15.1.12

Viagem de Autocarro


Já aqui referi várias vezes que residi numa Cidade do Minho, vinte anos. Deslocava-me com grande regularidade à Capital e usava indistintamente, o automóvel, comboio e autocarro expresso.
Nunca percebi a razão por que os naturais daquela cidade preferiam determinada empresa em detrimento de outras, quando estas tinham autocarros de luxo, limpos e com preços, que em alguns casos até era mais baratos. Essa empresa, fazia as viagens completamente cheias e as outras quando tinham metade dos passageiros, já faziam uma "festa". Viajei nas duas e aponto que certa vez tive necessidade de usar a casa de banho e em vez de sanita, tinha um buraco no chão por onde se via o asfalto da estrada. Claro, passou-me logo a vontade, não fosse por minha causa, alguma viatura que circulasse atrás apanhar com o "melaço" no pára brisas e consequentemente haver um acidente de trágicas consequências. Sempre fui muito responsável e previdente, não acham?
Pelo corredor do autocarro era arrastada uma caixa de cervejas, vendidas aos passageiros a peso de ouro. Todavia, não tinham à venda ou para aluguer, mascaras anti-gás. É que alguns passageiros descalçavam-se para repousar os pés durante todo o percurso.
Certa vez, e numa viagem feita à noite, fui passageiro num dos autocarros da Mundial Turismo, a caminho de Lisboa. Autocarro de luxo, preço mais barato do que os outros, com hospedeira que nos servia, chá café ou laranjada, gratuitamente. Com os auscultadores nos ouvidos vinha entretido a ouvir um programa de rádio. A casa de banho era na parte traseira do autocarro e uma senhora, talvez de 50/55 anos levantou-se encaminhando-se para ela. Deitei suavemente um olho de soslaio, fechei os olhos e continuei interessado nos meus pensamentos. Um largo tempo depois, chegou a minha vez de utilizar a casa de banho. Retiro os auscultadores, penduro-os no banco da frente, levanto-me e avanço para o banheiro. A porta encontrava-se entreaberta, empurro-a, e deparo com esta cena. A "Madama", em pé, à janela, apreciando presumivelmente a paisagem que a lua tinha daquele ângulo, voltada de costas para a porta, com o vestido arregaçado para cima, deixando à vista uma cinta de pernas de cor creme, apertadinha à sua "bunda".
Não fiquei paralisado, a observar causa tão insólita, mas que devia ter dado um bom sorriso, isso decerto aconteceu. E é, que o marido ou seu acompanhante levantou-se e veio ter comigo no sentido de dar-me uma descompostura por ter tido o atrevimento de abrir a porta com uma senhora a ocupar o WC. (enquanto ela na mesma posição e sem se voltar ia ouvindo a conversa.) Os passageiros começaram todos a olhar para trás, e eu contra meu hábito descontrolei-me, respondendo assim.
Eu tenho alguma culpa de ter encontrado a porta entreaberta e a senhora estar ali à janela de cú virado para mim? Porra, até já perdi a vontade de urinar, disse eu, encaminhando-me para o meu lugar.
Acho que o cavalheiro também estava descontrolado (pudera a sua companheira a andar a mostrar o "rabinho" ao primeiro que lhe aparecesse)," eu sei bem qual era a sua vontade", respondeu ele, causando a galhofa entre os outros passageiros.
Sentei-me, coloquei os auscultadores e no programa de rádio um fadista cantava o "O Fado do Embuçado". Com um sorriso maroto no semblante, pensei com os meus botões. O que acabei de ver, também estava embuçado, mas com "burca", nem consegui ver o olho.
Para ocupar o seu lugar, a Senhora, "tal Rainha" passou por mim, mas como vinha de trás nem tive a oportunidade de lhe ver a cara, fiquei-me pelo traseiro.

33 comentários:

São disse...

rrss rrss
Efectivamente, tens que publicar um livro....

Bom domingo, meu Amigo.

Maria disse...

Amigo Zé
Dizes bem: Emburcado. Essas cintas, não apertavam só. Tapavam qualquer "paisagem".
Ao menos as pernas valiam a pena?
Beijinho
Maria

Kim disse...

Zezito!
As coisas que te acontecem!!!
Mas essa malta não via logo que se tratava duma pessoa respeitável. Olha se fosse um gajo! O que diria a "marida" dele?
Como diz a São - tens de publicar um livro!
Grande abraço meu amigo

Pascoalita disse...

