22.7.09

A carta de condução - Parte II


A recepcionista informa-o de que a consulta custava cinco mil escudos, sendo-lhe respondido que nada tinha a pagar, em virtude de estar ali por ordem do médico proprietário do consultório.
Quando chegou a sua vez, foi chamado e a empregada, para salvaguardar a sua responsabilidade, informa o especialista de que o Sr. António achava que nada tinha a pagar. O António explica que não estava preparado com aquela quantia, dado a consulta inicial ser “vinte escudos”.
Nestas circunstancias, o médico disse que sim, que nada teria a pagar e iniciou a 2ª fase com a apresentação de um tabuleiro, com tubos de aguarelas e perguntando uma a uma as suas cores. Não é difícil reconhecer o vermelho, o azul, o amarelo, o verde, aquelas cores bases que todos nós conhecemos do dia a dia. Mas saber os nomes de cores, que nunca viu, que não são roxas nem azuis, cores que se esbatem noutras, acabou já farto daquilo, por dizer ao Médico, que nunca pensou que para fazer um exame de condução, tivesse que tirar primeiramente um curso de tintureiro.
Depois colocou sobre uma secretária, um quadro com riscos feitos de lápis finíssimo de várias cores, entrelaçados entre si, mete-lhe na mão um ponteiro e ordena que seguisse determinado traço até ao fim. Para ver se o meu pai o fazia correcto, o médico colocou os óculos e o meu pai pediu ao médico que lhe emprestasse os ditos, já que os traços eram tão finos e confusos que seria impossível fazer aquela operação, sem ajuda de lupa.
Que não, que o examinado era ele e teria que fazer aquele exame sem qualquer ajuda. Nessa circunstância houve desistência imediata, mandou o Sr. Dr. ir apanhar os ovos à capoeira, porque as galinhas há muito que já cacarejavam, partindo de regresso a casa com o famigerado papel emitido no Gama Pinto, obrigando o Delegado a passar-lhe o atestado para o exame de condução.
Nos dias aprazados, todos os condutores têm nervoso miudinho e o António, não fugiu à regra, até porque a condução é feita sem acompanhante e nem nessa ocasião sabe as ruas por onde vai circular. O examinador explica-lhe que terá de seguir em frente, virar à direita, esquerda ou parar, mediante toque da buzina do automóvel que o antecede e onde vai observando as azelhices do candidato.
Enfia o capacete, aperta a fivela e deixa de ouvir bem, pois os capacetes da época não eram tão sofisticados como os de agora. Arranca, e ouve apito daqui, apito dali e com atenção redobrada ao que fazia e ouvia, desde que ouvisse um apito, seguia as instruções que lhe deram, só parando quando um sinaleiro o manda parar. Olha para trás e não vê o carro com o examinador. Tinham-se perdido um ao outro. Faz volta para trás e foi para o local do início do exame esperar pelo examinador que entretanto o procurava pela cidade.
Ficou aprovado… Não foi com distinção… mas foi o suficiente para percorrer milhares de quilómetros com aquela máquina de duas rodas, que fazia as delicias de qualquer jovem e onde o Zé só se assentou e lhe pôs a luva quando a fui buscar no dia da compra.Quanto ao Delegado de Saúde, não voltou a pedinchar um garrafãozito de água-pé, era capaz de levar por lapso (!) alguma pinga rotulada de grande qualidade, mas já em fase muito adiantada para fazer vinagre…
.

32 comentários:

Maria disse...

Zé do Cão:
Valeu a pena esperar. Que belo pedaço de vida, amigo!
Como tudo mudou e como algumas coisas continuam na mesma.
Espero que o pai do Zé, tenha gozado muitos anos a lambreta que tanto trabalho lhe custou.
É bom ver histórias destas. Coisas da vida de todos nós, os mais velhos. Os mais novos não sabem o que perderam.
Obrigada amigo Zé. Fico à espera da próxima. Gosto das suas histórias. Fazem-me rir e chorar.
Beijinhos

Zé do Cão disse...

Maria

sinto-me desvanecido pelo carinho.
reconhecido, o meu muito obrigado.

Bj do Zé

Anónimo disse...

AINDA BEM QUE EXISTE O BLOGGER SE NÃO COMO É QUE EU SABIA DO AMIGO ZÉ? ASSIM SEMPRE VOU LENDO AS HISTORIAS E ESPERO QUE TUDO ESTEJA BEM ASSIM COMO A FAMILIA. BEIJOS GINA

Zé do Cão disse...

