e diz, comigo:


Ai não me lo diga!!!!

Laura disse...

queridos zé e pandorinha, apaixonada pela vida sou eu também, e surda ainda por cima, não mata os meus desejos por um mundo melhor e uma melhor relação entre as pessoas, menina vai um mailzinho práqui? eu adoraria falar mais solta ehhhhh e tu idem, já vi que és uma nina forte, decidida e..amiga... posso saber porque o zézito não foi dar um jinho à cusca, de parabéns no meu blogue, ó zé, das duas uma; ou tás doente ou saiste a dar uma volta grande...beijinhos.

pandorinha essa de ser pobre a pedir ou não...eu não sou pobre a pedir, não só para mim, embora ELE saiba o que preciso, mas também o que mereço..e mais uma vez ontem tive a prova disso...tão bom sentir que ELE é Pai mesmo!... Beijinhos.

Zé do Cão disse...

Pandora
Viver cada segundo da vida, não é nenhuma peste.
Viver cada primeira da vida, até dada altura é uma dávida, depois é que são elas, quando aparecem os nobres desta nação, (lê o hino nacional) somos humilhados pelos não nobres que são desonestos.

Beijocas
.

Zé do Cão disse...

Diabinha cusca.

Anos, é tão bom ser criança e fazer anos, não é cusca. Mais mais chegas a crescida, demora uma eternidade, não é?

Chega cá e depois diz-me, quantas desilusões, quantos torpedos te chegas aos pés e ás mãos?
Queridinha, vai em frente e fez na tua imaginação e no teu crer.
Para a semana ofereço-te um almoço.
Queres aceitar?
Beijocas

Zé do Cão disse...

Laurinha
Tive razões fortes para estar ontem pouco tempo agarrado a esta máquina.

E hoje vai na mesma e para o próximo mês e Janeiro ainda vai ser pior.

Temo mesmo que tenha aí por 15 dias
de deixar de aparecer de todo.

Uma beijoca grande

Mary West disse...

Um dia hei de me aventurar assim pelo mundo. Preciso apenas de um motorista, pq morro de meda da direção. :D

Moyle disse...

um banho de "cabrito" e um bombardeamento de "farpa" devia dar acesso ao paraíso em qualquer religião e isso "te lo digo" :D

abraço

Mandy disse...

Sempre com viajens animadas hein mocinho!!!! rsrsrs
Queria me aventurar mais...

^^

Saudades daki...

BjO.

Laura disse...

Ó ó ó ó ó zé zeééééééé, num podes abandonar o barco, num póóóódes e pronto: Plavra de laurinha e prontos e mais prontos e prontinho da silva...Não sais daqui e a coisa não tá má contigo ou está? mau, mau e mau outra vez, já encho a mioleira em busca de perguntas, escreves um email? pelease...qual 15 dias? queres matar-nos? bolas..

Rafeiro Perfumado disse...

Zé, as tuas histórias são deliciosas. Mas tens que dar o desconto à senhora, entrar num Fiat 500 era caso para acagaçar qualquer um! Coitado é de quem teve de lavar as cuecas à senhora!

Grande abraço!

São disse...

É bom poder vir rir com as tuas estórias: isso é muito importante nestes tempos cinzentos de chumbo que nos afogam.
Bem hajas, companheiro !

Zé do Cão disse...

Mary West.

E que a companhia não tenha medo das estradas e não fique agoniada.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Moyle. Todos os banhos são bons desde que não sejam iguais aos da Carmen.

Um abraço

Zé do Cão disse...

Mand.
A tua presença é sempre um ar fresco no blogue.
Como vai na faculdade?

Beijocas

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Contar-te-ei evidentemente.
Beijocas

Zé do Cão disse...

Que verguenza, que verguenza...

Quantas vezes tenho contado esta estoria entre amigos.

Um Abraço

Zé do Cão disse...

Fico sempre com alma nova, quando passas por aqui.

será que acontece aos outras coisas destas?
E tantas?

Beijocas

Oliver Pickwick disse...