Ahahahah ahahahahah

Sinceramente não fazia ideia de que esses antigos autocarros eram apetrechados com WC!! Mas pela descrição, fizeste-me lembrar uma cena:

Nos anos cinquenta do século passado, uns tios meus habitavam numa casa ultra-moderna para a época, que tinha um alpendre, no qual foi adaptada uma "retrete".

O meu primito mais novo, então com 5 ou 6 anitos era magrito, um dia não conseguiu desfazer-se do presente que devia ser de estimação e acompanhou o dito ... aterrou na fossa que ficava um metro e meio abaixo eheheh

Nino Zezito, tu és um gentleman, mas parece-me que neste caso não estiveste à altura, foi o que foi! Não percebeste que a protagonista da tua história precisava desesperada de ajuda para despir a "cilha"! Nem imaginas como a tarefa era difícil ... cá pra mim, o modelo foi inspirado num "cinto de castidade" ahahah ahahah ahahahah

Zé do Cão disse...

São

Coitado de mim...

Plantar árvores já fiz e vê lá que até no meu quintal já plantei Azevinho e Medronheiro. Como sabes espécies em extinção.
Agora um livro, não tinha arcaboiço para tal.
Beijo

Zé do Cão disse...

Maria

Pois foi isso que me admirou. Aquilo tapa mesmo qualquer observação por mirones.
Não percebi a razão porque o "niquinho" estava tão ofendido.

Beijo

Zé do Cão disse...

Realmente a mim acontece-me tudo.
Só a sorte grande é que não me sai.

A única coisa que me saiu foram aproximações e mesmo uma delas, talvez por ser um pouquito maior, teve a sorte desastrosa de a ter perdido com a lavagem de roupa na máquina.

Abraço, bom amigo

Zé do Cão disse...

Adaptaram uma marquise para casa de banho.
Viste o filme "Quem quer ser milionário?" Se poderes vê.
Mas olha minha amiga que quando tinha 18 aninhos, fui convidado para ir com um amigo para os lados de S. Pedro do Sul.
A casa era de primeiro andar e o rez do chão era as "cortes", disse-me o dono.
Pensei, isto deve ser dos tempos reais.
Afinal, faziam-se em cima e "aquilo" caía em cima do gado que estavam nas cortes. É mais ou menos como agora, os "gajos" "borram" quem está nas cortes.
biquinhos

Pascoalita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pascoalita disse...

Tens razão, Zezito ...

É só no que parecem empenhados, em nos lixar com "F" grande... e ao contrário da madame do Bus, os sacanas nem se dão ao trabalho de esconder o olho ... é mesmo à descarada!!!

E pensava eu que já não me podiam desiludir mais ...

Bem dizia o outro: "O povo é sereno"

Zé do Cão disse...

Bem tristezas não pagam dividas e cá seguimos na camioneta verde e vermelha.

Sabes que a EDP v está a dar 10 de desconto nas luz.

É só saude. E há que tenha esperanças que para o ano isto já está melhor.

que corja
biquinhos

Pascoalita disse...

Sei sim! Tenho o formuláro, mas a vontade de aderir é pouca ou nenhuma. Sou muito desconfiada, sabes?

Que raio estará escondido nesta oferta? Hummm viraram beneméritos???

Zé do Cão disse...

Vou deixar andar até ver.
No fundo é assim. A coisa vai ser liberalizada. Mas já se estão a adiantar para ficarem com tudo.
Por alguma cisa o mexia ganha tanto dinheiro
biquinhos

Pascoalita disse...

Num país civilizado, a liberalização espevita a concorrência, o que até pode ser favorável aos utentes. Mas em Portugal há pouco ou nenhum respeito pelo consumidor, ou se calhar somos nós que não exigimos ser respeitados, acabando por ter o que merecemos.

Resta-nos esperar, de preferência com os olhos e ouvidos sempre alerta...

jinhos

Cusca Endiabrada disse...

Aconte cada uma! E o Zé sem culpa nenhuma ihihihih


"eu sei bem qual era a sua vontade" ...

Ora, é fácil de adivinhar!

O que tu querias mesmo era que "burca" rasgasse e deixasse ver o "embuçado" ihihihih

Giro, um calhambeque avec toilettes ihihihih


dentadinhas

elvira carvalho disse...

Mais uma história hilariante, a mostrar mais uma vez que o amigo é um excelente contador de histórias. E é caso para perguntar. Nunca pensou reunir todas estas histórias em livro? Se o fizer eu estou na fila para adquirir um exemplar.
Um abraço e saúde

Zé do Cão disse...