Gininha

Tens toda a razão. Ando numa fôna.
Agora tenho os dois sogros em casa com demência adiantada e tem sido a carga dos trabalhos. Qualquer dia quem entra no Júlio de Matos sou eu.
Sabes bem o "vadio" que sempre fui e agora tenho asas cortadas e ando a toque de caixa e ás vezes ainda iça a missa cantada.
Vou ver se arranjo nem que seja só um bocadinho para irmos almoçar os dois na Claúdia, atrás do Modelo.
Sabes que eu sou um modelo na comida e que só espero comer uma sardinhada e depois para finalizar
um salmonete, dos pequenitos.
Tá bem, Beijinhos, minha amiga

luafeiticeira disse...

A sério? Tudo isso? A mim só me deram com um martelo no joelho.
Realmente continuas a relatar histórias como ninguém.
Olha, tens lá já duas da Lua Feiticeira que regressou.
jocas

Princesa disse...

´¨`?•.¸¸.•?´¨`?•.¸¸.•?´¨`?•.¸¸.•?
´¨`?•.
+..*._/\_ .*. Meta: a gente busca*.* . _/\_ *
. +* >,"< * Caminho: a gente acha. * >,"< +
* , + .*. * . Desafio: a gente enfrenta*. * . *
+ _/\_. Vida: a gente VIVE*.* . _/\_ *. * . * .
* >,"< Saudade: a gente mata >,"< *.*._/\_
* . * . + Sonho: a gente realiza*. * . * . >,"<
* . _/\_ * Amigos: a gente CONQUISTA!* * .
. * >,"< + *._/\_ .*.,*.*. _/\_ *.*.*.*.*._/\_
.*+.*..*,.+* >,"< E... . * >,"< +. . .*.**>,"<
+..*._/\_ *. * . * . *.*.*.*.*.*.*.*.*.*.** . * .
. +* >,"< VOCÊ já me CONQUISTOU, * . _/\_
* , + .*. * portanto, conte comigo para*>,"<
+..*._/\_ .*. •buscar as metas; *_/\_.*.*.*
. +* >,"< * •achar o caminho; * >,"< + *.*.*
* , + .*. * . •enfrentar os desafios;.*.*.*.*.*
+ _/\_. •viver a vida;.*.*.*.*.* _/\_ ** . * . +
* >,"< •matar a saudade e...* >,"<* . * . +
* . * . + •realizar seus sonhos! *
(¯`v´¯) .:. *Bjocas no coração* .:.
`•.¸.•´
¸.•´¸.•´¨) ¸.•*¨)

Milu disse...

Olá Zé,
quando o dinheiro é suado, isto é, nos custa a ganhar, não é qualquer um que nos conta o conto do vigário. Esse método de conduzir um exame pelo toque da buzina prestava-se para umas boas rasteiras. Porque ao ouvir um apito virava-se para a direcção combinada, no caso de ter sido um apito de outro carro, o examinador não tinha tempo de se aperceber e, naturalmente, seguiria em frente! Uma vez desencontrados, bastava aparecer no local de partida!Como dava mau jeito repetir o exame, a única solução era ficar aprovado. Estou a brincar! Muito bem comportado foste, que só puseste as unhas na lambreta para a trazer para casa! E o diabo não te tentou?
Um beijinho.

Zé do Cão disse...

Lua. Vieste cheia de força, imparável.
Beijocas

Zé do Cão disse...

Princesa.
Como é possível, manteres 7 blogues e seguir com regularidade a lista interminável de blogues que visitas?

Simples mortal? Super mulher?...
Beijocas

Zé do Cão disse...

Milú, sim, sim o diabo tentou-me e não foram poucas vezes.
Antes da Lambreta, ele tinha tido um "Cucciolo", bicicleta com motor auxiliar (era assim que se chamava) e eu apoveitei a sua ausência para ir dar uma volta no dito. Era o fascínio de circular sem pedalar, de ir mais longe, mais depressa. Tudo correu bem, até regressar e quando o encostava, não o fiz conveniente, caiu e entortou um pedal.
O pior foi quando pela manhã se preparava para o utilizar, não o pode fazer, acusando-me de lhe ter estragado o transporte. Tinha-lhe muito respeito e não fui capaz de lhe dizer que tinha sido eu. Como todos sabemos Deus não anda de bicicleta, o mesmo não acontecendo ao diabo. Como o diabo era eu, só podia ter sido.
Aquele santo tudo perdoava... Então lembrando-me daquele caso, fui incapaz de dar uma volta, mesmo pequena que fosse.