Zé, desconfio que há anos, você é proprietário de um destes macacos de cerâmica. É a única explicação para trocar sabrinas; presentear, por engano, uma bela jovem com um creme dental; fazer um passeio desastrado a Pernes; e, sobretudo, ficar bem na mira de um pum atômico. :)
Um abraço!

Laura disse...

ehhhhhhhhh essa do pum ató mico na cabe na cabeça d eninguém, mas que engraçadinho ...que giraço o comentário..atómicidades, pois..beijinhos.

Zé do Cão disse...

Oliver.
Foi o comentário mais oportuno que já tive em todos os post que tenho
atirado para a net.

Um abraço deste seu amigo.
Se um dia viera à terra dos Portugas,não tenha vergonha, bata-me à porta.

Zé do Cão disse...

Laurinha.

O Oliver comentou o "Ai não me lo diga" com muita oportunidade.

Bejocas

Mariazita disse...

Mais uma crónica à Zé, que é o mesmo que dizer: de fazer rir até às lágrimas!
Acredita, há pessoas que nascem para espalhar boa disposição à sua volta. Tu és uma delas!
Obrigada. O dia vai me correr bem...
Beijinhos
Mariazita

Rei da Lã disse...

Chegares até aqui sem passar pela cadeia é obra, Zé!

:D

Laura disse...

Boa, boa, três vivas ao rei da lã; rapaiz tu tens cá o dom da oportunidade... tens toda a razão deste mundo e do outro! O homi nem merceia ter passado pla vida em pézinhos de lã, com ou sem sabrinas, com ou sem pasta de dentes e papagaios, mas passou e sem entrar na choldra..adoraria que ele tivesse visto as cores das paredes da prisa...se fosse a meio do caminho dos vinte anos, já não faria tantas asneiras, mas, que queres, o homi é assim e assim há-de morrer...mas que belo sentido de oportunidade, meu!...
Um abraço aos dois..

JOTA ENE ® disse...

Mais uma vez por aqui passo para ler as tuas "obras de arte".

Bom f-d-s!

PS - Tás linkado!

Laura disse...

ehhh tu não tás linkado, tás mas é lixado...com tanta algaraviada que fizeste e nem me digas assim; no me lo digas, porque estás..Beijinhos.

São disse...

Viva!
Acho que me respondeste, mas como não me identificaste...
Bom fim de semana.

Anónimo disse...

O Rei da Lã.se não fôr tosquiado antes,tb o vou visitar lá,com uma marmita....

Que o Zé,goze como bem merece,pras bandos do SUL......

Bom fim de semana,para todos/as
pandora_box

Diabinha Cusca disse...

Zezito,

Bueno! estás-me convidando para um almoço contigo?? Pero esa es la cosa a pedir los hombres?

es eso cierto?

"Ai no mo diga"

Diabinha Cusca disse...

No creo que haya! Usted no me engaña?

Yo! Yo! Yo! muchos besos

Laura disse...

xi, a cusca habla espanhol...xi la nina es uma fingida nequita, pero no lo muestra su rosto... no, no me lo digas... usted vaia de nuevo ter la presença de ze do canito num almuerzo a dos? hombre, qué chiste!...qué pesadilla.ehhhh o riso já é em português... falou a imbejosa, pois, imbejosa dos almoços com gente que quero conhecer, ah cusca, se te boto os olhos em cima...ai ai esqueci que soy la tu madrinã..pandorinhabox e usted no se vá ao sul almozar com los dois?

Anónimo disse...

Coño qui nadie!!!

Fecham-se em copas quando é para ENFARDAR

Já viste???

Vamos fazer greve,Laurinha???

Aguentas com o pau na mão ma manifestação????

Ò ZÈ......comekitefartis!!!!

Boa Semana~
pandora_box

Zé do Cão disse...

Mariazinha. Fizeste fim de semana num hotel em Albufeira, com o meu tio da "Salou". Por isso eu conheço tão bem a "Pineda".

Foi um fim de semana adorável
vim renovado

Beijocas

Zé do Cão disse...

Rei da Lá
Porra, nem à porta, Felizmente.

Mas olha que algumas aventuras... são de meter medo.

Um Abraço

Zé do Cão disse...