Cusca

Minha amiga, não tenhas maldada. Naquela altura eu tinha era vontade de fazer xixi.
E o homem tinha razão quando disse. Eu sei bem o que você queria.
Claro, fazer xixi (lol)
Quanto ao autocarro, este foi só para ilustrar o texto.
Nestes, quando alguém necessitava de vazar o "bandulho", ele parava e o motorista anunciava, mulheres para a direita e homens para a esquerda, os de meio termo, faziam contra o para choques de trás.

biquinhos

Zé do Cão disse...

Elvira

Já estou um bocado senil, mas daí a fazer um livro, nem pensar. Até porque o Júlio de Matos, já tem muitos pavilhões fechados.

o meu abraço

elvira carvalho disse...

Pois eu acho que de senil o amigo não tem nada. E não percebi essa de ir para o Julio de Matos se escrevesse um livro. Porquê? Porque em Portugal ninguém lê? Há sempre quem não troque um livro por coisa nenhuma.
Um abraço

Zé do Cão disse...

Elvira

Eu sou desses, não dispenso leitura.
No entanto, considerava um acto tresloucado a merecer internamento imediato, se me metesse a publicar em livro as minhas desventuras.
o meu abraço

Pascoalita disse...

ahahahahah já estou a rir só de imaginar os hipotéticos leitores do hipotético livro intitulado "Aventuras do Zé do Canito" ahahahahah

Zé do Cão disse...

"Tás" com febre alta, será efeitos da Troika?

biquinhos

Laura disse...

Ó meu querido Zézito, o que te acontece, atã o parvalhão na viu que a Maria dele estava ali feita de vurra à espera de algum mais atrevidote que ajudasse a despir a cinta? mau maria, o homi era vurro com v de vaca, lógico...palermóides, fizeste bem em nem ligar...

meu caro, todos dizem que precisas de publicar um livro, vá lá, basta copiares os teus posts e temos livro no mercado.

beijinhos e saudades

laura

Zé do Cão disse...

Laurinha

Estaria "mijadote" e esperava que secasse?

O fulano é que não gostou nada que ela mostrasse a "laNGERIE".

jUINHOS

Magia da Inês disse...

°º♫
°º✿
º° ✿♥ ♫° ·.
É, Zé!!!!!!
Tudo acontece com você... até ver o embuçado da Senhora Rainha admiradora da paisagem...
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil.
º° ✿ ✿⊱╮

Zé do Cão disse...

Magia

Depois de umas férias felizes com certeza, estás de volta com mais coragem.

Beijinhos

Zé do Cão disse...

Magia

Depois de uma ferias merecidas, até tens mais gana ao trabalho.


Beijinhos

Je Vois La Vie en Vert disse...

Caro amigo,

Só tu para deparar com este tipo de coisas...e para as contar com toda a tua legendária e real piada !

Muito obrigada pelo teu abraço de pesar, aconchegou-me.

Beijinhos
Verdinha

Zé do Cão disse...

Minha Amiga, bate-nos à porta quando menos esperamos.


o meu abraço

Mariazita disse...

Zé, querido amigo
O teu filho é que tem razão. Eles andam mesmo a gozar "c'a'gente"...
O meu informático também me diz que só eles podem resolver, se é que alguma vez vão resolver...
Qualquer dia chateio-me e acabo com tudo e pronto.

A tua história de hoje está fabulosa, como tantas outras.
Fez-me lembrar um caso que se passou com um primito meu. Íamos de comboio, eu e mais uns quantos familiares, e a certa altura o pequenito, seis/sete anitos, por aí, disse que queria fazer chichi. Estávamos relativamente perto da casa de banho. A mãe apontou-lhe a porta e disse-lhe que fosse lá. O garoto foi mas rapidamente estava de volta - "estava lá uma mulher sentada, gordaaaaaaaaaa!- Rimo-nos e a mãe perguntou: e ela não disse nada?
Só disse assim: Ah! raio!!!
Bom, desde aí o á raio! ficou no nosso vocabulário. :)))(a graça esteve na entoação que ele deu às palavras).
E pronto, daqui a nada vou ao hospital... visitar o doentinho.

Semana feliz. Beijinhos GORDOS

Magia da Inês disse...

º° ✿ ✿⊱╮

Olá, Zé!
Faz hoje 15 dias... queremos outra história.
Beijinhos.
Brasil


º° ✿ ✿⊱╮

Zé do Cão disse...

Os espontâneos da vida real, são um espectáculo.
Deles por vezes ficam-nos no goto e nunca mais esquecemos.

Quanto ao problema do "computas" às vezes dá-me na gana e acho que eles são meus filhos delas.

jinho

Zé do Cão disse...

Magia, mais rápido do que isto, não é possível. Aqui tens uma visita ao circo.
Espero que te divirtas com os palhaços.


Beijos