Beijocas

caditonuno disse...

ainda bem que o homem já tinha um papelito na mão. o que o outro médico queria era uma contribuiçãozita, que faz sempre jeito a quem a procura, não é verdade? e era conhecido dele, fará se não fosse! médicos... é fugir deles enquanto se consegue andar!

Zé do Cão disse...

Catido.
Foi mesmo por isso que toda a família sentiu o choque.
Porque mandar fazer o exame, não me parece nada mal. Mais ainda só de opinião que a carta só devia ser renovada, acompanhada de um exame à vista e outro de audição.
Como vão os trabalhos de casa... Quando passas a colocar as fraldas ao pimpolho?
Um abraço

Laura disse...

Ora biste, o examinador é que se perdeu dele e não conseguiu aocmpanhá-lo, tal a a astúcia dot eu pai, ganda homem, assim é que é, e, devia enviar-lhe o garrafãozito com a dita a saber ainda a vinagre, ora não querem lá ver!...
Beijinhos zé...laura

Parisiense disse...

O que importa é que ficaste aprovado...agora és mais um dos perigos na estrada , não....ahahahhhah

E há coisas que nunca mudam....e essa do Delegado de Saúde é uma delas.

Beijokitas

Zé do Cão disse...

Laura

Pois, pois é.

Beijocas

Zé do Cão disse...

Parisiense
Eu ainda faço perigo o meu "velhote" o da Lambreta é que não. Já partiu para outra e admito que estará à minha espera.

Beijocas

Pascoalita disse...

Ora então aí está a 2ªazul (ou era às riscas? eheheh)

Adoro as tuas recordações. Fazem-nos recuar no tempo e reparar nas mudanças que de outra forma se mantêm esquecidas.

Engraçado o modo como eram feitos os exames nessa altura e o António não esteve com meias medidas nem se atrapalhou e em vez disso fez uma grande finta ao examinador eheheh

Essa das cores mais parece um dos actuais "teste psicotécnico" eheheh


Jinho grande

Pascoalita disse...

Ora então aí está a 2ª parte da história da lambreta azul (ou seria às riscas? eheheh)

Adoro as tuas recordações. Fazem-nos recuar no tempo e reparar nas mudanças que de outra forma se manteriam esquecidas.

Engraçado o modo como eram feitos os exames nessa altura e o António não esteve com meias medidas nem se atrapalhou e em vez disso fez uma grande finta ao examinador eheheh

Essa das cores mais parece um dos actuais "teste psicotécnico" eheheh


Jinho grande

P.S. repeti o comentário porque tinha desaparecido algumas palavras e não era perceptível

podes apagar o anterior

São disse...

Parece que andas com problemas de saúde na família, aqui te deixo o meu solidário abraço, pois já passei situação semehhante e sei a loucura que é...

Bom fim de semana.

Zé do Cão disse...

São.
Efectivamente não são poucos.
Estou tão em baixo, que estou disposto a fechar esta loja a 31/8, altura em que faz 2 anos que a abri (é assim, como no emprego, dou um pré-aviso), loja que me tem dado tantas alegrias e me ajudou a recordar e viver.
O que me é solicitado, é mais forte do que as minhas forças psíquicas.
Acabou-se refúgio, acabou-se as idas ao estrangeiro e já este ano deixei para trás um cruzeiro.
Bj.

Cusca Endiabrada disse...

Zé do Canito ...

O teu desabafo fez-me sair da toca, do marasmo, ou do síndroma de preguicite como lhe queiras chamar.

Não feches a loja, please! Acaso precises de fazer uma ausência, coloca uma rede daquelas fininhas das que só permitem que passem os mosquitos lingrinhas, mas mantém as janelas semi-abertas para arejar o aposento, mantendo-o até que tenhas disponibilidade de voltar.
Há momentos em que as coisas correm menos bem, mas não desanimes porque ainda vais ter de aturar a endiabrada por muito tempo hihihih

dentadinhas

Zé do Cão disse...

Minha queridinha.
Só se me prometeres que vais almoçar comigo ao "FAZ FIGURA".
Tem uma vista para o Tejo... que Só te digo...
Biquinhos

Eu sei lá por rede, para não entrar mosquitos

Oliver Pickwick disse...