Laurinha.
Desejavas que eu estivesse na choldra.
Se namorei a filho dum policia e não foi, nunca mais seria.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Amigo JOTA.

Chamas a isto obras de arte, vê só que a "dona" já me disse assim, sabia que tinhas sido fresco, tanto não.

Um abraço

Zé do Cão disse...

Lauirinha. Está a falar em Algarviada, não queres ver tu estive este fim de semana num Hotel em Albufeira, com o meu tio que vive em Tarragona e também o casal protagonista do meu conto "O PRESERVATVO" . Voltei agora mesmo, mas adorei este fim de semana, foi um carregar de baterias que nem fazes ideia.

Beijocas

Zé do Cão disse...

São. Respondi sim. Podia lá deixar passar quer sem gosta.

Mil beijocas, muito,muito grandes.
Este fim de semana o Algarve-Albufeira, não estava bom, devia ser sido o melhor do ano 2008.

De sonho

Zé do Cão disse...

Pandora. Amiguinha
isto é que é uma malta. Beijocas
O sul este fim de semana estava de matar.

Zé do Cão disse...

Cusquinha.
Prometes que vais? Tá feito, almoçamos os dois.

Beijocas e até ao dia combinado.

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Não sei se ela aparece ao almoço, segundo penso, promete, promete e falta.
Eu vou preparado para tudo.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Pandora. Eu ainda não te convidei, porque não sei se és do Norte, Sul, Este ou Oeste.

Penso que és do Norte, portanto pelo menos lá para Abril do ano que vem, tenho de ir ao Norte e faço-te uma visita, se não for entretanto.
Há Laurinha, talvez seja antes em Coimbra.
Beijocas

Diabinha Cusca disse...

Zezito

O que se passa é que me sinto um pouquito lenta.
Dizem que isto pode ser sintoma de paixoneta. Tu que és mui experiente, podes ajudar.me?

Estarei mesmo a sofrer desse mal?

"Ai que no mo digas"!!!

Marco Rebelo disse...

hehehe :)

Gata Verde disse...

Bem, esta história é estrondosa!!
Tadinha da D.Carmen...hehehehe!

beijocas

Zé do Cão disse...

Diabinha
Lenta? Tu estás com uma pedalada invulgar.
Beijocas

Zé do Cão disse...

Rebelo.

eheheh... porque não foi contigo.
Vi a morte à frente dos olhos.
Aquilo foi de terror.

Um abraço

Zé do Cão disse...

Gatinha.
Coitada da D. Carmen, ainda não houve ningu+em que dissesse "coitado do Zé", Cheiroso de fugirem dele, corrido a tiro... e ainda coitada dela.

Sim senhor...

É verdade, coitada da Senhora...
Boa pessoa, ter passado por uma coisa daquelas...
Beijocas

Zé do Cão disse...

Cusquinha

Vais ao almoço de sabrinas e trancinhas? ou com sapatos de tacão.
Vê lá como te apresentas, não vá ainda ser acusado de pedófilo, por ir almoçar com uma menor. Que fique bem esclarecido que não pretendo confusões...
Já me chegam as de antigamente. É que nesta altura sou, cavalheiro responsável e dado a ares muito serio. Beijocas, não me apareças vestida de capuchinho vermelho, tá bem?
Repito, muitas Beijocas

Laura disse...

pandorinha box a nina não tem um bloguesito? wy? a pascoalita quer saber quem és e eu tamém ehhh mas ja lhe disse que podemos deixar recados aqui como se fossse a parede do Continete ontde tem; procura-se!...etc etc.. zé Coimbra há-de ser mas deves vir cá antes e nem os vejo chamarem por mim tão cedo...e claro, vens aqui e eu até ti e a pandorinha idem...beijinhos.

Laura disse...

ai, ia ver se havia resposta, mas o meu número de senha era o 69 e dizer que só soube o que queria dizer o malfadado numero, quando tinha 25 anos e era casada já, enfim..a conversa foi assim no restaurante do Germano em Pretória, o Taras Bulba,(grande amigo e quem me dera voltar a vê-lo, mas, vive na madeira) rodeados de amigos..diz a Inês para o marido; ó xico, vamos pra casa fazer o 69!..e eu, nada, os outros riam-se outros encolhiam-se e a nina das resteas nem achou graça porque..o que seria o 69! bem, foi preciso o marido explicar melhor..enfim..toma lá, ia fugir mas aproveitei para me rir e fazer rir..um xi. laura..

JOY disse...

Amigo Zé do Cão,

Há dias em que uma pessoa não deve sair de casa, ter de levar com uma Carmen que vomita por tudo e por nada e que ainda por cima te submete a uma gaseficação, vai lá vai. ( Lol )

Um Abraço
Joy

Anónimo disse...

Um bloog,eu???

Mas eu tenho lá o vosso traquejo--

Vou teclando umas patacuadas e ...e(querias-me envergonhar,,,Deus me livre)..ò Laurinha,,balhamedeus!!

ò Zé,tu tás morenaço??....o Sol surtiu seu efeito com a Vitamina C(se fôr à brazuca será;(ler na íntegra..sô.si.fô-dê)

Um xi ate´ao Ceu
pandorabox

Laura disse...

ó pandorinha..bamo lá, ná si falá grusseirô, ai nina mia, a nina na sabe escrevinhá cumá genti? atã aprenda fz xabor... teclando pacatuadas? isso come-se? a nina vai ao céu assim sem apanhar abion? tamém poxo ir mais ti? que bom..Um dia passo ai ou tu aqui e..a gente toma cafézinho e fala de nóizinhas... Beijinhos.

Laura disse...

Logo vi que o nosso zé; ou anda a estudar marotice nova ou num está mesmo, mesmo, mesminho!... Beijinho.

Zé do Cão disse...

Laurinha

o que te passou pela cabeça. Esse numero não é um antes do 70 ? e outro depois do 68.
Ora, ora.. cabecinha pensadora!...

Beijocas

Zé do Cão disse...

Joy
Realmente é mesmo como dizes. Mas a senhora era tão boa pessoa, que se ele não tivesse, já partido, eu não me atrevia a contar esta cena.
Mas que teve graça isso teve.


Um abraço

Zé do Cão disse...

Laurinha, Pandora, sirvam-se à vontade...
A conversa é vossa.

Beijocas para as duas.

Anónimo disse...

(ihihihiihiihiihihihihi)

(ahahahhahhahhahahah)

pandota_box

Zé do Cão disse...

PANDOTA_BOX

(ihihihihihihi)
(ahahahahahaha)
o quê?

Mary West disse...

HAHAHAHAHHA! Não me faz mas rir desse jeito em pleno expediente. Minha chefa deve ter pensado que estou louca. :D

Vou mostrar teu blog p/ ela.

Zé do Cão disse...

Mary West.

Beijinhos, boa amiga

Anónimo disse...

(ehehehhehe)..(ahahahah)...resposta ao:"sirvam-se à vontade,de tanto rir saiu Pandota,olha,andei com sorte,podia ter sido pior....

Desesperada por outro spot....

Desesperadinha...

pandora_box

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé do Cão

Sofrestes tanto amigo. E desta vez nem foi por amor a uma garota bonita.
O que vale sempre é esse teu espírito matreiro de bon vivant que vai pondo condimento nas cenas mais sensaboronas.
E tudo fica divertido.
Tenho estado ausente mas vou escrever-te. Quando sinto a tua falta sinto-me perdida. Já sei que me respondes: "Ai, non me lo diga".


Beijos

Laura disse...

Stop - estrada encalhada - - stpo de postagem - queremos ler outra história verdadeira - - - com romance, claro...pandorinha e laurinha agradecem (não as boas festas que essas ainda nem chegaram !)

Zé do Cão disse...

Pandora, «Pandota», pois é, vocês divertem-se, cá o Zé prepara-se como os holandeses a preparar o dique para evitar mais inundações.
Estou mesmo decidido, vou partir para outra viagem.
Tenho a casa mais bonito que alguma vez tive, mas desonestidadas cometidas por construtor, com conivência de funcionários da Câmara Municipal de Setúbal e o desinteresse daqueles que o povo põe no poleiro,
vejo-me obrigado a saltar para outro lado.
Esta é a razão porque os vou deixar não sei por quanto tempo, já que não sei quanto tempo demora uma transferência de água, Luz, Gás, telefone aliado ao etc. etc..