Que aventura complicada e trabalhosa esta, hein Zé! Suponho que é mais fácil fazer teste para astronauta. Mas, enfim, tudo acabou bem.
Li aí em cima que cogita em fechar esta "loja". Não sei se é uma boa idéia, amigo. Seja qual for o problema, acredito que - ainda que reduza o expediente aqui - esta atividade faz muito bem à sua vida em geral, e, por conseqüência, àqueles que o cercam.
Desejo melhoras ao seu familiar.
Um abraço!

Zé do Cão disse...

Amigo Oliver

No fundo no fundo, são os 2 os sogros, Simultaneamente em demência .
É estar encerrado, sem poder sair a lado nenhum, só e somente com atenção aos dois ao mesmo tempo. Por aqui, há muita, muita falta de emprego, mas quando ele aparece todos fogem dele.
E por aqui me fico....

Cusca Endiabrada disse...

xiiiiiiiiii acho que "meteste a pata na poça", Zé do Canito!

Que eu saiba, por enquanto o pessoal só ainda foge do trabalho ... "bons empregos" é o que toda a gente anda à procura, incluindo eu ihihihih

A propósito, não arranjas assim um cargo bem remunerado e que exija o menor esforço possível? Pode ser mesmo esse "vigia de sogros" eheheh

É que ando há meses de canudo em punho, já gastei as solas de 2 pares de sapatos e não vejo nadika

Já me aconselharam a fazer um bom casamento e viver à conta. Que dizes?

dentadinhas

Zé do Cão disse...

Ui, Filha. Isto está mau, podes ter a certeza.
Não era um bom casamento, casar com o filho/filha do Dias Loureiro?
do Valentim Loureiro?
do Oliveira & Costa?
do Arlindo Carvalho?
Mas vê lá no que está a dar?
Vale mais casar com um pendura, como eu e bem basta.

Gosto de ti, sabias?
Biquinhos

Cusca Endiabrada disse...

Almoço no "Faz figura"???

Seja lá qual for a figura que queiras que faça, desde que vás à minha frente, prometo aceitar pois ihihih

E aí combinamos qual o melhor partido dessas sugestões todas. Talvez me decida a fazer olhinhos ao filho do Belmiro, mas só se me prometeres apresentar um forreta da tua fibra que me alegre a vida eheheh

Zé do Cão disse...

Cuscquinha.
Seja como for e como quer que seja.
Vou arranjar um dia, umas horas, para rever-te e vamos lá almoçar.
Vamos fazer figura.

Biquinhos, minha querida

Pascoalita disse...

Também posso "fazer figura" convosco? Como estou de férias, agora até podia almoçar longe do meu P.T., tenho é de levar um "pendura" eheheehh

Jinhos

Zé do Cão disse...

Pascoalita.

Claro que sim, estás também convidada. O "pendura" é algum gato?
Não sei se deixam entrar. Eu peço ao gerente

Biquinhos

Mariazita disse...

Amigo Zé
Gostei muito da 2ª.parte da carta de condução.
Estás a viver uma situação complicada, e como te compreendo! Também vivi três meses a assistir dia e noite a meu Pai, na fase terminal da doença que o vitimou, e sei como foi terrível.
Mas na vida nem tudo são rosas...
Quanto a "fechares a loja", pensa bem. No fundo, acaba por ser um refúgio para ti, onde podes desabafar e receber o carinho dos amigos. Faz intervalos maiores nas postagens, mas acho que não deves fechar. Até porque fazes falta...
Li o teu comentário na "Casa" e ficaste, portanto, a saber, que vou "desaparecer de cena" por algum tempo.
O caso da limpeza do país está a ser tratado, e quanto a mim muito bem, pelo site - http://limparportugal.ning.com/
Podes indicá-lo e quem quiser vai lá, pode inscrever-se, integrar-se num grupo...enfim, está muito bem organizado.
Eu, nessa data, não estarei cá; estou apenas a terminar os tratamentos que tenho andado a fazer, e que me roubam imenso tempo, e depois vou ausentar-me, mesmo antes das férias.
Espero, quando voltar, talvez lá para finais de Outubro, encontrar-te no teu posto! Vê lá não me falhes!!!
As melhoras, se tal é possível, dos teus sogros.
Um grande abraço e beijinhos para ti.
Mariazita

Zé do Cão disse...

Mariazita

Que recuperes rápido e que tudo corra bem. Desejo ardentemente.
A coisas mais preciosa da vida é a saúde. Sou um felizardo por nunca ter tido nada a não ser, aí de 3 ou 4 anos uma constipaçãozita e mesmo essas de passagem rápida.
Veremos nesta que se aproxima.

Bj. e estarei sempre com o olho no teu blog.