Zé do Cão disse...

Silêncio.
Uma das visitas que não dispenso
Na passada terça-feira, estava no ACP, à espera de vez para ser atendido, reparei que uma "L.S." com foto e tudo, tinha um artigo num jornal, colocado ali à disposição dos associados para se entreterem.
Levanto-me para pegar nele e nesse momento chamam o meu numero, impedindo de fazer uma leitura do dito.
Demorei, os assuntos a tratar fizeram-me esquecer o jornal.
Fiquei com pena e neste caso, desabafei
"Ai no me lo diga"

Beijocas muito, muito grandes

Zé do Cão disse...

Laurinha.
Beijocas minha querida.
Fazendo-te a vontade, vai ter na próxima segunda-feira. "Lua de mel na Madeira".

São disse...

Meu bem, cadê novas?!
Je t´embrasse.

Zé do Cão disse...

São, minha amiga.
2º feira, teremos Lua de Mel na Madeira e que lua de mel.


Beijocas e fim de semana sem chuva

fotógrafa disse...

rsrsrsrs...ai no me lo diga....rsrsrsrs
tu e as tuas histórias recambolescas...rsrsrs
Zé obrigada pela visitinha, e eu fico sempre a rir á gargalhada, cada vez que passo por aqui e leio as tuas falas......rsrssr

Laura disse...

Ai zé, deves ter-te enganado no titulo, na sabes que na madêra há broas de mel? bolo do caco? e se foste de lua de mel foi sem aliança... num cunheçu ninguém que bá de lua de mel sem casari!... e só se foi antes das sabrinas e da pasta de dentes e do pacagaio..tô pra vêre...
Beijinho e amanhã vou pra longe, eu e uma amiga, vou levá-la, as estradas estão molhadas e têm curvas intermináveis..oxalá não chova, Peso da Régua e é a primeira vez que vou prá li sozinha...a gente desenrasca-se..olaré..

Zé do Cão disse...

Fotografa.

Bj.

Zé do Cão disse...

Laurinha.

Durante 7 anos, fui em trabalho 2 vezes por mês à Régua. ou Peso da Régua.
Andei de ano para ano para ver as vindimas e acabei por deixar de lá ir, sem as ver. É uma Cidade pequena.
vais gostar especialmente dumas pingas de porto.

Bj.

Laura disse...

Gracias, meu Deus; já fui e vim e sabes por onde vim, ou antes tive de vir? as estradas estavam fechadas e ja vinha acaminho de guimarães, pela via rápida, faltavam uns 70 km e..estrada fechada, fomos quase até espanham viemos dar aos Pisões e eu conheço tudo por ali, mas tudo chehinho de neve até Vieira do Minho, credo, foi o meu batismo da neve, foi a primeira vez que conduzi na neve bem...gracias.. beijinhos. almoçei alheira batatas fritas e ovo e um bom vinho ribatejano...

Zé do Cão disse...

Laurinha. Graças a Deus que tudo te correu bem.
Não foi há muitos anos estava aí, e fui a Tarragona passar o fim de ano, sozinho com a "Dona". No regresso e a partir de Benavente-espanhol, começou a cair um nevão de tal ordem, que quem parasse jamais conseguiria andar. Quem parava para meter gasolina, já não conseguia sair de lá. Em dada altura, naquele manto branco em que o trilho dos carros era apagado imediatamente com a neve que caía, senti medo, muito medo, porque era eu só eu que circulava na estrada sem fim e nem esta se via.
Nunca parei, até que apareceu um limpa neves e se colocou à minha frente. Ao chegar a Verin, suspirei de alivio, porque o pesadelo tinha passado. Mal sabia eu que me estava guardado a estrada de Montalegre, a circular de noite, sem correntes e sem limpa neves. Foi no dia em que mudou o telefone de socorro de 115 para 112. Telefonei e perguntei como estaria o tempo mais à frente, disseram-me que não sabiam e que telefonasse À GNR ou isso.
(palavras textuais). O numero da GNR eu não tinha. lá fui andando e quando a neve acabou, iniciou-se nevoeiro desde a Venda Nova até à tua cidade.
Neve é coisa linda para se ver em casa sentado no sofá, frente à televisão e de lareira com chama viva.
Fiquei farto dela

Anónimo disse...

Zé. Porque te falta coragem para contar aquela que tiveste de fugir com as calças na mão.
Tiveste-te medo da sova? Tens vergonha? Fico à espera...


Amigo fixe

Laura disse...

ahhh eu bem dizia essa da neve, para a Getta quando vinhamos a passar Montalegre que era para o aldo a kilómetros; neve é para ver sentadinhos em casa, pela janelinha... e acredita que apesar de tanta, ams tanta, Deus desviou e abriu caminho para a laurinha, não vinha quase ninguém, andei sempre sozinha, passavam em sentido contrário.... e não tive medo, a Getta que o diga que ainda agora me mandou uma mensagem assim: laurinha, mais uma vez obrigada por nos teres deixado chegar a casa sãs e salvas... e a minha ma~e a ver a tv e tudo cobretod e neve e o itinerário da estrada 26 foi o que nós passamos à noite, noite não, eram 19 e era noite cerrada... a minha ma~e chamou-me tola e s eo marido me tinha deixado ir para lá..eu só respondi que nunca pesso a ninguém se posso ir aqui ou ali, não tenho homem que mande em mim....fui porque quis e vim bem e pelos vistos houve pessoas que tiveram de ser ajudadas a sair dali... Beijinhos.

São disse...

Semana feliz , amigo.

Zé do Cão disse...

Anónimo-Fixe.
Deixa-te de lembrares desgraças.
Já tenho pensado várias vezes nessa, mas entendo que não devo contar.
Teria graça é certo, mas nem tudo na vida pode vir à luz do mundo.
Ainda hoje respeito a "garina" e ela respeita-me e é minha amiga.

Portanto, Carlinhos, desculpas-me mas não sejas tão fixe.
Um abraço

Zé do Cão disse...

Laurinha.
Nunca fui medroso, fui sempre um aventureiro, mas daquela vez, vi-me perdido.
E senti revolta com a resposta que me deram no 112.

Estão sempre a dizer e aliás nas paginas da lista telefonina diz "numero nacional de socorro" e quando necessitei de uma simples informação, desligara.
Portanto, não acredito em nada que os dirigentes dizem.
Beijocas

Zé do Cão disse...

São.

Não me assustei com a fera. Se tens uns olhos lindos como ela e o coração terno que julgo conhecer...

Uma Beijoca

Roderick disse...

Ahahahahah. Espectacular!
As minhas viagens a Espanha, infelizmente, não são tão movimentadas.

Zé do Cão disse...

Roderick
Arranja uma miúda boazona que dê nas vistas. Apaixona-te por ela, parte à aventura por essas terras de Espanha
sem ter nada programado e vais ver que começa a acontecer-te o inesperado.
Ainda vais dormir nalgum hotel de trogloditas lá para os lados de entre Granada e Murcia. Depois, sem vergonha, contas aqui tudo tim tim por tim tim.

Um abraço, moço

São disse...

Meu bem, não queres ir conhecer Aura Miguel?
Gostaria de saber a tua opinião, mas talvez passes a char que a minha ternura , por vezes, se esvai. No mínimo...
Um bom feriado.

Zé do Cão disse...

Aura Miguel, a jornalista da Radio Renascença?
Só por uma razão muito, muito forte é que a ternura se esvai. Estou a contribuir para isso?

Quanto ao feriado, em casa com a "Dona", o tempo não está para gastos e os agasalhos também estão caros.

Beijocas

Anónimo disse...

Então Zé, hoje já é terça-feira, estás a faltar à palavra.
Atira lá com uma nova.

Um abraço e cuidado com os figos da índia

Zé do Cão disse...

Eu não faltei à palavra.

O meu assiste é que não veio trabalhar.

Sim os figos da India tem muitos picos

Um abraço